Apresentação

Autores

  • Ana Paula Marcelino da Silva Universidade Federal da Paraíba
  • Fernanda Gabriele Moura Universidade Federal do Rio Grande do Norte

DOI:

https://doi.org/10.21680/2446-5674.2024v11n20ID33433

Palavras-chave:

Pandemia, Metodologia, Covid-19

Resumo

A constante reinvenção da antropologia ao longo da sua história está apoiada nas reflexões epistemológicas advindas de contextos históricos que acabam por apresentar novas formas de engendramentos metodológicos e temáticos. As reflexões de campo que culminaram em trabalhos antropológicos na área da política, cultura e sociedade, estão sempre em revisão, em um movimento de examinar e repensar o processo metodológico de acordo com as condições atuais. Para tanto, é necessário um processo de autoavaliação da disciplina que evidencie seus pontos fortes e fracos ao longo da sua trajetória com o intuito de recalcular a rota, sem deixar de lado todos os avanços e progressos feitos até o determinado momento. Essa premissa de se autoavaliar e tecer críticas sobre sua atuação é um diferencial da antropologia na produção científica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BRASIL. Comissão Parlamentar de Inquérito da Pandemia (Instituída pelos requerimentos nº 1371 e 1372, de 2021). Congresso Nacional, Relatório Final, 2021.

CARNEIRO, Rosamaria Giatti; MULLER, Elaine. Afinal, quanto de extraordinário a pandemia de Covid-19 soma na vida de mulheres mães? Áltera-Revista de Antropologia, v. 1, n. 10, p. 441-450, 2020.

CARNEIRO, Rosamaria Giatti. Por dentro e a partir da casa pandêmica: gênero, trabalho e cuidado ao longo das gerações. In: MALUF, Sônia Weidner Maluf; FRANCH, Mónica; SILVA, Luziana M. da Fonseca; CARNEIRO, Rosamaria; SILVA, Érica Quináglia. Antropologias de uma pandemia: políticas locais, Estado, saberes e ciência na Covid-19. Florianópolis: Edições do Bosque, 2024. p. 47-68.

CARRARA, Sérgio. As Ciências Sociais e a Saúde Coletiva frente a atual epidemia de ignorância, irresponsabilidade e má fé. In: GROSSI, Miriam; TONIOL, Rodrigo. Ciências Sociais e o Coronavírus. Florianópolis: Anpocs e Editora Tribo da Ilha, 2020. p. 64-67.

CARVALHO, Laura Barbosa. Curto-circuito: o vírus e a volta do Estado. São Paulo: Todavia, 2020.

DAS, Veena. Encarando a Covid-19: meu lugar entre a esperança e o desespero. Dilemas: Revista de Estudos de Conflito e Controle Social, p. 1-8, 2020a.

DAS, Veena. Vidas e Palavras: a violência e sua descida ao ordinário. São Paulo: Editora Unifesp, 2020b.

FLEISCHER, Soraya; LIMA, Flávia Borges de. Registros da epidemia do vírus zika em terras recifenses: uma pesquisa coletiva na Antropologia. Revista Iluminuras, v. 21, p. 394-402, 2020.

FONSECA, Claudia; FLEISCHER, Soraya; JACOB, Ana Paula. Vulnerabilidades com e para além da pandemia: Deficiência e Covid-19 no Brasil. In: MALUF, Sônia Weidner; FRANCH, Mónica; SILVA, Luziana; CARNEIRO, Rosamaria; SILVA, Érica Quináglia. Antropologias de uma pandemia: políticas locais, Estado, saberes e ciência na Covid-19. Florianópolis: Edições do Bosque, 2024, p. 359-380.

FRANCH, Mónica; SILVA, Ana Paula Marcelino da; SOUZA, Maysa Carvalho; SILVA, Vinicius Gabriel. Da prontidão à exaustão: a experiência entre tempos de mulheres trabalhadoras na crise da Covid-19. In: MALUF, Sônia Weidner Maluf; FRANCH, Mónica; SILVA, Luziana M. da Fonseca; CARNEIRO, Rosamaria; SILVA, Érica Quináglia. Antropologias de uma pandemia: políticas locais, Estado, saberes e ciência na Covid-19. Florianópolis: Edições do Bosque, 2024. p. 21-46.

GROSSI, Miriam; TONIOL, Rodrigo; LOZANO, Marie- Anne Leal. Finalizando a primeira série do Boletim Cientistas Sociais e o Coronavírus: um balanço inicial. In: GROSSI, Miriam; TONIOL, Rodrigo. Ciências Sociais e o Coronavírus. Florianópolis: Anpocs e Editora Tribo da Ilha, 2020. p. 24-31.

INGOLD, Tim. Antropologia não é etnografia. In: INGOLD, Tim. Estar vivo: ensaios em movimento, conhecimento e descrição. Petrópolis: Editora Vozes, 2015. p. 45-62.

