ANÁLISE VISUAL DO MOBILIÁRIO URBANO INFANTIL

O CASO DO PARQUE DA CRIANÇA DE CAMPINA GRANDE-PB

Autores

  • Viviane Azevêdo Universidade Federal de Campina Grande
  • Isis Veloso Universidade Federal de Campina Grande

DOI:

https://doi.org/10.21680/2448-296X.2022v7n3ID27946

Palavras-chave:

análise visual, design urbano, espaços livres, parque, crianças

Resumo

Espaços livres qualificados que satisfazem as necessidades de seus usuários influenciam positivamente o bem-estar dos indivíduos e, a longo prazo, contribuem com a sua qualidade de vida. De maneira oposta, aqueles que não atendem às preferências de seus utilizadores afetam negativamente o comportamento humano, influindo para a não utilização destes, e tornando-os subutilizados. Nesse contexto, a pesquisa tem como objetivo investigar as relações de uso e apropriação dos usuários (crianças e seus acompanhantes) pelo espaço livre e mobiliário destinado ao público infantil de um parque urbano localizado na cidade de Campina Grande-PB. Para a compreensão desses elementos, o trabalho foi dividido em duas etapas, a primeira etapa corresponde à análise visual urbana através da aplicação das ferramentas de visão serial, mapa mental e mapa psicogeográfico. A segunda etapa corresponde à análise visual do design através de ferramentas de categorias funcionais, de comunicação e investigação. Os resultados da pesquisa apontam que apesar dos  problemas identificados, relacionados ao déficit de mobiliários urbanos, interferência externa e interna de adultos, preferência por horários, composição visual desordenada e  qualificação superficial,  existe apropriação efetiva e satisfatória dos espaços e mobiliários urbanos infantis. Conclui-se, portanto, que o Parque da Criança promove aos seus utilizadores oportunidades de lazer e recreação infantil no âmbito dos espaços livres públicos urbanos e que os mobiliários que os constituem atuam diretamente como atrativos, estimulando a vivência da cidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARAÚJO; N.M; BARRETO, C.G. Usos e funções dos parques urbanos: Percepções sobre o parque ecológico Asa Sul, Brasília, Brasil. Espaço & Geografia, Brasília, v.23, n.2, p.162-179, 2020.

BARBOSA, Ana Carolina de Moraes Andrade. Imagem, paisagem e situação: uma apreensão do design na cidade. 1 ed. Curitiba: Appris, 2020. 157p.

CULLEN, Gordon. Paisagem Urbana. 1.ed. Lisboa: Edições 70, 2008. 208p.

DEBORD, Guy. A sociedade do espetáculo. Rio de Janeiro: Contraponto, 1997.

DONDIS, Donis. A sintaxe da linguagem visual. 2 ed. São Paulo: Martins Fontes, 1997, 248p.

FERREIRA, Gustavo Henrique Cepolini. Conflitos e Convergências da Geografia 2. 1 ed. Ponta Grossa: Atena Editora, 2019. 256p.

GERMER, Ingo Cescatto. Avaliação do mobiliário urbano de Bauru- SP: Uma contribuição do Design. 2021. 139f. Dissertação (Mestrado em Design) – Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação da Universidade Estadual Paulista, Bauru, 2021.

GUEDES, João Batista. Design no Urbano: metodologia de análise visual de equipamentos no meio urbano. 2005. 375f. Tese (Doutorado em Desenvolvimento Urbano) Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2005.

JACQUES, Paola Berenstein. Apologia da Deriva: Escritos situacionistas sobre a cidade. 1 ed. Rio de Janeiro: Casa da Palavra, 2003. 160p.

LOBACH, Berndt. Design Industrial: Bases para configuração dos produtos industriais. 1 ed. São Paulo: Editora Edgard Blucher, 2001. 208p.

LYNCH, Kevin. A imagem da cidade. 3 ed. São Paulo: Martins Fontes, 2011, 240p.

MIRANDA; A.E. Memória coletiva e valor histórico no mobiliário urbano. Patrimônio e Memória, Assis, v.6, n.2, p.244-265, 2020.

SADLER, Simon. The Situationist City. 1 ed. Cambridge: Mit Press, 1999. 248p.

SILVA, E; ELALI, G. O papel das praças para o envelhecimento ativo sob o ponto de vista dos especialistas. Pesquisas e Práticas Psicossociais, São João del-Rei, v. 10, n. 2, p. 382-396, jul. 2015.

VIEIRA, Andrea de Brito Stefanelli. Mobiliário urbano no espaço público para o lazer infantil: Uma reflexão no contexto da “academia da primeira idade” na cidade de São Paulo. 2018. 253f. Dissertação (Mestrado em Arquitetura) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2018.

VIEIRA, V.G; TAQUINI, R; AUER, F; PINHEIRO, L.F.M; ARAÚJO, V.C. O que as crianças nos contam sobre a cidade? Interlocuções entre infâncias, educação infantil e cidades. Research, Society and Development, v.10, n.7, p.1-16, 2021.

Downloads

Publicado

28-09-2022

Como Citar

AZEVÊDO, V.; VELOSO, I. ANÁLISE VISUAL DO MOBILIÁRIO URBANO INFANTIL: O CASO DO PARQUE DA CRIANÇA DE CAMPINA GRANDE-PB. Revista Projetar - Projeto e Percepção do Ambiente, [S. l.], v. 7, n. 3, p. 141–156, 2022. DOI: 10.21680/2448-296X.2022v7n3ID27946. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/revprojetar/article/view/27946. Acesso em: 10 dez. 2022.