Funes, o memorioso de Borges

lembrar é viver?

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21680/1983-2435.2023v8n2ID31465

Palavras-chave:

Memória e esquecimento, Borges, Nietzsche, Cultura histórica, Literatura

Resumo

Por sua relevância, a memória tem sido tematizada nas diversas áreas dos saberes humanos ao longo da história. Nesse sentido, este trabalho propõe-se a investigar as questões da memória e do esquecimento, tomando como objeto de estudo o conto de Borges, “Funes, o memorioso”. Os procedimentos metodológicos adotados compreendem a análise interpretativa do conto, apoiada nas postulações de Nietzsche relevantes para os aspectos identificados e suplementada por contribuições das neurociências, principalmente as oferecidas por Izquierdo e Luria, somadas a comentários da crítica literária. As conclusões confirmam a tese nietzschiana de que o excesso de memória e o apego a-histórico ao passado acarretam consequências nefastas para a vida de indivíduos e sociedades, na ficção e na realidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniele Scalia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Doutoranda em Letras na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) sob orientação do Prof. Dr. Gerson Roberto Neumann.Mestra em Letras e Cultura pela Universidade de Caxias do Sul (bolsista PROSUC/CAPES), orientada pela Profa. Dra. Alessandra Paula Rech. Licenciada em Letras - Língua Inglesa (2017) pela mesma instituição. Atua como tradutora e revisora em Língua Inglesa e como professora de Língua Inglesa para fins específicos. É pesquisadora voluntária no grupo de pesquisa Literatura e Gênero, coordenado pela Profa. Dra. Cristina Löff Knapp na Universidade de Caxias do Sul, integrando o projeto MEDO - A representação do medo na escrita de autoria feminina. Atou como instrutora de inglês de 2013 a 2018 em escolas de idiomas (contratada). Tem experiência no ensino de Língua Inglesa como LE, tradução no par Inglês (EUA)/Português (BR) e pesquisa na área de literatura com ênfase em crítica feminista e questões de gênero. E-mail dscalia@ucs.br

Niura Maria Fontana, Universidade de Caxias do Sul

Possui graduação em Licenciatura Plena em Letras - Português Inglês - (1976) e Bacharelado em Filosofia (2019) pela Universidade de Caxias do Sul, especialização em Letras - Teoria da literatura -pela Universidade de Caxias do Sul (1979), especialização em Ensino de Inglês pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1986) e mestrado em Applied Linguistics - University of Wales - Bangor (1989). Atualmente é professora aposentada da Universidade de Caxias do Sul. Atuou principalmente nos seguintes temas: práticas de leitura, gêneros discursivos, elaboração de material didático de português para o nível superior e formação de professores de Língua Portuguesa e Inglesa.

Referências

ABBAGNANO, Nicola. Dicionário de Filosofia. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

ASEFF, Marlova Gonsales. Borges e a poética do esquecimento. Revista Conexão Letras, [S.L.], v. 16, n. 26, p. 192-204, 20 jan. 2022. DOI. http://dx.doi.org/10.22456/2594-8962.117262. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/conexaoletras/article/view/117262. Acesso em: 8 fev. 2022.

BORGES, Jorge Luis. Funes, o memorioso. Obras completas. v. I. São Paulo: Globo, 1999.

CAMPOS, Juan Antonio Amador; SANTACANA, Maria Forns; NEBOT, Teresa Kirchner. Repertorios cognoscitivos de atención, percepción y memoria: Documento de trabajo. Departamento de Personalidad, Evaluación y Tratamiento Psicológico, Facultad de Psicología. Universidad de Barcelona. 2015. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/37814245_Repertorios_cognoscitivos_de_atencion_percepcion_y_memoria_documento_de_trabajo. Acesso em: 23 mar. 2022.

IZQUIERDO, Iván; BEVILAQUA, Lia R. M.; CAMMAROTA, Martín. A arte de esquecer. Estudos Avançados, v. 20, n. 58, p. 289-296, 2006. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ea/v20n58/22.pdf. Acesso em: 4 abr. 2019.

IZQUIERDO, Iván. Memória. Porto Alegre: Artmed, 2002.

LOVECRAFT, Howard Phillips. O horror sobrenatural na literatura. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1987.

LURIA, A. R. The mind of a mnemonist: a little book about a vast memory. Tradução de Lynn Solotaroff. New York / London: Basic Books, 1968.

NIETZSCHE, Friedrich. Assim falou Zaratustra: um livro para todos e ninguém. Tradução de Gabriel Valladão Silva. Porto Alegre: L&PM, 2022.

NIETZSCHE, Friedrich. Considerações extemporâneas. In: Obras incompletas. Coleção Os Pensadores: seleção de textos de Gérard Lebrun. Tradução e notas de Rubens Rodrigues Torres Filho. 3. ed. São Paulo: Abril Cultural, 1983. p. 53-81.

NIETZSCHE, Friedrich. Humano, demasiado humano. São Paulo: Companhia das Letras, 2005.

NIETZSCHE, Friedrich. Sobre verdade e mentira. São Paulo: Hedra, 2007.

OLIVEIRA, Eduardo Marcos Silva de. O Além-do-Homem e o Cristianismo. Interações, Belo Horizonte, v. 12, n. 21, p. 172-196, jan/jul 2017. Disponível em: https://www.academia.edu/40626979/O_Al%C3%A9m-do-homem_e_o_Cristianismo?email_work_card=title. Acesso em: 18 mar. 2020.

PESSOA, Fernando. Livro do desassossego. 2. ed. Jandira, SP: Princípios, 2019.

SARLO, Beatriz. Borges, un escritor en las orillas. Buenos Aires: Ariel, 1995.

SARLO, Beatriz. Tempo passado: cultura da memória e guinada subjetiva. São Paulo: Companhia das Letras, 2005.

SEGER, Débora. Cair (recair) saltar. Concinnitas, Rio de Janeiro, v. 20, n. 35, p. 108-132, set. 2019. Disponível em: https://www.epublicacoes.uerj.br/index.php/concinnitas/article/view/44876. Acesso em: 25 jan. 2022.

Si te he visto no me acuerdo Borges y Funes el memorioso. Buenos Aires: Televisión Pública, 1985. P&B. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=oqg0crj1S2o. Acesso em: 25 jan. 2022.

VARGAS, José Maria Ruiz -. ¿De qué hablamos cuando hablamos de 'memoria histórica'? Reflexiones desde la Psicología cognitiva. Entelequia, Málaga, v. 7, p. 53-76, set. 2008. Disponível em: https://revistaentelequia.wordpress.com/2008/09/04/de-que-hablamos-cuando-hablamos-de-memoria-historica-reflexiones-desde-la-psicologia-cognitiva/?iframe=true&theme_preview=true. Acesso em: 17 jun. 2021.

Downloads

Publicado

27-08-2023

Como Citar

SCALIA, D.; FONTANA, N. M. Funes, o memorioso de Borges: lembrar é viver?. Revista Odisseia, [S. l.], v. 8, n. 2, p. 1–19, 2023. DOI: 10.21680/1983-2435.2023v8n2ID31465. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/odisseia/article/view/31465. Acesso em: 23 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos