Análise envoltória de dados para avaliação da eficiência financeira das cooperativas de eletrificação do sul do Brasil

Palavras-chave: Desempenho Organizacional; Desempenho Econômico-financeiro; Análise envoltória de dados (DEA); cooperativas de eletrificação

Resumo

Objetivo: O presente estudo teve por objetivo analisar a eficiência financeira das cooperativas de eletrificação localizadas na região sul do Brasil, no período entre 2012 a 2016.

Metodologia: A pesquisa caracteriza-se como descritiva, de levantamento, documental com abordagem quantitativa por meio da modelagem matemática de Análise Envoltória de Dados (DEA).

Resultados: Os resultados da pesquisa mostraram que, em média, as cooperativas de eletrificação obtiveram nível de eficiência acima de 0,94 no período investigado. A técnica DEA apresentou a necessidade de redução dos seguintes insumos: despesas operacionais, ativo não circulante, consumo de energia elétrica, quantidade adquirida de energia elétrica, quantidade de colaboradores. Por outro lado, indicou a necessidade de aumento dos produtos faturamento e quantidade de consumidores. Diante dos resultados conclui-se que das 27 cooperativas pesquisadas, 13 (48%) delas apresentaram níveis de eficiência máxima (1,00). A partir desses resultados, pode-se inferir que são necessárias ações gerenciais para que se alcance a eficiência financeira nas cooperativas ineficientes, pois a sustentabilidade financeira é um dos pilares importantes para continuidade da prestação de serviço público de distribuição de energia, sustentabilidade organizacional e desenvolvimento socioeconômico. Os resultados mostram que a DEA é um instrumento gerencial importante para a avaliação de desempenho, pois evidencia o nível de eficiência das operações e aponta as ações gerenciais que são necessárias para melhorar o desempenho organizacional.

Contribuição: Como contribuição teórica, a pesquisa mostra a aplicabilidade da técnica de Análise Envoltória de Dados para análise da eficiência financeira de cooperativas, como instrumento de avaliação multicritério de desempenho organizacional. No âmbito prático, esta pesquisa propicia subsídio à gestão das cooperativas de eletrificação, ao recomendar que tenham maior atenção às ações gerenciais para que se alcance a eficiência financeira.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mariane Martins Scheffer, Graduada em Ciências Contábeis pela Universidade do Extremo Sul Catarinense (UNESC), Brasil

Graduada em Ciências Contábeis pela Universidade do Extremo Sul Catarinense (UNESC), Brasil

Januário José Monteiro, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Doutorando no Programa de Pós-Graduação em Contabilidade (PPGC) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Cleyton de Oliveira Ritta, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Doutor em Ciências Contábeis e Administração pela Universidade Regional de Blumenau-FURB. Professor Doutor do departamento de Contabilidade (PPGC) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Brasil.

Referências

Agência Nacional de Energia Elétrica - ANEEL. Informações técnicas. (2018). Recuperado em 26 de junho, 2018, de http://www.aneel.gov.br/informacoes-tecnicas.

Agência Nacional de Energia Elétrica - ANEEL. Nota Técnica n. 111, de 29 de junho de 2016. (2016). Instituição de indicadores públicos de sustentabilidade econômico-financeira. Recuperado em 27 de novembro, 2018, de http://www2.aneel.gov.br/aplicacoes/consulta_publica/documentos/Nota_Tecnica_2016_111.pdf

Azeredo, A. J., Souza, A. S., & Machado, D. G. (2009). Desempenho econômico-financeiro de indústrias calçadistas brasileiras: uma análise do período de 2000 a 2006. Revista de Contabilidade e Organizações, 3(6), 117-142.

Bomfim, P. R. C. M., Almeida, R. S. D., Gouveia, V. A. L., Macedo, M. A. D. S., & Marques, J. A. V. D. C. (2011). Utilização de análise multivariada na avaliação do desempenho econômico-financeiro de curto prazo: uma aplicação no setor de distribuição de energia elétrica. Revista ADM. MADE, 15(1), 75-92.

Bonilha, U., & Goulart, D. (2002). Uma avaliação do desempenho do setor de distribuição de energia elétrica. Revista Economia e Desenvolvimento, 1(14), 41-60.

Charnes, A., Cooper, W. W., & Rhodes, E. (1978). Measuring the efficiency of decision making units. European Journal of Operational Research, 2(6), 429-444.

