Balanced scorecard e a questão ambiental: um estudo sobre a percepção dos controllers

Palavras-chave: Balanced Scorecard Ambiental. Controller. Percepção

Resumo

Objetivo: A presente pesquisa objetivou analisar a percepção dos controllers sobre o Balanced Scorecard e a questão ambiental e descrever o perfil destes profissionais.

 Metodologia: Metodologicamente, é uma pesquisa exploratória-descritiva de abordagem quantitativa, com procedimento do tipo survey. O tratamento dos dados foi feito por meio da estatística descritiva. O período de coleta foi de novembro de 2018 a janeiro de 2019 ao qual foram enviados 343 questionários para um grupo de profissionais controllers que fazem parte na rede sociais LinkedIn do Brasil que atuam ou atuaram nesta função, logrando êxito em 27 questionários respondidos.  

 Resultados: Os respondentes tem idade entre 35 e 44 anos. 77,78% tem formação em Ciências Contábeis, 62,96% possui especialização. Possuem em média 11 anos de formação e 16 anos de atuação profissional como controller. Sobre a percepção dos respondentes em relação ao Balanced Scorecard e a questão ambiental, constatou-se que duas nomenclaturas foram bem aceitas, sendo elas: Balanced Scorecard Sustentável e Green Balanced Scorecard. Tendo estes, uma estrutura composta por indicadores ambientais inseridos em suas quatro perspectivas tradicionais.

Contribuições do Estudo: é um tema atual e relevante dentro do contexto da gestão e contabilidade e também das ferramentas de gestão empresarial. Uma vez que o BSC é explorado em sua forma tradicional. A partir da revisão bibliográfica identificaram-se poucos estudos sobre o BSC e a questão ambiental. Com isto, a pesquisa buscou contribuiu de forma empírica evidenciando o que os profissionais da área de controladoria entendem sobre o BSC Ambiental, e a melhor forma que este poderá ser aplicado nas organizações.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria do Rosário da Silva, Professora do Curso de Ciências Contábeis - UNINASSAU

Mestre em Controladoria pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE).

Antônio André Cunha Callado , Professor Titular do Departamento de Administração-Universidade Federal Rural de Pernambuco-UFRPE

Professor Titular do DADM/UFRPE. Bacharel em Administração de Empresas pela Universidade de Fortaleza (1990), Mestre em Administração na área de Finanças de Empresas pelo Curso de Mestrado em Administração da Universidade Federal da Paraíba (1994 - Bolsista CNPq), Doutor em Administração na área de Estratégias Empresariais (linha de pesquisa em Finanças) pelo Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade Federal da Paraíba (2001) e Doutor em Administração na área de Gestão Organizacional (linha de pesquisa em Finanças) pelo Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade Federal de Pernambuco (2009). Pós-Doutorado em Controladoria pela University of Portsmouth (2013 - Bolsista CAPES). Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Controladoria da Universidade Federal Rural de Pernambuco. Membro do Corpo Docente Permanente do Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis da Universidade Federal da Paraíba.

Referências

Amorim, T. N. G. F.; Callado, A. A. C.; Silva, B. (2015). Competências Da Função De Controller: Evidências Da Presença De Isomorfismo Mimético Entre Hotéis De Grande Porte Da Região Metropolitana Do Recife. Anais Do 6º Congresso UFSC De Contabilidade E Finanças. Santa Catarina, RS, Brasil.

Amorim, T. N. G. F.; Silva, L. B. (2018). Profissionais Da Controladoria: Competências E Demandas Organizacionais. Revista Ambiente Contábil Da Universidade Federal Do Rio Grande Do Norte, 11 (1), 220-236.

Atkinson, A. A.; Banker, R.D.; Kaplan, R. & Young, S.M. (2000). Contabilidade Gerencial. São Paulo: Atlas.

Azzone, G.; Noci, G.; Manzini, R.; Welford, R.; Young, C. W. (2006). Defining Environmental Performance Indicators: Integrated Framework. Business Strategy And The Environment. 5 (2), 69-80.

Banegas, O; R.; Nevada, P. D; Tejada, P. Á. (2000). El Cuadro De Mando Como Instrumento De Control En La Gestión Social: Recursos Humanos Y Medio Ambiente. Revista Española De Financiación Y Contabilidad. 103, 107-147.

Barbosa, D. R.; Milone, G. (2004). Estatística Aplicada Ao Turismo E Hotelaria: Thomson.

Barros, R. M. J. B. (2018). Percepção Sobre A Controladoria: Evidências Empíricas A Partir Das Características Dos Controllers. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal Rural D Pernambuco, Recife, PE, Brasil.

Bastos, A., Proença, A., & Fernandes, A. (2001). Mais Do Que Orientar, Ensinar: O Balanced Scorecard E A Gestão Estratégica. Anais Do Encontro Nacional De Engenharia De Produção, Salvador,BA, Brasil. Recuperado Em 02 Ago. 2018 De Http://Www.Gpi.Ufrj.Br/Artigos.

Beiker, T. (2003). Sustainability Management With The Balanced Scorecard. International Summer Academy On Technology Studies-Corporate Sustainability. 1-17.

