Eficiência do sistema de transporte metroferroviário brasileiro: uma aplicação da Análise Envoltória de Dados

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21680/2176-9036.2022v14n1ID27714

Palavras-chave:

eficiência, transporte metroferroviário, DEA..

Resumo

Objetivo: Analisar a eficiência técnica das empresas metroferroviárias brasileiras.

Metodologia: Foi analisada a eficiência técnica das empresas metroferroviárias brasileiras por meio da Análise Envoltória de Dados (DEA), com suporte na Análise de Janelas e considerando o modelo de retornos variáveis. O estudo contemplou um período de cinco anos, para oito empresas que totalizam 90% dos passageiros transportados no sistema metroferroviário. Como variáveis foram utilizados os principais insumos e produtos do transporte metroferroviário referenciados na literatura internacional.

Resultados: São tecnicamente eficientes apenas as empresas metroferroviárias classificadas como de grande porte e dentre estas somente o Metrô SP se manteve eficiente em todos os anos analisados. As empresas de médio porte apresentaram-se ineficientes em todos os anos da amostra, sendo identificada a necessidade de redução média de 19% nos insumos para que estas se tornem tecnicamente eficientes. A inclusão de variável financeira como insumo não teve reflexo significativo nos índices de eficiência apurados. O estudo revela que prepondera no sistema de transporte metroferroviário brasileiro retornos crescentes de escala.

Contribuições do Estudo: O estudo identifica melhorias potenciais para as empresas consideradas ineficientes e revela que estas são empresas públicas de médio porte, com altos níveis de financiamento dos seus custos por meio de recursos governamentais, servindo este estudo de referência para ampliar a pesquisa sobre o tema, dada a relevância de se identificar o efeito do custeio das operações do transporte por meio de recursos governamentais sobre a eficiência das empresas. Nessa esteira, ao identificar que prepondera no sistema de transporte metroferroviário brasileiro retornos crescentes de escala, este estudo contribui para a análise de políticas públicas vinculadas ao acesso da população a este transporte, uma vez que retornos crescentes sugerem que o aumento da produção, que tem como principal variável o número de passageiros transportados, pode gerar benefícios quanto à eficiência das empresas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Cecilia da Silva Brum, Universidade do Vale do Rio do Sinos (UNISINOS).

Doctoral Student in Accounting at Universidade do Vale do Rio do Sinos (UNISINOS).

Tiago Wickstrom Alves, Professor of Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS).

Doctoral Student in Economics at Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Referências

Alonso, M. (1999). Custos no serviço público. Revista Do Serviço Público, 50, 37-63. DOI: https://doi.org/10.21874/rsp.v50i1.340

Asensio, J., Matas, A., & Rayomond, Jose-Luis. (2003). Redistributive effects of subsidies to urban public transport in Spain. Transport Reviews, 23, 433- 452. DOI: https://doi.org/10.1080 / 0144164022000016658

Associação Nacional de Transportes Públicos. (2020). Sistema de Informações da Mobilidade Urbana da Associação Nacional de Transportes Públicos – Simob/ANTP. Recuperado em 01 junho, 2020, de http://files.antp.org.br/simob/sistema-de-informacao-de-mobilidade-urbana-da-antp--2017.pdf

Associação Nacional de Transportes de Passageiros sobre Trilhos. (2017). Balanço do Setor Metroferroviário 2016/2017. Recuperado em 20 abril, 2019, de https://www.anptrilhos.org.br/wp-content/uploads/2017/04/balanco-1617.pdf

Associação Nacional de Transportes de Passageiros sobre Trilhos. (2019). Balanço do Setor Metroferroviário 2018/2019. Recuperado em 20 abril, 2019, de https://anptrilhos.org.br/wp-content/uploads/2019/05/anptrilhos-balancosetor-2019-web.pdf

Brinco, R. (2012). Mobilidade Urbana e transporte público: sobre a oportunidade de implantação de sistemas metroviários. Indicadores Econômicos FEE, 40, 105-116. Recuperado de https://revistas.dee.spgg.rs.gov.br/level.php/indicadores/article/view/2764/3101

Besanko, D., & Braeutigam, R. R. (2004). Microeconomia. Rio de Janeiro: LTC.

Carvalho, C. H. R., & Pereira, R. H. M. (2011). Efeitos da variação da tarifa e da renda da população sobre a demanda de transporte público coletivo urbano no Brasil. Recuperado em 20 fevereiro, 2018, de http://repositorio.ipea.gov.br/bitstream/11058/1282/1/TD_1595.pdf

Cavaignac, L., & Petiot, R. (2017). A quarter century of Data Envelopment Analysis applied to the transport sector: A bibliometric analysis. Socio-Economic Planning Sciences, 57, 84-96. DOI: https://doi.org/10.1016 / j.seps.2016.11.003

Charnes, A., Clark, C. T., Cooper, W. W., & Golany, B. (1984). Developmental study of data envelopment analysis in measuring the efficiency of maintenance units in the US Air Forces. Annals of Operations Research, 2, 95-112. DOI: https://doi.org/10.1007/BF01874734

Ceretta, P. S., & Niederauer, C. A. P. (2001). Rentabilidade e eficiência no setor bancário brasileiro. Revista de Administração Contemporânea, 5(3),7-26. DOI: https:// doi.org/10.1590/S1415-65552001000300002

Falcão, V. A, Camioto, F. C., Silva, F. G. F., & Camargo, M. P. (2019, novembro). Avaliação da eficiência do sistema de transporte brasileiro no cenário internacional utilizando análise envoltória de dados (DEA). 33º Congresso de Pesquisa e Ensino em Transporte da ANPET. Balneários Camboriu- SC. Brasil.

Farrell, M.J. (1957) The Measurement of Productive Efficiency. Journal of the Royal Statistical Society. Series A (General), 120, 253-290. DOI: https://doi.org/10.2307/2343100

Ferreira, A. F., Brum, M. C. S., & Schreinert, F. (2019). Planilha de Cálculo Tarifário: modelo para uma empresa pública do setor metroferroviário. Revista Ferroviária. Mar/Abr, 42-45.

Ferreira, C. M. C., & Gomes, A. P. (2009). Introdução à análise envoltória de dados. Teoria, Modelos e Aplicações (1a ed.). Viçosa, MG: Editoria UFV.

Gomes, M. C., Oliveira, S. V. W. B., & Matias, A. B. (2017). Eficiência do setor bancário brasileiro no período de 2006 a 2013: bancos domésticos x bancos estrangeiros. Nova Economia, 27(3), 641-670. DOI: https://doi.org/10.1590/0103-6351/3057.

Jarboui, S., Forget, P., & Boujelbene, Y. (2012). Public road transport efficiency: a literature review via the classification scheme. Public Transp, 4, 101–128. DOI: https://doi.org/ 10.1007/s12469-012-0055-3

Jehle, G. A., & Reny, P. J. (2000). Advanced Microeconomic Theory. (2a ed.). New York: Addison Wesley.

Karlaftis M. G. (2004). A DEA approach for evaluating the efficiency and effectiveness of urban transit systems. European Journal of Operational Research, 152, 354– 364. DOI: https://doi.org/10.12691 / ijdeaor-1-1-1.

Kassai, S. (2002). Utilização da análise por envoltória de dados (DEA) na análise de demonstrações contábeis. Tese de Doutorado da Faculdade de Economia, Administração e Finanças da Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de https://pdfs.semanticscholar.org/8821/89cf255e7a880df07d3d549f74c7187fbfd1.pdf

Kiggundu, A. T. (2009). Financing public transport systems in Kuala Lumpur, Malaysia: challenges and prospects. Transportation, 36, 275-294. DOI: https://doi.org/10.1007/s11116-009-9194-z

Kutlar, A., Kabasakal, A., & Sarikaya, M. (2013). Determination of the efficiency of the world railway companies by method of DEA and comparison of their efficiency by Tobit analysis. Quality & Quality, 47(6), 575–602. DOI: https://doi.org/10.1007/s11135-012-9741-0

Mariano, E. B. (2007, novembro) Conceitos básicos de análise de eficiência produtiva. XIV Simpósio de Engenharia de Produção - SIMPEP, Bauru - SP. Brasil.

Mariano, E. B., Almeida, M. R. A., & Rebelato, D. A. N. (2006, novembro). Peculiaridades da análise envoltória de dados. XII Simpósio de Engenharia de Produção - SIMEP, Bauru – SP. Brasil.

