ARQUITETURA DE INTERIORES AMIGÁVEL A CRIANÇA COM TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA: ADAPTAÇÃO DE DORMITÓRIO

Autores

  • Lucas Barbosa da Silveira Rodrigues Universidade Federal de Pelotas - UFPel
  • Robson Oliveira Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-Rio-Grandense IFSUL
  • Isabela Andrade Universidade Federal de Pelotas UFPEL

DOI:

https://doi.org/10.21680/2448-296X.2023v8n3ID31437

Palavras-chave:

Autismo, Inclusão, Interiores, Ambiente construído

Resumo

Este trabalho foi constituído acerca da experiência de projetar a arquitetura de interiores de uma residência unifamiliar, com estrutura familiar composta por mãe, pai e filho, na qual este possui diagnóstico de Transtorno do Espectro Autista (TEA). O objeto de estudo trata-se do processo projetual de interiores para a reforma do dormitório infantil, que era subutilizado pela criança em decorrência das incompatibilidades do espaço físico com as suas características como criança e como pessoa com TEA. No processo de projeto, algumas soluções foram implementadas através de uma metodologia empática ao usuário e fundamentada na literatura que trata sobre autismo e desenvolvimento infantil. Como resultado desse processo, o dormitório reformado permitiu apropriação pela criança, o que representa um referencial de projeto de sucesso. Como as normas de acessibilidade das edificações não fazem luz sobre como projetar para autistas, este trabalho pode ser um auxílio para projetistas que necessitem conhecer modelos de projetos amigáveis às pessoas com TEA.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALVARES, Sandra Leonora. Programando a Arquitetura Escolar: a relação entre Ambientes de Aprendizagem, Comportamento Humano no Ambiente Construído e Teorias Pedagógicas. 2016. 372f. Tese (Doutorado em Arquitetura, Tecnologia e Cidade) – Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo da Unicamp, Campinas, 2016. Acesso em 21/12/2022.

American Psychiatric Association. Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais. 5ª edição. DSM - 5, Artmed, 992 p. Porto Alegre - RS, 2014.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 9050: Acessibilidade a edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos. Rio de Janeiro: ABNT, 2020.

BEYER, Sabine. Uma Introdução à Arquitetura nas Pedagogias Alternativas. 2015. ArchDaily Brasil. Disponível em: https://www.archdaily.com.br/br/774406/uma-introducao-a-arquitetura-nas-pedagogias-alternativas. Acesso em: 21/12/2022.

BRASIL. Lei nº 12.764, de 27 de Dezembro de 2012. Institui a Política Nacional de Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista; e altera o § 3º do art. 98 da Lei nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12764.htm>. Acesso em: 26 de Janeiro de 2021.

BURKITT, Esther; BARRETT, Martyn; DAVIS, Alyson. Children's colour choices for completing drawings of affectively characterised topics. The Journal of child psychology and psychiatry. 08 October 2003.

CAMINHA, R. C. Autismo: um transtorno de natureza sensorial? Dissertação (Mestrado em Psicologia) - Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. 71 f. Rio de Janeiro/ RJ. 2008.

DUARTE, Cristiane Rose de Siqueira; COHEN, Regina; Acessibilidade Emocional, p.6-10 . São Paulo: Blucher, 2018.

DUARTE, Cristiane Rose de S. A empatia espacial e sua implicação nas ambiências urbanas. In Revista Projetar. Natal, v.1. n.1. outubro 2015, p. 70-76.

FARINA, Modesto; PEREZ, Clotilde; BASTOS, Dorinho. Psicodinâmica das cores em comunicação. Blucher. 6º Ed. 1982.

GRANDIN, Temple; PANEK, Richard. O cérebro autista: Pensando através do espectro. 1. ed. Rio de Janeiro: Editora Record, 2015.

MELO, Rosane. Psicologia ambiental: uma nova abordagem da psicologia. Psicologia-USP. São Paulo. 2(1/2): 85-103. 1991.

MILARSKI, L. M. O método Montessori: uma adaptação do Colégio Nossa Senhora de Sion. 2007. 41 f. Monografia (Especialização) – Faculdade de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Tuiuti do Paraná, Curitiba, 2007.

MONTESSORI, M. Pedagogia científica: a descoberta da nova criança. Trad. Aury Azélio Brunetti. São Paulo: Flamboyant, 1965.

MOSTAFA, Magda. Architecture for autism: Built environment performance in accordance to the autism ASPECTSS™ design index. Design Principles and Practices An International Journal - Annual Review. 2015.

MOSTAFA, Magda. The Autism Friendly University Design Guide. 2021. Disponível em: . Acesso em: 04 de maio de 2021.

NEUFERT, Ernest. A Arte de Projetar em Arquitetura. 18a edição. São Paulo: Gustavo Gili. 2013, 567p.

NEUMANN, Helena Rodi; MIYASHIRO, Larissa Akemi Silva; PEREIRA, Larissa Victorino. Arquitetura Sensível ao Autista: Quais diretrizes de projeto adotar? Estudos em Design | Revista (online). Rio de Janeiro: v. 29 | n. 2 [2021], p. 60 – 77

ORTEGA, Francisco. Deficiência, autismo e neurodiversidade. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 14, n. 1, p. 67-77, 2009. Acesso em: 09 de Junho de 2020. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232009000100012&lng=en&nrm=iso>.

PESSOA, A. F. Método pedagógico montessoriano contemporâneo e suas implicações na educação infantil. Revista de Pesquisa Interdisciplinar, Cajazeiras, n. 2, suplementar, p. 320- 332, setembro. 2017.

POSAR, Annio; VISCONTI, Paola. Alterações sensoriais em crianças com transtorno do espectro do autismo. J. Pediatr. (Rio J.), v. 94, n. 4, p. 342-350. Porto Alegre, 2018. Disponível em : <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0021-75572018000400342&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em: 23 de Abril de 2020.

RAINS, Scott. Accessibility is not Inclusion. In: New Mobility Magazine. Janeiro de 2011. Disponível em: <http://www.newmobility.com>

ROSSI, A. dos S. Diálogos de uma educação libertadora: de Montessori a Paulo Feire. 2015. Disponível em: <http://acervo.paulofreire.org:8080/jspui/bitstream/7891/4293/1/FPF_PTPF_01_0942.pdf>. Acesso em: 27/08/2019.

SILVA, Ana Beatriz Barbosa; GAIATO, Mayra Bonifácio; REVELES, Leandro Thadeu. Mundo Singular: entenda o autismo. Fontanar, 2012.

SOMMER, R. ; SOMMER, B. A practical guide to behavioral research: Tools and techniques. New York: Oxford Press, 2002.

VERGARA, Lizandra Garcia Lupi; TRONCOSO, Marcia Urbano; RODRIGUES, Gabriela Vargas; Acessibilidade Entre Mundos: uma arquitetura mais inclusiva aos autistas, p. 536-546 . In: . São Paulo: Blucher, 2018. ISSN 2318-6968, DOI 10.5151/eneac2018-043

VILLAROUCO, Vilma; COSTA, Ana Paula Lima; Metodologia de configuração de ambiente construído: um caminho para integrar a ergonomia e a arquitetura, p. 195-203 . In: 1º Congresso Internacional de Ergonomia Aplicada. Blucher Engineering Proceedings, v.3 n.3]. São Paulo: Blucher, 2016.

Downloads

Publicado

23-09-2023

Como Citar

BARBOSA DA SILVEIRA RODRIGUES, L.; OLIVEIRA DA SILVA, R.; FERNANDES ANDRADE, I. ARQUITETURA DE INTERIORES AMIGÁVEL A CRIANÇA COM TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA: ADAPTAÇÃO DE DORMITÓRIO. Revista Projetar - Projeto e Percepção do Ambiente, [S. l.], v. 8, n. 3, p. 198–211, 2023. DOI: 10.21680/2448-296X.2023v8n3ID31437. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/revprojetar/article/view/31437. Acesso em: 7 dez. 2023.