Beja, R. (2003). Balanced Scorecard E Desenvolvimento Sustentável. Revisores e Empresas, 23, 7-11.

Bieker, T. (2002). Managing Corporate Sustainability With The Balanced Scorecard: Developing A Balanced Scorecard For Integrity Management. Summer Academy, Foundation For Economy And Ecology University Of St. Gallen. 1-20.

Bieker, T.; Gminder, C. Towards. (2001). A Sustainability Balanced Scorecard. Summer Academy, Foundation For Economy And Ecology, University Of St. Gallen.

Bieker, T; Waxenberger, B. (2002). Sustainability Balanced Scorecard Business Ethics – Developing A Balanced Scorecard For Integrity Management. International Conference Of The Greening Of Industry Network, 10.

Bonacchi, M; Rinaldi, L. (2007). Sustainable Development Performance And Sustainability:Are Stakeholders The Missing Link? Invited Seminars Of The University Of Virginia, Darden School Of Business (USA).

Burlin, L.R.; Cia, J.N.S.(2007). Transformando Estratégia Em Resultados: Um Estudo Sobre A Eficácia Do Modelo Balanced Scorecard (Bsc). Anais do Congresso Brasileiro De Custos, João Pessoa, PB, Brasil.

Campos, J. A. (1998). Cenário Balanceado: Painel De Indicadores Para Gestão Estratégica Dos Negócios. São Paulo: Aquariana.

Campos, L. M. S. Sgada. (2001). Sistema De Gestão E Avaliação De Desempenho Ambiental. Uma Proposta De Implementação. Tese de Doutorado. Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, Brasil.

Cooper, D. R.; Schindler, P. S. (2016). Métodos De Pesquisa Em Administração. 12ª Ed. Mcgraw Hill Brasil.

Creswell, J. W.(2010). Projeto De Pesquisa: Métodos Qualitativo, Quantitativo E Misto; Tradução Magda Lopes. 3. Ed. - Porto Alegre: Artmed.

Daft, R.L.; Marcic, D. (2004). Understanding Management. Versailles: Thomson- South-Western. 573.

Deconto, E. (2001). O Emprego De Um Sistema De Mensuração De Desempenho Empresarial Como Instrumento De Apoio Ao Controle Gerencial De Uma Indústria Metalúrgica. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal Do Rio Grande Do Sul. Porto Alegre, RS, Brasil.

Durán, O.; Puglia, V. B. (2007). Scorecard Ambiental: Monitoração Dos Custos Ambientais Através Da Web. Revista Chilena De Ingeniería, 15, (3), 291-301.

Ferrari, M. J.; Cunha, L. C.; Lunkes, R. J.; Borgert, A.(2013). O Perfil Do Controller Sob A Ótica Do Mercado De Trabalho Nacional. Revista De Informação Contábil, 7, (3), 25-50.

Figge, F.; Hahn, T.; Schaltegger, S.; Wagner, M. (2002). Sustainability Balanced Scorecard–Linking Sustainability Management To Business Strategy. Business Strategy And The Environment, 11, (5) 269-284.

García, J. G. (2007). Perspectiva Ambiental Del Cuadro De Mando Integral De Una Organización. Aplicación De La Inteligencia De Negocio. Ingeniería Química –Madrid, 39, (448), 70-79.

Gerhardt, T. E; Silveira, D. T.(2009). Métodos De Pesquisa. Plageder.

Hockerts, K.; O'rourke, A. (2002). The Balanced Scorecard A Tool To Manage Social Sustainability. Anais de Proceedings International Conference Of The Greening Of Industry Network, Göteborg, Sweden.

Hubbard, Graham. (2009). Measuring Organizational Performance: Beyond The Triple Bottom Line. Business Strategy And The Environment, 18 (3), 177-191.

Johnson, S. D. (1998). Identification And Selection Of Environmental Performance Indicators: Application Of The Balanced Scorecard Approach. Corporate Environmental Strategy, 5 (4) 34-41.

Kaplan, R. S; Norton, D. P. A. (1997). Estratégia Em Ação: Balanced Scorecard. Tradução De Luiz Euclides Frazão Filho. 15 Ed. Rio De Janeiro: Campus.

Kaplan, R.; Norton, D. (1992). The Balanced Scorecard: Measures That Drive Performance. Harvard Business Review.

Kaplan, R.S.; Norton, D.P. (1996). The Balanced Scorecard: Translating Strategy Into Action. United States Of America.

Kolk, A., & Masuer, A. (2002). The Evolution Of Environmental Management: From Stage Models To Performance Evaluation. Business Strategy And The Environment; Jan/Feb.

Länsiluoto, A.; Järvenpää, M. (2007). Sustainability And Performance Management – A Case Of Implementation Of Sustainable Balanced Scorecard in a Food Processing Company. Anais 30th Annual Congress of the European Accounting Association, 25-27. Lisboa. Portugal.

Lipe, M.G.; Saterio, S.E.(2000). The Balanced Scorecard: Judgmental Effects Of Common And Unique Performance Measures. The Accounting Review. Florida, 75 (3), 283-298.

