Evidências da divulgação dos objetivos de desenvolvimento sustentável em empresas brasileiras de capital aberto

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21680/2176-9036.2024v16n1ID32390

Palavras-chave:

ESG, Sustentabilidade Corporativa, Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, Greenwashing

Resumo

Objetivo: O presente artigo busca identificar se as empresas brasileiras de capital aberto, listadas no Índice Brasil 50 (IBrX50) e no Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE), utilizam os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável para nortear suas práticas ambientais, sociais e de governança (ESG).

Metodologia: A avaliação se dá, pela análise descritiva de conteúdo, de empresas listadas no IBrX50, com destaque para que também eram listadas no ISE B3, no ano de 2022. A coleta de dados coletou informações, principalmente nos relatórios de sustentabilidade das empresas da amostra e em sites especializados na avaliação ESG.

Resultados: A pesquisa apresenta analogias entre as carteiras teóricas do ISE B3 e do IBrX50 e conduz análises dos ativos presentes em ambas as carteiras e pontuações ESG, bem como, a proximidade dos ativos em relação a evidenciação dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável em seus relatórios de sustentabilidade. Pelas análises verificou-se que, apesar de grande parte das empresas divulgarem relatórios de sustentabilidade e citarem os ODS, poucas delas divulgam metas e iniciativas voltadas ao desenvolvimento sustentável de maneira prática.

Contribuições do Estudo: O artigo contribui com o campo de pesquisas relacionadas à divulgação voluntária de informações sobre sustentabilidade, apresentando um panorama inicial das evidências acerca da divulgação dos ODS em relatórios de sustentabilidade no contexto brasileiro. Estudos futuros podem explorar análises que incorporem as práticas ESG nas empresas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

João Pedro Lopes Barra, Universidade de São Paulo

Bacharel em Engenharia de Materiais pela Universidade de São Paulo. 

Ícaro Guilherme Félix da Cunha, Universidade de São Paulo

Doutorando pelo programa de Engenharia de Produção da Escola de Engenharia de São Carlos - Universidade de São Paulo (USP). Bacharel em Engenharia de Produção.

Maria Júlia Estevão de Melo Oliveira, Universidade de São Paulo

Graduanda em Engenharia de Produção pela Escola de Engenharia de São Carlos. 

Renata Veloso Santos Policarpo, Instituto Federal de Minas Gerais

Doutorado em Administração pela Universidade Federal de Minas Gerais.  

Daisy Aparecida do Nascimento Rebelatto, Universidade de São Paulo

Doutorado em Engenharia Mecânica pela Universidade de São Paulo. 

Referências

Amel-Zadeh, A. (2018). Social Responsibility in Capital Markets: A review and framework of theory and empirical evidence. SSRN Electronic Journal. Retrieved from https://doi.org/10.2139/ssrn.2664547

Amel-Zadeh, A., & Serafeim, G. (2017). Why and How Investors Use ESG Information: Evidence from a Global Survey. SSRN Electronic Journal. Retrieved from https://doi.org/10.2139/ssrn.2925310

B3. (2015). Metodologia do Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE).

B3. (2022a). Índice Brasil 50 (IBrX 50 B3). Retrieved 3 May 2022, from https://www.b3.com.br/pt_br/market-data-e-indices/indices/indices-amplos/indice-brasil-50-ibrx-50.htm

B3. (2022b). Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE B3). Retrieved 3 May 2022, from https://www.b3.com.br/pt_br/market-data-e-indices/indices/indices-de-sustentabilidade/indice-de-sustentabilidade-empresarial-ise-b3.htm

Bardin, L. (2011). Laurence Bardin - Análise de Conteúdo 1. News.Ge.

