A morte da velha bruxa: a representação dos espaços em um mito indígena da etnia Munduruku

Palavras-chave: Topoanálise. Literatura indígena. Mitologia.

Resumo


Este artigo tem como objetivo identificar e analisar, a partir dos estudos da Topoanálise de Borges Filho (2008) e Borges Filho e Silva Júnior (2012), as representações dos espaços presentes no mito indígena Munduruku “A morte da velha bruxa”, do autor indígena Daniel Munduruku (2001), narrativa que faz parte da obra As serpentes que roubaram a noite e outros mitos. Dessa forma, buscamos refletir sobre como os macro e os microespaços presentes na obra representam as experiências dos personagens e como estes, por sua vez, interagem com os espaços predominantes no texto: a floresta, a maloca da bruxa e a aldeia. Recorremos aos estudos das pesquisadoras da literatura indígena brasileira Almeida e Queiroz (2004), Thiél (2012) e Graúna (2013), acerca das especificidades da literatura em questão, assim como à concepção de Lévi-Strauss (1978) sobre mitologia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jessica Martins Bezerra Felipe, UFRN

Mestranda em Estudos da Linguagem (Literatura Comparada) pela UFRN. Graduada em Letras pela Faculdade Frassinetti do Recife-FAFIRE (2011). Especialista em Literatura Infantil e juvenil pela mesma instituição (2013). Trabalhou como professora, monitora, assistente e agente de leitura em projetos de língua portuguesa e alfabetização na Prefeitura da Cidade do Recife-PE (Ensino Fundamental I e II). Nas cidades de Natal e Extremoz-RN foi assistente de Alfabetização e Mediadora nos Programas Novo Mais Educação e Mais Alfabetização. Trabalhou como contadora de histórias e atriz nas ONGs de artes N'ativa e MUR em Recife-PE (2012-2015). É contadora de histórias desde 2013 e promove oficinas para professores e interessados em geral. Apresenta-se em eventos realizados em instituições de ensino superior, escolas, comunidades, centros de assistência social e outros espaços. Pesquisa e interessa-se pelos seguintes temas: Literatura Comparada, Literatura Infantil e juvenil, Literatura indígena, Literatura oral, Literatura e Formação de leitores.

Marta Aparecida Garcia Gonçalves, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Licenciada em Letras pela Universidade Federal do Paraná/UCDB; mestra em Letras pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul e doutora em Estudos da Linguagem pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte, onde trabalha como professora. Atua na graduação em Letras e na pós-graduação em Estudos da Linguagem, orientando pesquisas de iniciação científica, mestrado e doutorado em duas linhas de pesquisa: Leitura do Texto Literário e Ensino e Poéticas da Modernidade e da Pós-modernidade.

Publicado
11-05-2021
Como Citar
MARTINS BEZERRA FELIPE, J.; GARCIA GONÇALVES, M. A. A morte da velha bruxa: a representação dos espaços em um mito indígena da etnia Munduruku. Revista Odisseia, v. 6, n. 1, p. 51-70, 11 maio 2021.
Seção
Artigos