O gesto psicanalítico em Clarice Lispector

  • Maria da Luz Duarte Leite Silva UFRN- Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Ananias Agostinho da Silva Universidade Federal Rural do Semi-Árido
  • Francisco Igor Leite Soares
Palavras-chave: Gesto Psicanalítico. Clarice Lispector. Identidade.

Resumo


A literatura de Clarice Lispector apresenta-se como uma ficção que dá margem à representação simbólica, destacando indícios dos gestos psicanalíticos, pois as personagens se veem diante de situações conflitivas, na busca de sua identidade. O presente artigo se detém na observação de metáforas que indiciam o jogo entre os gestos cognitivo, físico, político, simbólico no diálogo, que ora se dá de forma monológica, ora dialógica, e por vezes no discurso do solilóquio. Toma-se como fundamentação teórica, as reflexões de Gotlib (1999); Homem (2012); Freud (1995); Platão (1997); Aristoteles (1998); Santos (2012); Beigui (2006); Silva (2005); Pontieri (1999). A análise demonstrou que o gesto psicanalítico em Clarice Lispector com viés psicológico, cognitivo, simbólico, físico e político teatralizado das personagens leva a constatar uma escrita teatral e gestual, como a possibilidade de retomada do “desejo” em forma de ação, que irrompe a palavra e a cena social.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
23-03-2018
Como Citar
DUARTE LEITE SILVA, M. DA L.; DA SILVA, A. A.; LEITE SOARES, F. I. O gesto psicanalítico em Clarice Lispector. Revista Odisseia, v. 3, n. 1, p. p. 90 - 110, 23 mar. 2018.
Seção
Artigos