CRIMINALIDADE FEMININA: DESESTABILIDADE FAMILIAR E AS VÁRIAS FACES DO ABANDONO

Autores

  • Brenda Karolina Guedes Davim Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Cátia Santos Lima Universidade Federal do Rio Grande do Norte

DOI:

https://doi.org/10.21680/2318-0277.2016v4n2ID11791

Resumo

Hoje, o Brasil possui um sistema prisional longe do ideal de ressocialização. Foi observado que a constante falta de expectativas que permeia a vida das mulheres em situação de vulnerabilidade também se mostra presente além dos muros do cárcere. A partir dessa situação, surge a necessidade de explanar a raiz desses problemas e suas implicações práticas na vida das detentas.  

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Brenda Karolina Guedes Davim, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Graduanda do curso de Direito da UFRN. Membra no Núcleo Penitenciário do projeto de extensão Motyrum de Educação Popular Em Direitos Humanos. Membra do Corpo Editorial da Revista Transgressões: ciências criminais em debate. 

Cátia Santos Lima, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Graduanda do terceiro período de Direito na UFRN. Membra do projeto de extensão Motyrum de educação popular em direitos humanos, atuante no Núcleo Urbano.

Referências

BRASIL. Lei de Execução Penal. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L7210compilado.htm>. Acesso em: 06 set. 2016.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constituicao.htm>. Acesso em: 06 set. 2016.

BUGLIONE, Samantha. A Mulher Enquanto Metáfora do Direito Penal. Jus Navigandi, Teresina, ano 5, n. 38, 1 jan. 2000. Disponível em: <https://jus.com.br/artigos/946/a-mulher-enquanto-metafora-do-direito-penal>. Acesso em: 10 set. 2016.

CERNEKA, Heid Ann. Homens que Menstruam: Considerações Acerca do Sistema Prisional às Especificidades da Mulher. Disponível em: <http://www.domhelder.edu.br/veredas_direito/pdf/60_77.pdf> Acesso em: 10 set. 2016.

CHAVES, Geysa. Se eu Não Tivesse Amor. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=TF8S5oGkL-c> Acesso em: 01 jun. 2016.

CORDEIRO, Quirino et al. Saúde Mental da Mulher Presa. Disponível em:

<http://www.polbr.med.br/ano14/for0214.php> Acesso em: 09 set. 2016.

COSTA, Ana Cláudia. Abandono, A Pena Mais Sofrida de Mulheres nas Prisões do Rio. Disponível em: < http://oglobo.globo.com/rio/abandono-pena-mais-sofrida-de-

mulheres-nas-prisoes-do-rio-16313782> Acesso em: 10 set. 2016.

DE MORAIS COLOMBAROLI, Ana Carolina. Violação da Dignidade da Mulher no Cárcere: Restrições à Visita Íntima nas Penitenciárias Femininas. Disponível em: < https://goo.gl/HJsvrT>. Acesso em: 04 jun. 2016.

DUTRA, Thaise. A Criminalidade Feminina com Relação ao Tráfico de Drogas, Frente à Lei 11.343/06. Disponível em: <http://www3.pucrs.br/pucrs/files/uni/poa/direito/graduacao/tcc/tcc2/trabalhos2012_2/thaise_dutra.pdf>. Acesso em: 10 set. 2016.

FAVERO, Daniel. Presas se Sentem Mais Livres pra Ser Gays na Prisão. Disponível em: <https://noticias.terra.com.br/brasil/policia/presas-se-sentem-mais-livres-para-serem-gays-na-prisao,cf08df5e2a169410VgnVCM3000009af154d0RCRD.html> Acesso em: 09 set. 2016.

FRANCISCO, Renata Souza. Homossexualidade Feminina: O Caso do Presídio Feminino Carlos Tinoco da Fonseca em Campos dos Goytacazes. Disponível em: <http://essentiaeditora.iff.edu.br/index.php/vertices/article/view/1809-2667.20150001/3749> Acesso em: 08 set. 2016.

GRECO, Rogério. Direitos humanos, Sistema Prisional e Alternativas à Privação de Liberdade. São Paulo: Editora Saraiva, 2011.

LEMGRUBER, Julita. Cemite?rio Dos Vivos: Ana?lise Sociolo?gica De Uma Prisa?o De Mulheres. Rio de Janeiro: Achiame?, 1983. Print.

MELLO, Daniela Canazaro de. Quem São as Mulheres Encarceradas. Disponível em: <http://tede.pucrs.br/tde_arquivos/20/TDE-2009-03-24T055431Z-1769/Publico/409563.pdf> Acesso em: 07 set. 2016.

SBT. Mães do cárcere. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=eI0jEdet63A>. Acesso em: 04 jun. 2016.

SULZBACH, Liliana. O cárcere e a Rua. Disponível em:

<https://www.youtube.com/watch?v=fr3blY9FlOo>. Acesso em: 03 jun. 2016.

OLIVEIRA, Renata. Transtornos Mentais Atingem 68% das Presas do Estado de São Paulo. Disponível em: <http://www.revistaforum.com.br/2016/06/23/transtornos-mentais-atingem-68-das-mulheres-encarceradas-no-estado-de-sao-paulo-2/> Acesso em: 09 set. 2016.

QUEIROZ, Nana. Presos que Menstruam: a brutal vida das mulheres – tratadas como homens – nas prisões brasileiras. São Paulo: Editora Record, 2015.

Downloads

Publicado

08-04-2017

Como Citar

DAVIM, B. K. G.; LIMA, C. S. CRIMINALIDADE FEMININA: DESESTABILIDADE FAMILIAR E AS VÁRIAS FACES DO ABANDONO. Revista Transgressões, [S. l.], v. 4, n. 2, p. 138–157, 2017. DOI: 10.21680/2318-0277.2016v4n2ID11791. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/transgressoes/article/view/11791. Acesso em: 16 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos