Com quantos passos se faz uma República

proclamações e apropriações urbanas do Rio de Janeiro

Autores

  • Pedro Felipe Marques Gomes Ferrari

Palavras-chave:

Rio de Janeiro, proclamação da República, rua do Ouvidor

Resumo

O seguinte artigo visa abordar o ato proclamatório de Deodoro da Fonseca como fenômeno urbano. Reconhecendo-o como apropriações espaço temporais da cidade, pretende-se atribuir ao ato sincrônico do general um solo diacrônico e cotidiano. Assim sendo, uma narrativa que extrapole a linearidade do percurso daquela manhã de novembro de 1889: parte-se em alteridades temporais e outros passos naqueles mesmos espaços, calçamentos. Das salvas de pólvora a marcarem o evento político no campo da Aclamação à pluralidade de experiências transcorridas à rua do Ouvidor. Desta forma, repensar a pretensa homotesia e homogeneidade do trato urbano.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pedro Felipe Marques Gomes Ferrari

Doutorando em História pela Universidade de Brasília (UnB) sob a orientação da profª Drª Eleonora Zicari Costa de Brito.

Arquivos adicionais

Publicado

25-11-2011

Como Citar

FERRARI, P. F. M. G. Com quantos passos se faz uma República: proclamações e apropriações urbanas do Rio de Janeiro. Revista Espacialidades, [S. l.], v. 4, n. 03, p. 01–22, 2011. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/espacialidades/article/view/17744. Acesso em: 6 out. 2022.

Edição

Seção

Dossiê