Ensinando sustentabilidade a estudantes de ciências contábeis: reduzindo sua pegada ecológica (PE)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21680/2176-9036.2023v15n1ID31158

Palavras-chave:

Pegada ecológica; Educação sustentabilidade; Estudantes.

Resumo

Objetivo: Analisar as mudanças na composição da pegada ecológica (PE) dos estudantes de ciências contábeis suscitadas pelo ensino da sustentabilidade.

Metodologia: Abordagem qualitativa e quantitativa, técnicas descritivas e análise do discurso do sujeito coletivo (DSC). Introdução ao tema e direcionamento ao site da WWF Brasil para calcular a PE.

Resultados: No primeiro round a PE foi 1,96 hectares globais. Componentes relevantes: alimentação, governo e transporte. Após análise de cluster, realizou-se análise do DSC dos três clusters gerados sendo consumo da carne vermelha o principal causador do resultado. Os alunos foram orientados a refletir sobre mudanças para recalcular a PE com novos hábitos, revelando redução no segundo round.

Contribuições do Estudo: Consistiu na metodologia robusta para a análise da PE entre elas a junção da análise de cluster com o DSC. Confirmação do papel da academia na conscientização ambiental para alcançar o desenvolvimento sustentável. Ilustrou a importância da educação para a sustentabilidade mudando atitudes dos alunos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ane Karoline de Oliveira Mendes, State University of Ponta Grossa (UEPG).

Bachelor in Accounting.

Karine Bonfim da Silva, State University of Ponta Grossa (UEPG).

Bachelor in Accounting.

Franciele Machado de Souza, State University of Ponta Grossa (UEPG).

Doctor in Accounting.

Rosaly Machado, State University of Ponta Grossa (UEPG).

Doctor in Management.

Referências

Arruda, R. O. M.; Azevedo, F. D., & Dalmas, F. B. (2017). Pegada Ecológica: uma ferramenta utilizada como indicador e conscientizador do consumo, aplicado na UNG Universidade, Guarulhos/SP: divulgação cientifica e tecnológica do IFPB. Revista Principia, 33:1-8.

Barbosa, G. S. (2008). O desafio do desenvolvimento sustentável. Revista Visões, 1(4).

Becker, M. (2012). A Pegada Ecológica de Campo Grande e a família de pegadas. WWF Brasil.

Calixto, L. (2006). O ensino da contabilidade ambiental nas universidades brasileiras: um estudo exploratório. Revista Universo Contábil, 2(3):65-78.

Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento - CMMD. (1991). Nosso futuro comum. 2a ed. Tradução de Our common future. Rio de Janeiro: Ed. Fundação Getúlio Vargas

Collins, A., Galli, A., Patrizi, N., & Pulselli, F. M. (2018). Learning and teaching sustainability: the contribution of Ecological Footprint calculators. Journal of Cleaner Production, 174:1000-1010. doi: https://doi.org/10.1016/j.jclepro.2017.11.024

Dias, G. F. (2002). Pegada ecológica e sustentabilidade humana. São Paulo: Gaia.

Fernández, M., Alférez, A., Vidal, S., Fernández, M. Y., & Albareda, S. (2016). Methodological approaches to change consumption habits of future teachers in Barcelona, Spain: reducing their personal Ecological Footprint. Journal of Cleaner Production, 122, 154-163. doi: https://doi.org/10.1016/j.jclepro.2016.02.026.

Fonseca, I., & Oliveira, S. S. (2013). A Pegada Ecológica como instrumento metodológico na relação meio ambiente e ensino de ciências. Os Desafios da Escola Pública Paranaense na Perspectiva do Professor PDE, l:1-22.

Global Footprint Network - GFN. (2008). Ecological Footprint. Recuperado de https://www.footprintnetwork.org/our-work/ecological-footprint.

Guedes, V. L. (2015). Pegada ecológica como recurso didático em atividades de educação ambiental on-line. Educação Unisinos, 19(2):283-289. doi: 10.4013/edu.2015.192.12

Higino, J. R., Hilgemberg, T., Souza, F. M., & Meurer, A. M. (2022). Quantos planetas são necessários para você viver? Pegada Ecológica de Estudantes de Ciências Contábeis. Gestion Joven, 23 (2), 3.

Jacobi, P. R. (2003). Educação ambiental, cidadania e sustentabilidade. Cadernos de pesquisa, 118:189-205.

Kapitulčinová, D.; Atkisson, A.; Perdue, J., & Will, M. (2018). Towards integrated sustainability in higher education: mapping the use of the accelerator tool set in all dimensions of university practice. Journal of Cleaner Production, 172:4367-4382. doi: https://doi.org/10.1016/j.jclepro.2017.05.050

Lefevre, F., & Lefevre, A. (2017). Discurso do sujeito coletivo: nossos modos de pensar, nosso eu coletivo. São Paulo: Andreoli.

Lisboa, C. K., & Barros, M. V. F. (2010). A pegada ecológica como instrumento de avaliação ambiental para a cidade de Londrina. Confins. Revue franco-brésilienne de géographie/ Revista franco-brasileira de geografia, 8. doi: https://doi.org/10.4000/confins.6395

Marques, R. M. (2010). Estudo de conscientização e práticas ambientais dos estudantes de pós-graduação na área de meio ambiente no Rio de Janeiro. In: VI Congresso Nacional em Gestão, Niterói, RJ, Brasil.

Nicolaides, A. (2006). The implementation of environmental management towards sustainable universities and education for sustainable development as an ethical imperative. International Journal of Sustainability in Higher Education, 7(4):414-424. doi: https://doi.org/10.1108/14676370610702217

Rieckmann, M. (2017). Educação para os objetivos do desenvolvimento sustentável: objetivos de aprendizagem. Brasília: Unesco.

Scarpa, F. (2012). Pegada Ecológica: qual é a sua? São José dos Campos: INPE.

Silva, M. S., & Cipolat, C. (2016). Pegada ecológica: uma análise dos colaboradores e familiares do Supermercado Selau em Santana do Livramento–RS (Monografia de Especialização). Universidade Federal do Pampa, Campus Santana do Livramento.

Tayra, F., & Ribeiro, H. (2006). Modelos de indicadores de sustentabilidade: síntese e avaliação crítica das principais experiências. São Paulo: Saúde e Sociedade.

Universidade Estadual de Ponta Grossa – UEPG. (2019) Departamento de Contabilidade. Recuperado de https://pitangui.uepg.br/departamentos/decon/historico.php.

World Wild Life Fundation - WWF. (2012) Pegada Ecológica. Recuperado de: https://www.wwf.org.br/natureza_brasileira/especiais/pegada_ecologica/o_que_e_pegada_ecologica.

Zheng, N., Li, S., Wang, Y., Huang, Y., Bartoccid, P., Fantozzid, F., & Li, J. (2021). Research on low-carbon campus based on ecological footprint evaluation and machine learning: A case study in China. Journal of Cleaner Production, 323, 129-181. doi: https://doi.org/10.1016/j.jclepro.2021.12918.

Publicado

02-01-2023

Como Citar

MENDES, A. K. de O. .; SILVA, K. B. da .; SOUZA, F. M. de .; MACHADO, R. Ensinando sustentabilidade a estudantes de ciências contábeis: reduzindo sua pegada ecológica (PE). REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036, [S. l.], v. 15, n. 1, 2023. DOI: 10.21680/2176-9036.2023v15n1ID31158. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/31158. Acesso em: 23 jul. 2024.

Edição

Seção

Seção 7: Internacional (S7)