Gil, A. C. (2008). Métodos e técnicas de pesquisa social (6a ed.) São Paulo: Atlas.

Instituto Millenium. (2018). 5 medidas urgentes para o setor elétrico em 2018. Recuperado em 03 dezembro, 2018, de https://exame.abril.com.br/blog/instituto-millenium/5-medidas-urgentes-para-o-setor-eletrico-em-2018/.

Leite, M., Guse, J. C., & Silva, T. P. (2014). Análise de desempenho econômico financeiro de empresas de logística brasileiras e chilenas. Anais do Simpósio de Administração da Produção, Logística e Operações Internacionais, São Paulo, SP, Brasil, 7.

Mello, J. C. C. B. S. et al. (2005). Curso de análise de envoltória de dados. Anais do Simpósio Brasileiro de Pesquisa Operacional, Gramado, RS, Brasil, 37.

Moreira, P. M., & Zordan, J. (2009). Energia e inclusão no meio rural. Agroanalysis, 29(09), 46-47.

Muller, C. J. (2013). Planejamento estratégico, controle e processos: uma integração necessária. São Paulo: Atlas.

Munaretto, L. F. (2013). Avaliação de desempenho organizacional em cooperativas de eletrificação: um estudo sobre o uso de indicadores de desempenho. Tese de Doutorado. Doutorado em Administração, Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil.

Munaretto, L. F., & Corrêa, H. L. (2017). Relação entre o Uso e Finalidade dos indicadores de Medição de desempenho: o caso das cooperativas de eletrificação no Brasil. Revista de Administração da Universidade Federal de Santa Maria, 10(4), 747-766.

Nascimento, R L. (2016). Cooperativas de eletrificação rural. Consultoria legislativa câmara de deputados. Estudo técnico.

Organização das Cooperativas do Estado de Santa Catarina - OCESC. (2018). Perguntas e respostas. Recuperado em 26 de novembro, 2018, de http://www.ocesc.org.br/secao/cooperativas_faq.

Padoveze, C. L. (2015). Controladoria estratégica e operacional (3a ed.). São Paulo: Atlas.

Padoveze, C L. (2007). Contabilidade gerencial: um enfoque em sistema de informação contábil (5a ed.). São Paulo: Atlas.

Pelegrini, M. A. A. (2003). Regulação das cooperativas de eletrificação. Tese de Doutorado. Doutorado em Engenharia, Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil.

Pessanha, J. F. M., Souza, R. C., & Laurencel, L. D. C. (2007). Um modelo de análise envoltória de dados para o estabelecimento de metas de continuidade do fornecimento de energia elétrica. Pesquisa Operacional, 27(1), 51-83.

Pimentel, F. D., Taveira, L. D. B., Barros, C. C., & Penha, R. S. (2017). Indicadores financeiros para a avaliação de desempenho de empresas de construção civil. Anais do Congresso UFU de Contabilidade, Uberlândia, MG, Brasil, 2.

Richardson, R J. (2015). Pesquisa social: métodos e técnicas (3a. ed.). São Paulo: Atlas.

Schmidt, P. (2002). Controladoria: agregando valor para a empresa. Porto Alegre: Bookman.

Sausen, J. O., Ledermann, M., & Fachi, J. R. (2007). As mudanças estratégicas em uma cooperativa de eletrificação rural: um olhar a partir das escolas de formação de estratégias. Revista de Ciências da Administração, 9(17), 1-18.

Sollero, M. K. V., & Lins, M. P. E. (2004). Avaliação de eficiência de distribuidoras de energia elétrica através da análise envoltória de dados com restrições aos pesos. Anais do Simpósio Brasileiro de Pesquisa Operacional, São João Del-Rei, MG, Brasil, 36.

Souza, M., Souza, R. C., & Pessanha, J. F. M. (2010). Custos operacionais eficientes das distribuidoras de energia elétrica: um estudo comparativo dos modelos DEA e SFA. Gestão& Produção, 17(4), 653-667.

Publicado
02-01-2021
Como Citar
MARTINS SCHEFFER, M.; MONTEIRO, J. J.; MENDONÇA CARDOSO , J. V.; DE OLIVEIRA RITTA, C. Análise envoltória de dados para avaliação da eficiência financeira das cooperativas de eletrificação do sul do Brasil. REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036, v. 13, n. 1, p. 1-20, 2 jan. 2021.
Seção
Seção 1: Contabilidade Aplicada ao Setor Empresarial (S1)