PERCEPÇÃO DOS CONTADORES QUANTO ÀS DIFICULDADES DE COMPETÊNCIA TÉCNICA PARA A IMPLANTAÇÃO DO SPED NAS ENTIDADES DO TERCEIRO SETOR, EM CUMPRIMENTO À INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 1.510/2014

  • Amanda de Lima Marques da Silva Universidade Federal de Pernambuco
  • Elayne Patrícia Ribeiro de Santana Azevedo Universidade Federal de Pernambuco
  • Ana Lúcia Fontes de Souza Vasconcelos Universidade Federal de Pernambuco
  • Márcia Ferreira Neves Tavares Universidade Federal de Pernambuco
  • Marcelo Jota Gomes Universidade Federal de Pernambuco
Palavras-chave: SPED. Competência técnica. Terceiro Setor.

Resumo

O objetivo deste estudo é analisar a percepção dos contadores quanto às dificuldades de competência técnica para a implantação do Sistema Público de Escrituração Digital (SPED) nas entidades do terceiro setor. A proposta é contribuir para um maior entendimento dos problemas de competência profissional subjacentes à implantação do SPED, bem como sensibilizar os profissionais da área para a relevância de fomentar ações de educação continuada. A população estudada é constituída pelos operadores dos escritórios de contabilidade, com atuação nas capitais brasileiras no ano de 2015, cadastrados juntamente à Federação Nacional das Empresas de Serviços Contábeis e das Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas (FENACON). Para tanto, utilizou-se de amostragem não probabilística, caracterizada por conveniência, e para obtenção dessa amostra, foi enviada uma mensagem de correio eletrônico aos operadores de contabilidade de 140 escritórios pertencentes às diversas capitais brasileiras, com o link do questionário elaborado via Google Docs e disponível para aceitação das respostas no período de outubro e novembro de 2015. Os resultados detectam deficiências significativas quanto à formação técnica que, muitas vezes, não são compatíveis com os conhecimentos exigidos para implantação eficaz do SPED no Terceiro Setor e da falta de uma maior atuação do controle interno da organização.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALONSO, L. B. N.; FERNEDA, E.; BRAGA, L. V. Governo Eletrônico e Políticas Públicas: análise sobre o uso da certificação digital no Brasil. Inf. & Soc.: Est., João Pessoa, v.21, n.2, p. 13-24, maio/ago. 2011.

BOYATZIS, R. E. The competente manager: a model for effective performance. New York: John Wiley & Sons, 1982.

BRANDÃO, H. P.; BORGES-ANDRADE, J. E. Causas e efeitos da expressão de competências no trabalho: para entender melhor a noção de competência. Revista de Administração Mackenzie, v. 8, n. 3, p. 32-49, 2007.

BRASIL. Conselho Nacional de Política Fazendária. Convênio 57, de 28 de junho de 1995. Dispõe sobre a emissão de documentos fiscais e a escrituração de livros fiscais por contribuinte usuário de sistema eletrônico de processamento de dados. Diário Oficial da União, Brasília, 30 jun. 1995.

CAMPOS, S. J. de B. Competências necessárias à implementação eficaz do SPED: percepção dos operadores da Contabilidade do RN. Dissertação (mestrado) - Universidade de Brasília, Universidade Federal da Paraíba, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Programa Multiinstitucional e Inter-Regional de Pós-Graduação em Ciências Contábeis, 2012.

CARDOSO, R. L.; RICCIO, E. L. Existem competências a serem priorizadas no desenvolvimento do contador: um estudo sobre os contadores brasileiros. Revista de Gestão, São Paulo, v. 17, n. 3, p. 353-367, jul/set. 2010.

CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE. Manual de procedimentos contábeis e prestação de contas das entidades de interesse social. 2.ed. Brasília: CFC, 2004. Disponível em: <http://www.cfc.org.br/uparq/Livro_ManualFundacoes2ed.pdf.> Acesso em: 09 out. 2015.

DURAND, T. The Alchemy of Competence, in Strategic Flecibility: Managing in a Turblent Enviroment.S.l: Thomas editors, John Wilet, 1998.

FILHO, G. M. da S.; RUFINO, M. A.; FILHO, P. A. L. Impacto nos custos decorrentes da adoção do SPED: Um estudo realizado em empresas do município de João Pessoa. Registro Contábil – UFAL – Maceió/AL, Vol. 6, Nº 1 , p.1-20, jan/abr. 2015.

FLEURY, M. T. L. FLEURY, A. Construindo o conceito de competência. Revista de Administração Contemporânea (RAC), Curitiba, v. 5, edição especial, p. 183-196, 2001.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

GRANT, G.; CHAU, D. Developing a generic framework for e-government. Journal of Global Information Management. v. 13, n. 1, Jan./Mar. 2005.

IOSCHPE, E. B. (org.). Terceiro Setor: desenvolvimento social sustentado. São Paulo/Rio de Janeiro: Gife/Paz e Terra, 1997.

JORDÃO, R. V. D.; SILVA, M. S.; VASCONCELOS, M. C. R. L.; BRASIL, H. G. Um caleidoscópio de perspectivas sobre o Sistema Público de Escrituração Digital – SPED. Revista Contemporânea de Contabilidade, UFSC, Florianópolis, v. 12, n 26, p. 119-140, mai./ago. 2015.

KOLSAKER A.; LEE-KELLEY L. 'Mind the gap': e-Government and e-democracy. International Conference on Electronic Government. EGOV, Electronic Government pp 96-106. 2006.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. A. Fundamentos de metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2003.

LUCENA, W. G. L.; FERNANDES, M. S. A.; SILVA, J. D. G. A contabilidade comportamental e os efeitos cognitivos no processo decisório: uma amostra com operadores da contabilidade. Revista Universo Contábil, Blumenau, v. 7, n. 3, p. 41-58, jul./set. 2011.

MACHADO, L. P.; ALMEIDA, A. Turismo: inovação e novas tecnologias. Porto: Sociedade Portuguesa de Inovação Consultoria Empresarial e Fomento da Inovação, 2010.

MCCLELLAND, D. C. Testing for competence rather than for intelligence. American Psychologist. V. 28, n. 1, p.1-14, Jan. 1973.

MEZZAROBA, M. P. Requisitos para Avaliação de Portais de Governo Eletrônico do Poder Judiciário a Partir das Resoluções e Metas do CNJ. Dissertação, 229 fl. Pós Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento da Universidade Federal de Santa Catarina, 2015.

PORTAL TRIBUTÁRIO. Escrituração Contábil Digital. Disponível em: <http://www.portaltributario.com.br/artigos/ecf-escrituracao-contabil-fiscal.htm> Acesso em: 20 out. 2015.

RUSCHEL, M. E.; FREZZA, R.; UTZIG, M. J. S. O impacto do SPED na Contabilidade desafios e perspectivas do profissional contábil. Revista Catarinense da Ciência Contábil – CRCSC – Florianópolis, v. 10, n. 29, p. 9-26, abr./jul. 2011.

SCHELIN, S. H. E-government: an overview. In: GARSON, D. G. Public information technology: policy and management issues. Hershey: Idea Group Publishing, 2003.

SEVERINO, A. J. Metodologia do trabalho científico. 23 ed. São Paulo: Cortez, 2007.

SILVA, A. C. R. Metodologia da pesquisa aplicada à contabilidade. 3. Ed. São Paulo: Atlas, 2010.

SPENCER JR., L. M.; SPENCER, S. M. Competence at work: models for superior performance. New York: John Wiley, 1993.

SPIRAKIS G.; SPIRAKI C.; NIKOLOPOULOS K. The impact of electronic government on democracy: E-democracy through e-participation. Electronic Government, an International Journal (EG), Vol. 7, No. 1, 2010.

Publicado
09-01-2018
Como Citar
DA SILVA, A. DE L. M.; AZEVEDO, E. P. R. DE S.; VASCONCELOS, A. L. F. DE S.; TAVARES, M. F. N.; GOMES, M. J. PERCEPÇÃO DOS CONTADORES QUANTO ÀS DIFICULDADES DE COMPETÊNCIA TÉCNICA PARA A IMPLANTAÇÃO DO SPED NAS ENTIDADES DO TERCEIRO SETOR, EM CUMPRIMENTO À INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 1.510/2014. REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036, v. 10, n. 1, p. 347-370, 9 jan. 2018.
Seção
ARTIGOS