Amor mais que maiúsculo, de Ana Cristina César

correspondência, autobiografia e escrita de si

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21680/1983-2435.2023v8n2ID31586

Palavras-chave:

Correspondência, Paratexto, Autobiografia, Ana Cristina César

Resumo

O presente artigo pretende discutir a correspondência de Ana Cristina Cesar a Luiz Augusto Ramalho enquanto estudava em Londres, em 1969. As cartas foram publicadas em Amor mais que maiúsculo, pela Companhia das Letras, em 2022. Serão feitas reflexões sobre as fontes e arquivos literários que possibilitaram a publicação do livro, bem como uma discussão conceitual sobre a correspondência, a autobiografia e as escritas de si contemporâneas. Haverá, também, um olhar para as cartas como documentos históricos e paratextos. Para isso, utilizar-se-á os autores André Luiz Anselm (2015), Philippe Artières (2013), Leonor Arfuch (2010), Michel Foucault (1992), Regina Kohlrausch (2015) e Philippe Lejeune (2014), entre outros. Como resultado, busca-se trazer as cartas como a tentativa de rememoração de um amor em vias de acabar. Ademais, a presença da relação Brasil-Inglaterra e de estrangeirismos na correspondência as transformam em paratexto para os estudiosos da autora.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mariana Soletti da Silva, PUCRS

Tem experiência na área de Comunicação, com ênfase em Teoria da Comunicação. Jornalista, formada em Letras/Inglês e estudante de Letras/Português pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Interesse e ênfase em Teoria da Literatura, História da Literatura e Literatura Comparada. Pesquisadora, por dois anos, de teatro ático e sul-rio-grandense, explorando a produção do dramaturgo Ivo Bender, sob supervisão do Prof. Dr. Carlos Alexandre Baumgarten. Foi bolsista integral CAPES em Mestrado em Teoria da Literatura, na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, sob supervisão da Prof. Dra. Regina Kohlrausch. No Grupo de Pesquisa da orientadora, analisou o acervo do Caderno de Sábado do jornal sul-rio-grandense Correio do Povo, procurando artigos sobre literatura em língua inglesa. Pesquisa literatura em língua inglesa e psicanálise.É bolsista parcial CAPES cursando o Doutorado em Teoria da Literatura na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, com orientação do Prof. Dr. Carlos Alexandre Baumgarten.

Referências

ABREU, Caio Fernando. Carta a Jacqueline Cantore, Porto, 1o de novembro de 1983. In: MORICONI, Italo (org.). Caio Fernando Abreu: Cartas. Rio de Janeiro: Aeroplano, 2002.

ALBERCA, Manuel. El pacto ambíguo: De la novela autobiográfica a la autoficción. Madrid: Editorial Biblioteca Nueva, 2007.

ALSELM, André Luiz. O ofício da escrita: uma sondagem do fazer literário por meio de cartas de Caio Fernando Abreu. LETRÔNICA. Revista Digital do Programa de Pós-Graduação em Letras da PUCRS Porto Alegre, v. 8, n. 1, p. 232-242, janeiro-junho 2015.

ARFUCH, Leonor. O Espaço Biográfico: Dilemas da Subjetividade Contemporânea. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2010.

ARTIÈRES, Philippe. Arquivar-se: a propósito de certas práticas de autoarquivamento. In: TRANCAVAS, Isabel; ROUCHOU, Joëlle; HEYMANN, Luciana (orgs.). Arquivos pessoais. Rio de janeiro: Editora FGV, 2013. p. 45-54.

CESAR, A. C. Amor mais que maiúsculo: cartas a Luiz Augusto. São Paulo: Companhia das Letras, 2022.

CESAR, A. C. Poética. São Paulo: Companhia das Letras, 2013.

FOUCAULT, Michel. A escrita de si. In: O que é um autor? Lisboa: Passagens, 1992. p. 129-160.

GRÉSILLON, Almuth. Alguns pontos sobre a história da crítica genética. Estud. av., n. 5, v. 11, jun./1991. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ea/a/zxdPKc5gmgfy5Qz3BcyvKyg/?lang=pt. Acesso em: 25 out. 2022.

HAY, Louis. A Literatura sai dos arquivos. In: SOUZA, Eneida M.; MIRANDA, Wander M. (orgs.) Arquivos Literários. São Paulo: Ateliê Editorial, 2003. p. 65-82.

JACOBY, Sissa. “Cápsulas del tiempo”: a epistolografia amorosa de Paul Auster e Camilo José Cela na composição dememórias e biografias. Letras de Hoje, Porto Alegre, v. 49, n. 2, p. 224-232, abr./jun. 2014.

JUSTINO, Katiuce Lopes. Conversa de senhoras: a performance do feminino em Ana Cristina Cesar. 154 f. Tese (Doutorado) - Programa de Pós-Graduação em Letras, Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas (ILBCE), Área de Concentração: Teoria Literária. Universidade Estadual de São Paulo, São José do Rio Preto, 2014. Disponível em: https://repositorio.unesp.br/bitstream/handle/11449/127566/000844507.pdf?sequence=. Acesso em: 25 out. 2022.

KOHLRAUSCH, Regina. Gênero epistolar: a carta na literatura, a literatura na carta. In: LETRÔNICA. Revista Digital do Programa de Pós-Graduação em Letras da PUCRS Porto Alegre, v. 8, n. 1, p. 148-155, janeiro-junho 2015.

LEJEUNE, Philippe. O pacto autobiográfico: de Rousseau à Internet. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2014.

MARQUES, Reinaldo. Arquivos literários: teorias, histórias, desafios. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2015.

MIRANDA, Wander Mello. Archivos e Memória Cultural. In: SOUZA, Eneida M.;

MIRANDA, Wander M. (orgs.). Arquivos Literários. São Paulo: Ateliê Editorial, 2003. p. 35-42.

PASSOS, Marie-Hélène Paret. Entre a vida real e a ficção: a correspondência como reservatório da ficção. Letras de Hoje, Porto Alegre, v. 49, n. 2, p. 190-194, abr./jun. 2014.

PASSOS, Marie-Hélène Paret. Caio Fernando Abreu – cartas redescobertas: da memória adormecida à leitura genética. In: Letras de Hoje, Porto Alegre, v. 45, n. 4, p. 37-42, abr./jun. 2010.

REMÉDIOS, Maria Luiza Ritzel. O empreendimento autobiográfico. José Guimarães e Erico Veríssimo. In: A pedra e o arco: fontes primárias, teoria e história da literatura. Belo Horizonte: Humanitas; Editora da UFMG, 2004, p. 277-342.

SILVEIRA, José Roberto. A correspondência de Caio Fernando Abreu: escrita e testemunho do homem do fim do século XX. XII Congresso Internacional da ABRALIC, Curitiba, jul. 2011.

Downloads

Publicado

22-09-2023

Como Citar

SOLETTI DA SILVA, M. Amor mais que maiúsculo, de Ana Cristina César: correspondência, autobiografia e escrita de si . Revista Odisseia, [S. l.], v. 8, n. 2, p. 59–78, 2023. DOI: 10.21680/1983-2435.2023v8n2ID31586. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/odisseia/article/view/31586. Acesso em: 29 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos