O TEMPO DAS ELEIÇÕES: AS ESPIONAGENS E OS USOS DAS LEIS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21680/2238-6009.2021v1n57ID27416

Resumo

Na sociologia, a regulação judicial das disputas políticas foi chamada de judicialização da política e quando as leis são usadas como arma para prejudicar o adversário, concebe-se que estamos diante de um lawfare. Influenciada por esses temas, neste artigo analiso a mobilização de uma facção política em torno da realização de denúncias à justiça eleitoral, questionando como as leis foram usadas pelos oponentes. Assim, a partir de uma análise reflexiva sobre o trabalho de campo que realizei no contexto eleitoral de um pequeno município do interior do estado do Rio de Janeiro, verifiquei que a espionagem entre os grupos era um elemento central nesta dinâmica de guerra jurídica, pois proporcionava materiais a fim de elaborar denúncias. Sobretudo, evidencio que a guerra jurídica faz parte de um processo histórico no qual o poder judiciário foi fortalecido e que este momento histórico enseja novas questões para a antropologia (da) política.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

02-12-2021

Como Citar

AGUIAR, M. F. de . O TEMPO DAS ELEIÇÕES: AS ESPIONAGENS E OS USOS DAS LEIS. Vivência: Revista de Antropologia, [S. l.], v. 1, n. 57, 2021. DOI: 10.21680/2238-6009.2021v1n57ID27416. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/vivencia/article/view/27416. Acesso em: 24 maio. 2022.

Edição

Seção

Fluxo Contínuo/Continuous Flow