Homem, águas, fronteiras e palavras

José Eduardo Agualusa e a construção da identidade em trânsito

  • Welligton Costa Borges Universidade Federal do Piauí
Palavras-chave: José Eduardo Agualusa, Identidade, Fragmentação, Fronteiras

Resumo

O texto que se segue busca analisar as possibilidades conferidas pela narrativa literária a partir de um escritor que aqui defendemos como um exemplo do que Stuart Hall chama de “individuo fragmentado”. Em primeiro lugar, lista-se a necessidade da discussão de identidade, envolvendo e partindo de um ponto central, a saber, a pessoa do angolano José Eduardo Agualusa, escritor de ampla circulação pelos países lusófonos e em uma gama extensa de países e línguas. O objetivo central é o de analisar o escritor enquanto sujeito, sobretudo como um sujeito múltiplo a partir de sua experiência de descentramento identitário, que é também territorial, transnacional. Trata-se de perceber como sua obra faz um movimento que é, de certa forma, um espelho convexo de sua própria experiência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Welligton Costa Borges, Universidade Federal do Piauí

Mestrando em História pela Universidade Federal do Piauí. Lattes: http://lattes.cnpq.br/2598716704761638. E-mail: welligtoncb@hotmail.com

Publicado
18-07-2020
Como Citar
COSTA BORGES, W. Homem, águas, fronteiras e palavras. Revista Espacialidades, v. 16, n. 2, p. 213-231, 18 jul. 2020.