PROFUT: uma análise da estrutura de capital de times brasileiros

Palavras-chave: PROFUT. Indicadores. Endividamento.

Resumo

Objetivo: A pesquisa procura verificar a relação existente entre o atendimento aos requisitos pertinentes à adesão e permanência no PROFUT e a situação econômico-financeira de clubes de futebol brasileiros listados no Ranking Nacional de Clubes (RNC).

Metodologia: O estudo foi operacionalizado pelo método dedutivo, tendo abordagem empírica, valendo-se da análise de indivíduos, fatos e consequências pesquisados. Quanto aos procedimentos adotados, a pesquisa é classificada como uma revisão bibliográfica e documental e de abordagem quantitativa. O assunto foi tratado por meio da aplicação de uma averiguação dos pontos da legislação, por meio de um checklist, e da apresentação de indicadores econômico-financeiros: endividamento, liquidez corrente, tangibilidade, tamanho e retorno sobre o patrimônio líquido.

Resultados: Dada a investigação realizada, percebeu-se que, mesmo com as atuais exigências da legislação e critérios de exigibilidade para participação no PROFUT, a adesão ao programa não garante uma melhor situação econômico-financeira, principalmente relacionado aos fatores inerentes a estrutura de capital.

Contribuições do Estudo: O trabalho contribui de forma teórica na produção de uma análise contextualizada sobre as principais pesquisas já existentes e mostra novas explicações do fato estudado com base em diferentes perspectivas. No que diz respeito à contribuição prática, partindo dos principais achados encontrados, e buscando relacionar o nível de comprometimento dos clubes analisados, que aderiram ao PROFUT, com a gestão de sua estrutura de capital, percebeu-se a não existência de uma relação direta entre a adesão a essa modalidade de financiamento e a administração das fontes de capital obtidas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Erika Maia da Rocha, Universidade Potiguar - UNP

Post Graduate degree in Controllership.

Francisco Ícaro Silvério de Oliveira, Controlling and Auditing - FGV.

Post Graduate in Financial Management.

Rosângela Queiroz Souza Valdevino, University of Fortaleza - UNIFOR

Master in Business Administration.

Referências

Bachmaier, B., Lammert, J., Plumley, D., Wilson, R., & Hovemann, G. (2018). Regulatory intensity in English and German professional football. Sport, Business and Management: An International Journal. 8(3), 276–297. DOI: https://doi.org/10.1108/SBM-02-2017-0012

Beaver, W. H. (1966). Financial ratios as predictors of failure. Journal of accounting research, 71-111.

Borges, M. F. (2015). Fair play financeiro da União Européia de Futebol. Dissertação de Mestrado, Universidade do Estado de Santa Catarina, Florianópolis, Santa Catarina. Brasil.

Buraimo, B. (2019). Exposure and Television Audience Demand: The Case of English Premier League Football. The SAGE Handbook of Sports Economics, 171-180. DOI: http://dx.doi.org/10.4135/9781526470447.n18.

Burille, E. J., Diel, F. J., & Gollo, V. (2017, novembro). Indicadores econômicos e a estrutura de capital das empresas listadas na BM&FBovespa. In Anais do Congresso Brasileiro de Custos-ABC, Florianópolis, SC, Brasil, 24.

Cabral, B. B. (2011). Um negócio chamado futebol: suas perspectivas no Estado da Bahia. Dissertação de Mestrado, Universidade Salvador – UNIFACS, Salvador, BH, Brasil.

Cordery, C. J., Sim, D., & Baskerville, R. F. (2013). Three models, one goal: Assessing financial vulnerability in New Zealand amateur sports clubs. Sport Management Review, 16(2), 186-199. DOI: https://doi.org/10.1016/j.smr. 2012.08.002.

Cunha, P. R., Santos, C. A., & Haveroth, J. (2017). Fatores contábeis explicativos da política de estrutura de capital dos clubes de futebol brasileiros. Podium Sport, Leisure and Tourism Review, 6(1), 1.

Dantas, M. G. S., & Boente, D. R. (2011). A eficiência financeira e esportiva dos maiores clubes de futebol europeus utilizando a análise envoltória de dados. Revista de Contabilidade e Organizações, 5(13), 75-90.

Dermit-Richard, N., Scelles, N., & Morrow, S. (2019). French DNCG management control versus UEFA Financial Fair Play: a divergent conception of financial regulation objectives. Soccer & Society, 20(3), 408-430.

.

Dimitropoulos, P. E., & Koronios, K. (2018). Earnings Persistence of European Football Clubs under UEFA’s FFP. International Journal of Financial Studies, 6(2), 43.

Fiad, L. O. (2017). Evolução das dívidas dos clubes brasileiros de futebol com a União e a adesão à Lei do Profut. Trabalho de Conclusão de Curso. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil.

