Vozes da violência: o malear do martelo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21680/1983-2435.2024v9n1ID33361

Palavras-chave:

Corpo, Ironia, Linguagem, Violência, Verso livre

Resumo

A obra o martelo, da pernambucana Adelaide Ivánova, apresenta características decoloniais que degradam o sentido literal por meio de vozes trabalhadas em um contínuo contraposto. Demonstrando a violenta opressão contra o corpo feminino, na linguagem, o martelo nos remete, com ironia calculada e reiteração sarcástica de assertivas, ao estupro, à homofobia e à violência contra a mulher em diversos âmbitos, com quebras, “marteladas”, que rompem a lógica sintagmática, transigindo a ordem. A voz de quem esconde um martelo sob o travesseiro envereda o leitor para a repleta perplexidade, com animalizações, teor desumanizante, denunciador, que se em vezes nos leva a visualizar o sangue, a agressividade, a dor da mulher, de súbito também nos desvela a insurgência feminil ao medo e enuncia sem recalques os próprios desejos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Flávio Cavaca Lopes Ribeiro, Universidade Federal Fluminense

Doutorando em Literatura Comparada pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Mestre em Literatura Portuguesa pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e Bacharel em Letras - português/literaturas de língua portuguesa pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RIO). Médico Veterinário pela Universidade Federal Fluminense (UFF).

Referências

ARENDT, Hanna. Sobre a violência. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2016.

BARTHES, Roland. O prazer do texto. São Paulo: Editora Perspectiva, 1987.

BAUDELAIRE, Charles. Le fleurs du mal. Tradução de Ivan Junqueira. Bilíngue. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1985.

BEAUVOIR, Simone de. O Segundo Sexo. Tradução de Sérgio Milliet. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2009.

BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1989.

BRITTO, Paulo Henriques. O natural e o artificial: algumas reflexões sobre o verso livre. ELyra: Revista Da Rede Internacional Lyracompoetics, n. 3, p. 27-41, 2014.

BUTLER, Judith. Os atos performativos e a constituição do gênero: um ensaio sobre Fenomenologia e Teoria Feminista. Tradução de Jamile Pinheiro Dias. São Paulo: Chão da Feira, 2018. (Caderno n. 78).

CÍCERO, Antônio. V de verso. Revista Serrote, São Paulo, ed. 1, Instituto Moreira Sales, 2009.

CELAN, Paul. Obras completas. Madrid: Trotta Editorial, 2004.

CESAR, Ana Cristina. A teus pés. São Paulo: Companhia das Letras, 2016.

CESAR, Ana Cristina. Tradução e Crítica. São Paulo: Companhia das Letras, 2016.

FANON, Frantz. Os condenados da Terra. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1968.

FANON, Frantz. Pele Negra, Máscaras Brancas. Salvador: EDUFBA, 2008.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir. Tradução de Pedro Elói Duarte. Lisboa: Edições 70, 2013.

FREUD, Sigmund. O mal-estar da civilização. Tradução de Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

FREUD, Sigmund. Luto e melancolia. Tradução de Marilene Carone. São Paulo: Cosac Naify, 2011.

HILST, Hilda. Do desejo. São Paulo: Editora Globo, 2004.

IRIGARAY, Luce. Este sexo não é só um sexo. São Paulo: Senac, 2017.

IVANOVA, Adelaide. Dez notas sobre a precariedade. In: revista Estúdio 50. Rio de Janeiro: Edições Macondo, 2021.

IVANOVA, Adelaide. O martelo. Lisboa: Douda correria, 2016.

IVANOVA, Adelaide. O martelo. Rio de Janeiro: Garupa, 2017.

LORDE, Audre. Irmã Outsider. Tradução de Stephanie Borges. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2019.

KEMPINSKA, Olga. Ironia e discurso feminino. Revista Estudos Feministas, Niterói-RJ, EdUFF, 2014. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ref/a/tQ4CNSxMYfNKvCFvDFbqbQN/?lang=pt. Acesso em: 06 maio 2022.

SEGATO, Rita L. Território, soberania e crimes de segundo Estado: a escritura nos corpos das mulheres de Ciudad Juarez. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, 2005.

SONTAG, Susan. Diante da dor dos outros. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.

SWIR, Anna. I talk to my body. Washington: Copper Canyon Press, 1996.

Downloads

Publicado

28-06-2024

Como Citar

CAVACA LOPES RIBEIRO, F. Vozes da violência: o malear do martelo. Revista Odisseia, [S. l.], v. 9, n. 1, p. 185–200, 2024. DOI: 10.21680/1983-2435.2024v9n1ID33361. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/odisseia/article/view/33361. Acesso em: 22 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos