Imagens poéticas em Lampejos de Leonilda Hilgenberg Justus

Palavras-chave: Poesia, Imaginário, Imagem poética, Linguagem poética

Resumo


A poesia se originou com o mito nos tempos primordiais e por isso remetia mais intimamente ao sagrado. Com o passar do tempo, desgarrou-se em partes dessa relação compulsivamente orgânica que unia homens, deuses e natureza, mas não perdeu a essência que a põe em relação íntima com o mítico e o mágico. Na atualidade, o poético ainda mantém uma linguagem itinerante, que põe o homem em diálogo com o mundo. Nessa perspectiva, o propósito deste trabalho é trazer algumas considerações acerca de imagens poéticas presentes na obra Lampejos, da escritora Leonilda Hilgenberg Justus, tentando mostrar algumas dessas imagens construídas linguisticamente no gênero haicai. Para tal propósito, o estudo se pauta nas considerações acerca da poesia e do imaginário, contemplando estudos de autores como Octavio Paz, Gaston Bachelard, Gilbert Durand, entre outros. Como resultado, os lampejos vicejantes de Hilgenberg Justus mostram o estabelecimento da relação simbólica do homem com o mundo por meio da linguagem poética, que é uma potência do imaginário humano.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vanderlei Kroin, Universidade Estadual do Oeste do Paraná – UNIOESTE

Doutorando pelo Programa de Pós Graduação em Letras - Área de Concentração em Linguagem e Sociedade da Universidade Estadual do Oeste do Paraná - UNIOESTE (2018-2022). Mestre em Letras pelo mesmo Programa (2017). Graduado em Letras-Português pela Universidade Estadual do Centro Oeste - UNICENTRO. Bolsista CAPES.

Publicado
17-11-2019
Como Citar
KROIN, V. Imagens poéticas em Lampejos de Leonilda Hilgenberg Justus. Revista Odisseia, v. 4, n. 2, p. p. 131 - 149, 17 nov. 2019.
Seção
Artigos