Gloria Anzaldúa, uma chicana entre-fronteiras

Autores

  • Lara Virgínia Saraiva Palmeira

DOI:

https://doi.org/10.21680/2446-5674.2020v7n12ID18504

Palavras-chave:

Fronteira, Identidade, Gloria Anzaldúa

Resumo

Se as fronteiras nacionais constituem-se enquanto experiências sociais complexas e particulares, elas também nos auxiliam a pensar nos processos de construção/reconstrução/fragmentação das identidades contemporâneas. No caso do artigo em questão, a problemática principal reside na complexidade com a qual se constitui o próprio ser humano. A personagem principal com a qual o diálogo é estabelecido é Glória Anzaldúa, considerada neste espaço a personificação das tensões que integram essa experiência social que é o viver entre-fronteiras. Além de apresentar a autora com uma breve biografia, foram analisadas três de suas principais obras com o objetivo de analisar de que maneira ela constrói sua teoria das fronteiras e a relaciona com a questão da identidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANZALDÚA, Gloria. Borderlands/La frontera: the new mestiza. 4 ED. San Francisco: Aunte Lute Books, 2012.

______. "Falando em línguas: uma carta para as mulheres escritoras do Terceiro Mundo". Trad. Édina de Marco. Revista Estudos Feministas, v. 8, n. 1, p. 229-236, 2000.

ANZALDÚA, Glória (Ed). MORAGA, Cherríe (Ed). This Bridge Called my Back: Writings on radical Women of Color. New York: Kitchen Table –Women of Color Press. 1983.

BAHRI, Deepika. Feminismo e/no pós-colonialismo. Estudos Feministas, Florianópolis, 21(2): 336, maio-agosto/2013. Pp. 659-688. Disponível em <https://periodicos.ufsc.br/index.php/ref/article/view/S0104-026X2013000200018/25791>. Acesso em 27 Abr. 2018.

BAILEY, Ana Cristina F-P. Estética e Dialogismo: o papel da Literatura na formação da cidadania. Revista Contrapontos - Eletrônica, Vol. 12 - n. 3 - p. 279-289 / set-dez 2012

COSTA, Claudia de Lima; ÁVILA, Eliana. Gloria Anzaldúa, a consciência mestiça e o "feminismo da diferença". Revista Estudos Feministas, Florianópolis , v. 13, n. 3, p. 691-703, Dec. 2005 . Available from <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2005000300014&lng=en&nrm=iso>. Acesso em 27 Abr. 2018. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-026X2005000300014.

CRENSHAW, K. Documento para o encontro de especialistas em aspectos da discriminação racial relativos ao gênero. Estudos Feministas, Florianópolis, v. 10, n. 1, p. 171-188, jan. 2002.

CUSICANQUI, Silvia Rivera. Ch’ixinakax utxiwa. Una reflexión sobre prácticas y discursos descolonizadores. Buenos Aires: Tinta Limón, 2010.

GARCÉS, Helios F. La nueva mestiza, por fin Gloria Anzaldúa en castellano. Helios F. Garcés. 13/04/2016. Diagonal Periodico. Disponível em <https://www.diagonalperiodico.net/culturas/29997-la-nueva-mestiza-por-fin-gloria-anzaldua-castellano.html.> Acesso em 26 Abr 2018.

LOBO, Patrícia Alves de C., Chicanas em busca de território: A herança de Gloria Anzaldúa. Doutoramento em Estudos de Literatura e de Cultura (Estudos Americanos). 2015. Universidade de Lisboa. Faculdade de Letras. Departamento de Estudos Anglísticos.

NIEMAND, Yolanda (Ed), HART, Patricia (Ed), ARMITAGE, Susan (Ed), WEATHERMON Karen (Ed). Chicana Leadership: The "Frontiers" Reader. Lincoln: University of Nebraska Press. 2002.

RIBEIRO, Djamila. O que é lugar de fala. Belo Horizonte: Editora Letramento, 217.

SURELI, Sara. Meatless Days. Chicago: University of Chicago Press, 1989.

Downloads

Publicado

27-02-2020

Como Citar

SARAIVA PALMEIRA, L. V. Gloria Anzaldúa, uma chicana entre-fronteiras. Equatorial – Revista do Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social, [S. l.], v. 7, n. 12, p. 1–20, 2020. DOI: 10.21680/2446-5674.2020v7n12ID18504. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/equatorial/article/view/18504. Acesso em: 13 ago. 2022.