Macedo, A. V. P.; Queiroz, M. E. A. (2007). Gerenciando E Otimizando A Sustentabilidade Empresarial Através Da Ferramenta Balanced Scorecard: Em Busca Da Mensuração. Anais Do Congresso Virtual Brasileiro De Administração.

Möller, Andreas; Schaltegger, Stefan. (2005). The Sustainability Balanced Scorecard As A Framework For Eco‐Efficiency Analysis. Journal Of Industrial Ecology, 9 (4), 73-83.

Monteiro, P. R. A.; Castro, A. R.; Prochnik, V. (2003). A Mensuração Do Desempenho Ambiental No Balanced Scorecard E O Caso Da Shell. VII Encontro Nacional Sobre Gestão Empresarial E Meio Ambiente FGV/USP, São Paulo, SP.

Neely, A. D., Adams, C., & Kennerley, M. (2002). The Performance Prism: The Scorecard For Measuring And Managing Business Success. London: Prentice Hall Financial Times. 12.

Oliveira. M. F. (2008). Balanced Scorecard: Uma Análise Da Produção Acadêmica Brasileira Na Área De Administração. Dissertação De Mestrado, Universidade Federal De Lavras, Minas Gerais MG, Brasil. 1-2.

Olve, N.G.; Roy, J.; Wetter, M.(1999). Performance Drives: A Pratical Guide To Using The Balanced Scorecard. New York: Wiley.

Olve, Nils-Göran; Roy, Jan; Wetter, Magnus. (2001). Condutores Da Performance: Um Guia Prático Para O Uso Do Balanced Scorecard. Qualitymark Editora Ltda.

Palomino, M. N.; Frezatti, F. R. (2016). Conflict, Role Ambiguity And Job Satisfaction: Perceptions Of The Brazilian Controllers. Revista De Administração. 51 (2), 165-181.

Paula, J. M. S.(2018) Relação entre a mensuração de desempenho e os fatores contingenciais: um estudo na indústria de transformação da região metropolitana de Recife. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal Rural de Pernambuco, Recife, PE, Brasil.

Quesado, P. R.; Rodrigues, L. L..; Guzmán, B. A. (2013). O Balanced Scorecard E A Gestão Ambiental: Um Estudo No Sector Público E Privado Português. Abcustos, 8 (1).

Resumo Técnico: Censo Da Educação Superior 2016.(2018) – Brasília: Instituto Nacional De Estudos E Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira.

Sanches, F. D.; Neto, J. D. P. B.; Pessoa, M. N. M.; Dos Santos, S. M.; Cabral, A. C. (2008). Análise Crítica Sobre As Contribuições Da Utilização Do Balanced Scorecard Em Uma Empresa Estadual De Saneamento. Anais Do Congresso Brasileiro De Custos-ABC.

Santos, M. I. (2010). Consequências Da Implantação Do Balanced Scorecard Nas Companhias Abertas Brasileiras. Dissertação de Mestrado. UNB,UFPB,UFRN. João Pessoa, PB, Brasil.

Shaughnessy, J. J.; Zechmeister, E. B.; Zechmeister, J. S.(2012). Metodologia De Pesquisa Em Psicologia. Amgh Editora.

Sidiropoulos, M.; Mouzakitis, Y.; Adamides, E.; Goutsos, S. (2004). Applying Sustainable Indicators To Corporate Strategy: The Eco-Balanced Scorecard. Environmental Research, Engineering And Management, 1 (27) 28-33.

Silva, M. D. O. P.; Callado, A. A. C. (2011). Análise Qualitativa Modelos De Bsc Estruturados Sob A Ótica Da Sustentabilidade Empresarial. Anais Do Congresso Brasileiro De Custos-ABC.

Silva, M.; Callado, A.(2013). Análise De Modelos De Balanced Scorecard Elaborados A Partir Da Ótica Da Sustentabilidade Através Do Uso Da Matriz Swot. Reunir. 3, 87–103.

Soares, C.R.D. (2001). Desenvolvimento De Uma Sistemática De Elaboração Do Balanced Scorecard Para Pequenas Empresas. Dissertação De Mestrado, Escola De Engenharia Da Universidade Federal Do Rio Grande Do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil.

Tomaél, M. I., Alcará, A. R., & Di Chiara, I. G. (2005). Das redes sociais à inovação. Ciência da informação, 34(2).

Zandonade, V.; Bianco, M. F. (2014). O Trabalho Abstrato E A Noção De Competências: Discutindo Essa Inter-Relação No Contexto Do Trabalho Industrial. Organizações & Sociedade, 21 (70), 443-465.

Publicado
02-01-2021
Como Citar
MARIA DO ROSÁRIO DA SILVA; CUNHA CALLADO , A. A. Balanced scorecard e a questão ambiental: um estudo sobre a percepção dos controllers. REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036, v. 13, n. 1, p. 263-283, 2 jan. 2021.
Seção
Seção 3: Pesquisas de Campo sobre Contabilidade (Survey) (S3)