Markovits-Somogyi, R. (2011). Measuring efficiency in transport: the state of the art of applying data envelopment analysis. Transport, 26, 11–19. DOI: https://doi.org/10.3846/16484142.2011.555500

Montañez, M. R. (2017). Financing public transport: a spatial model based on city size. European Journal of Management and Business Economics. 26, 112-122. DOI: https://doi.org/ 0.1108/EJMBE-07-2017-007/full/html

Peña, C. R. (2008) Um modelo de avaliação da eficiência da administração pública através do método análise envoltória de dados (DEA). Revista de Administração Contemporânea,12, 83-106. DOI: https://doi.org/10.1590/S1415-65552008000100005

Pezerico, L. A. M. (2002). Sistema de Avaliação de Desempenho no Transporte Urbano: Uma abordagem para o setor metroferroviário. Dissertação de Mestrado da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre. Recuperado de https://lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/2243/000366412.pdf?sequence=1&isAllowed=y

Poliak, M., Senanová, S., & Mrníková, M. (2017). Financing Public Transport Services From Public Funds. Transport Problems, 2. DOI: https://doi.org/10.20858/tp.2017.12.4.6

Sampaio, B. R., Lima, O. Neto, & Sampaio, Y. (2008). Efficiency analysis of public transport systems: Lessons for institutional planning. Transportation Research Part A 42, 445–454. DOI: https://doi.org/10.1016/j.tra.2008.01.006

Scheffer, M. M., Monteiro, J. J., Cardoso, J. V. M., & Ritta, O. C. (2021). Revista Ambiente Contábil. 13, 1-20. DOI: https://doi.org/10.21680/2176-9036.2021v13n1ID19358

Ševrovi?, M., Br?i?, D., & Kos, G. (2015). Transportation costs and subsidy distribution model for urban and suburban public passenger transport. Traffic & Transportation, 27, 23-33. DOI: https://doi.org/10.7307/ptt.v27i1.1486

Souza, J. C. F., Sousa, M. C. S., & Tannuri-Pianto, M. E. (2008). Modelos não paramétricos robustos de gestão eficiente de agências bancárias: o caso do Banco do Brasil. Revista EconomiA, 9 (3), 601–623. Recuperado de http://www.anpec.org.br/revista/vol9/vol9n3p601_623.pdf

Souza, M. V. P., Souza, R. C., & Pessanha, J. F. M. (2010) Custos operacionais eficientes das distribuidoras de energia elétrica: um estudo comparativo dos modelos DEA e SFA. Gestão & Produção,17 (4),653-667. DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-530X2010000400002.

Suguiy, T. (2017). Eficiência versus satisfação no transporte público. Um estudo das práticas nas cidades brasileiras. Tese de Doutorado, Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica da Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação da Universidade Estadual de Campinas. Campinas. Recuperado de http:// http://repositorio.unicamp.br/bitstream/REPOSIP/330996/1/Suguiy_Takao_D.pdf

Tsai, C.H. P., Mulley, C., & Merkert, R. (2015). Measuring the Cost Efficiency of Urban Rail Systems An International Comparison Using DEA and Tobit Models. Journal of Transport Economics and Policy, 49,17–34. Recuperado de http://docserver.ingentaconnect.com/deliver/connect/lse/00225258/v49n1/s2.pdf?expires=1617246966&id=0000&titleid=1311&checksum=B39871F8E9BC6C626692196DC4FA1849

Vasconcellos, E. A., Carvalho. C. H. R., & Pereira, R. H. M. (2011). Transporte e mobilidade urbana. Texto para Discussão Cepal Ipea 34: Transporte e mobilidade urbana. Recuperado em 10 de janeiro, 2018, de http://repositorio.ipea.gov.br/handle/11058/1373

Publicado

06-01-2022

Como Citar

BRUM, M. C. da S. .; ALVES, T. W. . Eficiência do sistema de transporte metroferroviário brasileiro: uma aplicação da Análise Envoltória de Dados . REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036, [S. l.], v. 14, n. 1, 2022. DOI: 10.21680/2176-9036.2022v14n1ID27714. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/27714. Acesso em: 27 jun. 2022.

Edição

Seção

Seção 7: Internacional (S7)