AVALIAÇÃO DE ESTRATÉGIAS BIOCLIMÁTICAS APLICADAS EM HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL PÓS PANDEMIA

Autores

  • ANDREA CARLA PEIXOTO FILGUEIRAS FARO UNIVERSIDADE TIRADENTES (UNIT)
  • RENATA TORRES SARMENTO DE CASTRO Universidade Federal de Alagoas (UFAL)
  • NAYANE LAURENTINO DA SILVA UNINASSAU

DOI:

https://doi.org/10.21680/2448-296X.2022v7n2ID27476

Palavras-chave:

habitação de interesse social (HIS); estratégias bioclimáticas; pós-pandemia; eficiência energética; RTQ-R

Resumo

Com o surgimento do novo coronavírus e o consequente isolamento social para combater sua proliferação, percebeu-se que as Habitações de Interesse Social (HIS) nem sempre se adequam às necessidades do usuário. Assim, o objetivo deste artigo é propor adaptações arquitetônicas em um modelo padrão de HIS com intuito de atender às exigências pós-pandemia e as estratégias bioclimáticas para regiões da Zona Bioclimática 8 e comparar a avaliação deste novo modelo com um modelo de HIS padrão atual. A metodologia foi dividida em três etapas. A primeira consistiu na definição do padrão de HIS e adaptações arquitetônicas propostas pós-pandemia. A segunda foi uma avaliação e análise de acordo com o método prescritivo do RTQ-R sobre a eficiência energética dos dois modelos (padrão e adaptado). E a terceira etapa consistiu na verificação do desempenho da ventilação natural e do sombreamento para ambos modelos. Constatou-se que houve uma melhoria na pontuação dos quartos no modelo adaptado, chegando a mudar de classificação positivamente. Tanto a HIS padrão quanto a HIS adaptada alcançaram classificação final C, contudo a HIS adaptada obteve melhor pontuação em relação ao modelo padrão. Em relação ao desempenho da ventilação natural e do sombreamento, percebeu-se que houveram melhorias com o aumento das aberturas e dos beirais da cobertura, destacando a importância de sombrear locais de clima quente para redução do calor, contudo mantendo a incidência solar de forma mais branda como forma de combate à umidade e melhoria do sistema imunológico dos habitantes, aspecto bastante importante no período de pandemia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

RENATA TORRES SARMENTO DE CASTRO, Universidade Federal de Alagoas (UFAL)

Arquiteta e Urbanista, mestre em Arquitetura e professora da UFAL

Referências

ABNT – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 15220-2: Desempenho térmico de edificações – Parte 2: Métodos de cálculo da transmitância térmica, da capacidade térmica, do atraso térmico e do fator solar de elementos e componentes de edificações. Rio de Janeiro, 2005a.

_____. NBR 15220-3: Desempenho térmico de edificações – Parte 3: Zoneamento bioclimático brasileiro e estratégias de condicionamento térmico passivo para habitações de interesse social. Rio de Janeiro, 2005b.

BRASIL. Decreto nº 2.918, de 9 de abril de 1918. Dispõe sobre o Código Sanitário do Estado de São Paulo. Secretaria Geral Parlamentar, São Paulo, 1918, p. 40 – 43.

_____. Manual para aplicação do RTQ-R - 4.2; Versão 1 nº18/2012 - ANEXO DA PORTARIA INMETRO Nº 50/ 2013 Atualizado em 27/11/2017 Anexo Geral V – Catálogo de Propriedades Térmicas de Paredes, Coberturas e Vidros.

BEZERRA JÚNIOR, Francisco da Rocha. Habitação de Interesse Social, conceito e projeto: Uma proposta para mãe Luiza / Natal – RN. Revista Projetar, v.2, n.1, abril 2017.

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL. Download de Arquivos: Banco de Projetos - Projetos Habitação de Interesse Social (HIS). Disponível em: <https://www.caixa.gov.br/site/paginas/downloads.aspx>. Acesso em: 05 dezem. 2020.

CASTRO, Kelly Dornellas. Impactos da qualidade do espaço arquitetônico na produtividade do trabalhador. Revista Protexto, Belo Horizonte, v. 8, n. 2, p. 23-38, jul-dez. 2007.

CHÁVEZ, J. R. G.; FREIXANET, V. F. Viento y arquitectura: El vento como factor de diseño arquitectónico. México: Trillas, 2005, p. 47-70.

DORNELLES, Kelen Almeida. Absortância solar de superfícies opacas: métodos de determinação e base de dados para tintas látex acrílica e PVA. 2008. 160p. Tese (Doutorado) - Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2008.

FAGUNDES, Renata Magalhães. Aplicação do RTQ-R na avaliação da eficiência energética de edificações multifamiliares de interesse social para as zonas bioclimáticas brasileiras, 2014. 162p. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de Santa Maria, Centro Tecnologia, Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil, RS, 2014.

FERREIRA LO. Uma interpretação higienista do Brasil: medicina e pensamento social no Império. XXIII Encontro Anual da ANPOCS, Caxambu, MG, 1999. Disponível em: <http://www.bvshistoria.coc.fiocruz.br/lildbi/docsonline/get.php?id=225>. Acesso em: 06 dezem. 2020.

GOUVEIA, Hugo L.; SPOSTO, Rosa M. Indicadores de desempenho térmico de vedações verticais externas relacionados com o custo de HIS com base na norma de desempenho no Brasil. Revista de Ciência e Tecnologia, v.2, nº 3, 2016.

LIMA, Kamila Mendonça de. Desempenho térmico e luminoso de brises externos em escritórios em Maceió-AL. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de Alagoas, Programa de Pós-Graduação em Dinâmica do Espaço Habitado, AL, 2012.150 f.: il., color.

MARTINS, Anamaria de A. C. A forma de morar: a transformação da casa brasileira à luz das normas reguladoras da estética da paisagem e das edificações. Univ. Arquitetura e Comunic. Social, Brasília, v. 7, n. 1, jan./jun. 2010, p. 1-18.

MORISHITA, Cláudia. Impacto do Regulamento para Eficiência Energética em Edificações no Consumo de Energia Elétrica do Setor Residencial Brasileiro. 2011. 232p. Dissertação (Mestrado em Engenharia Civil). Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC, Florianópolis, 2011.

OLGYAY, V. Arquitectura y clima: Manual de diseño bioclimático para arquitectos y urbanistas. Barcelona: Gustavo Gili, 2004, p. 32-42, 53-78, 94-112.

PASSOS, Isabela Cristina da Silva. Clima e arquitetura habitacional em alagoas: estratégias bioclimáticas para Maceió, Palmeira dos Índios e Pão de açúcar. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de Alagoas, Programa de Pós-Graduação em Dinâmica do Espaço Habitado, AL, 2009.

PORANGABA, Alexsandro Tenório. A Habitação de Interesse Social nos currículos mínimos de arquitetura e urbanismo: uma análise histórico-documental. Revista Projetar, v.2, n.2, agosto 2017.

SERRA, R. Arquitectura y climas. Barcelona: Gustavo Gili, 2004, p. 7-56.

VASSOLER, Luiz Augusto. Informações sobre o novo coronavírus. In: Associação comercial de Sorocaba, abril, 2020 < https://www.acso.com.br/acso2019/exibenoticia.aspx?idNoticia=1198>. S/pag. Acesso em: 06 dezembro 2020.

Downloads

Publicado

27-05-2022

Como Citar

PEIXOTO FILGUEIRAS FARO, A. C.; CASTRO, R. T. S. D.; LAURENTINO DA SILVA, N. AVALIAÇÃO DE ESTRATÉGIAS BIOCLIMÁTICAS APLICADAS EM HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL PÓS PANDEMIA . Revista Projetar - Projeto e Percepção do Ambiente, [S. l.], v. 7, n. 2, p. 161–176, 2022. DOI: 10.21680/2448-296X.2022v7n2ID27476. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/revprojetar/article/view/27476. Acesso em: 13 ago. 2022.