CATEGORIAS DE ANÁLISE SOCIOESPACIAL:

UM ESTUDO EM DIFERENTES ETAPAS DO PROCESSO FORMATIVO DE ARQUITETOS E URBANISTAS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21680/2448-296X.2022v7n2ID26183

Palavras-chave:

Análise socioespacial, Formação de arquitetos e urbanistas, processo de projeto em arquitetura e urbanismo

Resumo

Aspectos socioculturais estão presentes em qualquer projeto espacial concebido, seja na escala arquitetônica ou urbana, mesmo que os projetistas não tenham considerado tais fatores diretamente na concepção do projeto. Tendo como ponto de partida a pesquisa intitulada Categorias de análise socioespacial: A dimensão espacial do modo de viver Kaingang, o presente estudo tem como objetivo avaliar tais categorias frente a sua aderência aos projetos concebidos por estudantes de diferentes fases do curso de Arquitetura e Urbanismo da [Instituição omitida para avaliação]. Para tanto, a pesquisa apresenta as seguintes etapas: Expansão das categorias definidas na pesquisa anterior para que pudessem ser utilizadas em diferentes contextos culturais; Desenvolvimento de um instrumento de análise socioespacial; Definição na amostra de projetos a serem analisados, considerando fases iniciais, intermediárias e finais do processo formativo de arquitetos e urbanistas e considerando duas escalas projetuais, a arquitetônica e a urbanística; Estudo dos projetos e síntese dos resultados; Revisão das categorias de análise e produção de material para o compartilhamento dos resultados da pesquisa. Destacam-se como principais resultados a identificação de todas das categorias analisadas, mesmo que em diferentes níveis de utilização e a relevância da categoria denominada Diálogo e Participação como propulsora da contemplação dos demais aspectos de análise socioespacial considerados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALEXANDER, C. Notes on the synthesis of form. McGraw Hill, Nova York, (1964).

GERHARDT, T. E., SILVEIRA, D. T. Métodos de pesquisa. PLAGEDER. 2009.

KING, A. “Re-presenting World Cities: Cultural Theory/Social Practique in Knox.” In: Worls Citires en a World System, por P. P.& Taylor. Cambridge: Cambridge University Press, 1995.

KOWALTOWSKI, D. C. C. K.; BIANCHI, G.; PETRECHE, J. R. D. A criatividade no processo de projeto. In: KOWALTOWSKI, D. C. C. K. et al. (org.). O processo de projeto em arquitetura: da teoria à tecnologia. São Paulo: Oficina de Textos, 2013. p. 21-56.

LAWSON, B. Como os arquitetos e designers pensam. São Paulo: Oficina de textos, 2011.

MALARD, M. As Aparências em Arquitetura. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2006.

MARTÍNEZ, A. C. Ensaio sobre o projeto. Brasília: Editora da UNB, 2000

MINAYO, M. C. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes.2001.

MOREIRA, D. de C. Introdução. In: KOWALTOWSKI, D. C. C. K. et al. (Org.). O processo de projeto em arquitetura: da teoria à tecnologia. São Paulo: Oficina de Textos, 2013. p. 9-12.

MORIN, E. A cabeça bem-feita. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2000.

RASMUSSEN, S. E. Arquitetura vivenciada. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

SCHÖN, D. Educando o profissional reflexivo: um novo design para o ensino e a aprendizagem. Porto Alegre: Artmed, 2000.

SILVA, E. Uma introdução ao projeto arquitetônico. Porto Alegre: Editora da URGS, 1998.

Downloads

Publicado

27-05-2022

Como Citar

DILL, F. M.; LONGHINOTTI FELIPPE, M. CATEGORIAS DE ANÁLISE SOCIOESPACIAL: : UM ESTUDO EM DIFERENTES ETAPAS DO PROCESSO FORMATIVO DE ARQUITETOS E URBANISTAS. Revista Projetar - Projeto e Percepção do Ambiente, [S. l.], v. 7, n. 2, p. 73–86, 2022. DOI: 10.21680/2448-296X.2022v7n2ID26183. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/revprojetar/article/view/26183. Acesso em: 6 out. 2022.

Edição

Seção

TEORIA E CONCEITO