Berthelot, S., & Magnan, M. (2003). Environmental disclosure research: Review and synthesis Value relevance of sustainability reports View project. Journal of Accounting Literature, 22, 1–44. Retrieved from https://www.researchgate.net/publication/285059735

Cristófalo, R. G., Akaki, A. S., Abe, T. C., Morano, R. S., & Miraglia, S. G. E. K. (2016). Sustentabilidade e o mercado financeiro: estudo do desempenho de empresas que compõem o índice de sustentabilidade empresarial (ISE). REGE - Revista de Gestão, 23(4), 286–297. Retrieved from https://doi.org/10.1016/j.rege.2016.09.001

Da Silva, B. S., De Queiroz, J. N., Da Silva, R. C., & Francisco, J. R. de S. (2021). Ações adotadas pelas empresas da B3 alinhadas com os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS): uma análise dos relatórios de sustentabilidade. Revista Mineira de Contabilidade, 22(2), 37–50. Retrieved from https://doi.org/10.51320/rmc.v22i2.1217

de Freitas Netto, S. V., Sobral, M. F. F., Ribeiro, A. R. B., & Soares, G. R. da L. (2020). Concepts and forms of greenwashing: a systematic review. Environmental Sciences Europe, 32(1), 19. Retrieved from https://doi.org/10.1186/s12302-020-0300-3

Degenhart, L., Vogt, M., & Hein, N. (2018). Relação do desempenho econômico-financeiro com a responsabilidade social corporativa das empresas brasileiras. Revista Metropolitana de Sustentabilidade, 8(1).

Drempetic, S., Klein, C., & Zwergel, B. (2020). The Influence of Firm Size on the ESG Score: Corporate Sustainability Ratings Under Review. Journal of Business Ethics, 167(2), 333–360. Retrieved from https://doi.org/10.1007/s10551-019-04164-1

ElAlfy, A., Palaschuk, N., El-Bassiouny, D., Wilson, J., & Weber, O. (2020). Scoping the Evolution of Corporate Social Responsibility (CSR) Research in the Sustainable Development Goals (SDGs) Era. Sustainability, 12(14), 5544. Retrieved from https://doi.org/10.3390/su12145544

Elkington, John. (1997). Cannibals with forks : the triple bottom line of 21st century business. Capstone.

ESG Book. (2022). ESG Book. Retrieved 3 May 2022, from https://app.esgbook.com/dashboard

Fundamentus. (2022). FUNDAMENTUS - Invista consciente. Retrieved 3 May 2022, from https://www.fundamentus.com.br/index.php

Hummel, K., & Schlick, C. (2016). The relationship between sustainability performance and sustainability disclosure – Reconciling voluntary disclosure theory and legitimacy theory. Journal of Accounting and Public Policy, 35(5), 455–476. Retrieved from https://doi.org/10.1016/j.jaccpubpol.2016.06.001

Irigaray, H. A. R., Vergara, S. C., & Araujo, R. G. (2017). Responsabilidade Social Corporativa: o que revelam os relatórios das empresas. Organizações & Sociedade, 24(80), 73–88. Retrieved from https://doi.org/10.1590/1984-9230804

Izzo, M. F., Ciaburri, M., & Tiscini, R. (2020). The Challenge of Sustainable Development Goal Reporting: The First Evidence from Italian Listed Companies. Sustainability, 12(8), 3494. Retrieved from https://doi.org/10.3390/su12083494

Jyoti, G., & Khanna, A. (2021). Does sustainability performance impact financial performance? Evidence from Indian service sector firms. Sustainable Development, 29(6), 1086–1095. Retrieved from https://doi.org/10.1002/sd.2204

Kadłubek, M. (2015). The Essence of Corporate Social Responsibility and the Performance of Selected Company. Procedia - Social and Behavioral Sciences, 213, 509–515. Retrieved from https://doi.org/10.1016/j.sbspro.2015.11.442

Li, Z., Jia, J., & Chapple, L. J. (2023). Textual characteristics of corporate sustainability disclosure and corporate sustainability performance: evidence from Australia. Meditari Accountancy Research, 31(3), 786–816. Retrieved from https://doi.org/10.1108/MEDAR-03-2021-1250

Machado Filho, C. P. (2006). Responsabilidade social e governança : o debate e as implicações : Responsabilidade Social, Instituições, governança e Reputação. Pioneira Thomson Learning.

Machado, M. R., Machado, M. A. V., & Corrar, L. J. (2009). Desempenho do Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) da bolsa de valores de São Paulo. Revista Universo Contábil, 24–38. Retrieved from https://doi.org/10.4270/ruc.2009211

Marcondes, A. W., & Bacarji, C. D. (2010). ISE - Sustentabilidade no Mercado de Capitais. Retrieved from São Paulo:

Marcus, J., Kurucz, E. C., & Colbert, B. A. (2010). Conceptions of the Business-Society-Nature Interface: Implications for Management Scholarship. Business & Society, 49(3), 402–438. Retrieved from https://doi.org/10.1177/0007650310368827

Novaes, W. (1992). Eco-92: avanços e interrogações. Estudos Avançados, 6(15), 79–93. Retrieved from https://doi.org/10.1590/S0103-40141992000200005

ONU. (2004). Who cares wins: connecting financial markets to a changing world. Who Cares Wins Connecting Financial Markets to a Changing World. Retrieved from https://www.unepfi.org/fileadmin/events/2004/stocks/who_cares_wins_global_compact_2004.pdf

ONU. (2015). Transforming our world: The 2030 agenda for sustainable development.

Plastun, A., Makarenko, I., Khomutenko, L., Osetrova, O., & Shcherbakov, P. (2020). SDGs and ESG disclosure regulation: is there an impact? Evidence from Top-50 world economies. Problems and Perspectives in Management, 18(2), 231–245. Retrieved from https://doi.org/10.21511/ppm.18(2).2020.20

Prodanov, C. C., & de Freitas, E. C. (2013). Metodologia do trabalho científico: Métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico (2. ed.). Novo Hamburgo: Feevale. Retrieved from www.feevale.br/editora

Rover, S., Tomazzia, E. C., Murcia, F. D.-R., & Borba, J. A. (2012). Explicações para a divulgação voluntária ambiental no Brasil utilizando análise de regressão em painel. Revista de Administração, 47(2), 217–230. Retrieved from https://doi.org/10.5700/rausp1035

Schramade, W. (2017). Investing in the UN Sustainable Development Goals: Opportunities for Companies and Investors. Journal of Applied Corporate Finance, 29(2), 87–99. Retrieved from https://doi.org/10.1111/jacf.12236

Soschinski, C. K., Brandt, E., & Klann, R. C. (2019). Internacionalização e práticas de responsabilidade social corporativa em empresas brasileiras. Advances in Scientific and Applied Accounting, 047–064. Retrieved from https://doi.org/10.14392/ASAA.2019120103

Szabo, S., & Webster, J. (2021). Perceived Greenwashing: The Effects of Green Marketing on Environmental and Product Perceptions. Journal of Business Ethics, 171(4), 719–739. Retrieved from https://doi.org/10.1007/s10551-020-04461-0

UNPRI. (2021). Building a bridge between financial risk, opportunities and real - World outcomes.

Verrecchia, R. E. (2001). Essays on disclosure. Journal of Accounting and Economics, 32, 97–180.

Downloads

Publicado

02-01-2024

Como Citar

BARRA, J. P. L. .; CUNHA, Ícaro G. F. da .; OLIVEIRA, M. J. E. de M. .; POLICARPO, R. V. S. .; REBELATTO, D. A. do N. . Evidências da divulgação dos objetivos de desenvolvimento sustentável em empresas brasileiras de capital aberto. REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036, [S. l.], v. 16, n. 1, p. 135–157, 2024. DOI: 10.21680/2176-9036.2024v16n1ID32390. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/32390. Acesso em: 20 maio. 2024.

Edição

Seção

Seção 1: Contabilidade Aplicada ao Setor Empresarial (S1)