LANGDON, Ester Jean. A doença como experiência: o papel da narrativa na construção sociocultural da doença. Etnográfica, v. 2, p. 241-260, 2001.

LATOUR, Bruno. A fabricação do Direito: um estudo de etnologia jurídica. São Paulo: Editora Unesp, 2019.

MALUF, Sônia Weidner. Janelas sobre a cidade pandêmica: desigualdades, políticas e resistências. Revista TOMO, [S. l.], n. 38, p. 251–285, 2021.

MALUF, Sônia Weidner Maluf; FRANCH, Mónica; SILVA, Luziana M. da Fonseca; CARNEIRO, Rosamaria; SILVA, Érica Quináglia. Antropologias de uma pandemia: políticas locais, Estado, saberes e ciência na Covid-19. Florianópolis: Edições do Bosque, 2024.

MARCELINO, Ana Paula. A feira, o comércio os bancos, a rodoviária: relances etnográficos de Goiana na crise da Covid-19. Áltera-Revista de Antropologia, v. 1, n. 10, 2020.

MARCELINO, Ana Paula; LONGHI, Márcia Reis. A pessoa idosa e suas múltiplas facetas durante o período pandêmico. In: MALUF, Sônia Weidner Maluf; FRANCH, Mónica; SILVA, Luziana M. da Fonseca; CARNEIRO, Rosamaria; SILVA, Érica Quináglia. Antropologias de uma pandemia: políticas locais, Estado, saberes e ciência na Covid-19. Florianópolis: Edições do Bosque, 2024, p. 197-212.

MATTINGLY, Cheryl. Healing dramas and clinical plots. New York: Cambridge University Press, 1998.

MELLO, Roberta do Nascimento. Socializando na Casa: uma análise antropológica das sociabilidades de crianças e adolescentes em situação de acolhimento institucional em tempos de pandemia de Covid-19. 2022. Dissertação (Mestrado em Antropologia) – Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2022.

MOURA, Fernanda. Maternidade como experiência de cuidado: vivência de mães de crianças com microcefalia diante de contextos epidêmicos. 2022. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2022.

ORTEGA, Francisco; ORSINI, Michael. Governing COVID-19 without government in Brazil: Ignorance, neoliberal authoritarianism, and the collapse of public health leadership. Global Public Health, v. 15, n. 9, p. 1257-1277, 2020.

PORTO, Rozeli; COSTA, Patrícia. O Corpo Marcado: a construção do discurso midiático sobre Zika Vírus e Microcefalia. Cadernos de Gênero e Diversidade, v. 3, p. 158-192, 2017.

SEGATA, Jean. Covid-19: as escalas da pandemia e as escalas da antropologia. In: GROSSI, Miriam; TONIOL, Rodrigo. Ciências Sociais e o Coronavírus. Florianópolis: Anpocs e Editora Tribo da Ilha, 2020. p. 44-46.

SILVA, Érica Quinaglia; FREJAT, Rafael Pavie. “Estou vivo ou estou morto?”: interface entre saúde e espiritualidade no contexto pandêmico. In: MALUF, Sônia Weidner Maluf; FRANCH, Mónica; SILVA, Luziana M. da Fonseca; CARNEIRO, Rosamaria; SILVA, Érica Quináglia. Antropologias de uma pandemia: políticas locais, Estado, saberes e ciência na Covid-19. Florianópolis: Edições do Bosque, 2024. p. 149-167.

SMITH, Julia. Overcoming the ‘tyranny of the urgent’: integrating gender into disease outbreak preparedness and response. Gender & Development, v. 27, n. 2, p. 355-369, 2019.

VENTURA, Deisy de Freitas; REIS, Rosana. A linha do tempo da estratégia federal de disseminação da covid-19. In: CEPEDISA. Direitos na pandemia: mapeamento e análise das normas jurídicas de resposta à Covid-19 no Brasil, n. 10, 2021. p. 6-31.

VIEIRA, D’Angelles; OLIVEIRA, Linderson. Seguras em seus lares? Uma reflexão sobre a violência contra a mulher em tempos de pandemia. Áltera-Revista de Antropologia, v. 2, n. 10, 2020.

WANICK, Heloísa. Observatório Antropológico em tempos de pandemia: colheita de flores “cavada à unha” entre as estradas que cruzam a Universidade Federal da Paraíba. Áltera-Revista de Antropologia, v. 2, n. 10, 2020.

TONIOL, Rodrigo. Boletim Ciências Sociais e o coronavírus, nº 1, 2020.

Downloads

Publicado

10-06-2024

Como Citar

SILVA, A. P. M. da; MOURA, F. G. Apresentação. Equatorial – Revista do Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social, [S. l.], v. 11, n. 20, p. 1–16, 2024. DOI: 10.21680/2446-5674.2024v11n20ID33433. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/equatorial/article/view/33433. Acesso em: 22 jul. 2024.