Fonseca, R. A., Silva, A. P. C., Assis, I. T., Nazareth, L. G. C., & Ferreira, R. N. (2014). Participação de capitais de terceiros nas empresas: a comparação entre empresas do setor siderúrgico. Anais do Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia, Resende, RJ, Brasil, 11.

Gonçalves, J. C. D. S., Magalhães Filho, p. D. O., & Alcântara, B. D. (2003). Do ócio ao negócio: a expansão da lógica de mercado no futebol de Pernambuco. Colóquio Internacional sobre Poder Local, 9.

IBM SPSS Statistics 25. IBM. (2019). Software. Recuperado em 17 Abril, 2020. de: https://www.ibm.com/support/pages/downloading-ibm-spss-statistics-25. mr. 2020.12,012

Igarashi, D. C. C.; Ensslin, S. R.; Ensslin, L.; PaladinI, E. P. (2008); A qualidade do ensino sob o viés da avaliação de um programa de pós-graduação em Contabilidade: proposta de estruturação de um modelo híbrido. RAUSP - Revista de Administração da Universidade de São Paulo, [S.l], 43 (2), 117-137.

Karadeniz, E.; Koşan, L.; Kahiloğullari, S. (2014). Borsa İstanbul’da işlem gören spor şirketlerinin finansal performansının oran yöntemiyle analizi. Ç.Ü. Sosyal Bilimler Enstitüsü Dergisi, 23(2), 129-144.

Lei Nº 13.155, de 4 de agosto de 2015 (2015). Estabelece princípios e práticas de responsabilidade fiscal e financeira e de gestão transparente e democrática para entidades desportivas profissionais de futebol. Diário Oficial da União. Brasília, DF. Retrieved on 26 February, 2020. from: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13155.htm.

Maia, A. B. G.; Vasconcelos, A. C. (2016). Disclosure de ativos intangíveis dos clubes de futebol brasileiros e europeus. Contabilidade Vista & Revista, [S.l], 27(3), 1-31.

Matias, W., & Mascarenhas, F. (2017). Caracterização histórica e a legislação sobre o futebol no Brasil. LICERE-Revista do Programa de Pós-graduação Interdisciplinar em Estudos do Lazer, 20(4), 372-400.

Moura, G. D., Macêdo, F. F. R. R., Mazzioni, S., & Kruger, S. D. (2016). Análise da relação entre gerenciamento de resultados e custo de capital em empresas brasileiras listadas na Bm&fbovespa. Revista Catarinense da Ciência Contábil, 15(44), 09-23.

Polit, D.; Beck, C.; Hungler, B. (2011) Compreensão do delineamento da pesquisa quantitative. Fundamentos de Pesquisa em Enfermagem. 7a. ed. Porto Alegre: Artmed, 163-198.

Rohde, M., & Breuer, C. (2016). Europe’s elite football: Financial growth, sporting success, transfer investment, and private majority investors. International Journal of Financial Studies, 4(2), 12.

Rodrigues, M. S., & Silva, R. C. D. (2009). A estrutura empresarial nos clubes de futebol. Organizações & Sociedade, 16(48), 17-37.

Silva, E. C., & Las Casas, A. L. (2018). Princípios de Orientação ao Mercado em Clubes de Futebol: Marca, Receitas e Torcedores. Revista de Ciências da Administração, 20(52), 155-168.

Silva, L. M.; Silva, L. M. (2020). Futebol-empresa: análise da lei de responsabilidade fiscal do futebol brasileiro. Revista Eletrônica Direito e Política, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ciência Jurídica da UNIVALI, Itajaí, 11(2), 2016. DOI: https://doi.org/10.14210/rdp.v11n2.p508-533

Stake, R. E. (2013). Pesquisa qualitativa/naturalista: problemas epistemológicos. Educação e Seleção, (07), 19-27.

Uluyol, O. (2014). Süper lig futbol kulüplerinin finansal performans analizi/Financial performance analysis of super league football clubs. Journal of Yaşar University, 9(34), 5716-5731.

Umbelino, W. L., Silva, R. B., Ponte, V. M. R., & Lima, M. C. (2019). Disclosure em Clubes de Futebol: Estudo sobre os Reflexos da Lei do PROFUT. Revista Evidenciação Contábil & Finanças, 7(1), 112-132.

Vieira Neto P. (2004). Estatística descritiva: Conceitos básicos. São Paulo.

Publicado
02-07-2021
Como Citar
ROCHA, E. M. DA; OLIVEIRA, F. ÍCARO S. DE; VALDEVINO, R. Q. S. PROFUT: uma análise da estrutura de capital de times brasileiros . REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036, v. 13, n. 2, 2 jul. 2021.
Seção
Seção 7: Internacional (S7)