QUALIDADE ESPACIAL A PARTIR DA PERCEPÇÃO DO OBSERVADOR EM MOVIMENTO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21680/2448-296X.2023v8n1ID28447

Palavras-chave:

qualidade espacial, urbanidade, obras de infraestrutura

Resumo

A avaliação da qualidade do ambiente construído se justifica, nesse estudo, através do entendimento da forma de apropriação dos espaços pelos indivíduos. Através da experiência do espaço, a pesquisa busca entender durante o percurso do observador, a realidade vivenciada do projeto. Esses registros, realizados durante o processo de observação das arquiteturas de conexão, possibilitam o entendimento das alterações do uso e apropriação espacial não planejados. O objetivo geral deste manuscrito é refletir sobre os usos arquitetônicos predefinidos, ligados à infraestrutura, como pontes, passarelas e viadutos, tendo como estudo a Estação Metroviária Niterói, localizada na cidade de Canoas/RS - Brasil. O método utilizado teve como base a elaboração de diagramas de percursos e registro realizados em linhas de deslocamentos, por meio da percepção do observador em movimento. Os resultados demonstraram que as arquiteturas de conexão, como obras de infraestrutura, mesmo ligadas as questões utilitárias e de eficiência urbana, podem permitir maior interação e maior grau de comodidade e acolhimento, incorporando novos usos e atividades não previstos inicialmente no projeto.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AGUIAR, Douglas. Urbanidade e a qualidade da cidade. Arquitextos, São Paulo, v. 141, p. 1-8, 2012a

AGUIAR, Douglas Vieira. Urbanidade e a qualidade da cidade. In: Douglas Aguiar; Vinicius M. Netto. (Org.) Urbanidades. Rio de Janeiro, v. 1, p. 61-80, 2012b.

AGUIAR, Douglas Vieira. Espaço, Corpo e Movimento. Arqtexto (UFRGS), Porto Alegre, v. 8, p. 74-95, 2006

FIGUEIREDO, Lucas. Desurbanismo: um manual rápido de destruição de cidades. In: Douglas Aguiar; Vinicius M. Netto. (Org.). Urbanidades, Rio de Janeiro, v. 1, p. 209-232, 2012.

FUÃO, Fernando Freitas. As ocupações dos viadutos e as formas do acolhimento na arquitetura, 2012a. Disponível em: http://fernandofuao.blogspot.com.br. Acessado em janeiro 2022.

FUÃO, Fernando Freitas. A hospitalidade na arquitetura. Porto Alegre: UFRGS, 2012b.

NETTO, Vinicius M. A urbanidade como devir do urbano. In: Douglas Aguiar; Vinicius M. Netto. (Org.). Urbanidades. 1 ed. Rio de Janeiro, v. 1, p. 33-60. 2012.

HEIDEGGER, Martin. Construir, Habitar, Pensar. In: Ensaios e Conferências. (trad.) Márcia Sá Cavalcante Schuback. 2ª ed. Petrópolis: Vozes, 2006.

HOLANDA, Frederico. O espaço de exceção. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2002.

KINSLER, Paul. A new introduction to spatial dispersion: reimagining the basic concepts. Photonics And Nanostructures - Fundamentals and Applications, v. 43, p. 1-8, fev. 2021.

KRAFTA, Rômulo. Impressões digitais da urbanidade. In: Douglas Aguiar; Vinicius M. Netto. (Org.). Urbanidades. 1 ed. Rio de Janeiro, v. 1, p. 115-134, 2012.

Downloads

Publicado

24-01-2023

Como Citar

GRUB, J.; SOUZA SILVA, A. .; COLUSSO, I.; NECKEL, A.; LIELL, W. QUALIDADE ESPACIAL A PARTIR DA PERCEPÇÃO DO OBSERVADOR EM MOVIMENTO. Revista Projetar - Projeto e Percepção do Ambiente, [S. l.], v. 8, n. 1, p. 15–27, 2023. DOI: 10.21680/2448-296X.2023v8n1ID28447. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/revprojetar/article/view/28447. Acesso em: 29 fev. 2024.