Estudo preliminar sobre a debucalização de /s/ em uma comunidade de fala potiguar

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21680/1983-2435.2024v9n1ID34404

Palavras-chave:

Debucalização, Sociolinguística, Fonologia

Resumo

Este trabalho objetiva descrever os condicionamentos linguísticos e sociais da variação entre formas alveolares e glotais de fricativa pós-vocálica /S/ na fala da cidade de São José de Mipibu, localizada no estado brasileiro do Rio Grande do Norte. A análise é fundamentada nos pressupostos teóricos da Sociolinguística (Weinreich, Labov; Herzog, 2006 [1968]; Labov, 2008 [1972]; 1994; 2001) e da Fonologia Autossegmental (Goldsmith, 1990), especificamente na Geometria de Traços (Clements; Hume, 1995). O conjunto de dados analisados é oriundo do projeto Descrição de Línguas Naturais – Português: formas variantes do arquifonema /S/ na fala dos potiguares Dados de realizações alveolares e glotais de /S/ foram submetidos a modelos de regressão logística construídos na plataforma R, a fim de explicitar as variáveis mais produtivas para análise do fenômeno. Os resultados demonstraram que a articulação glotal é favorecida diante de segmentos com traço [+soante], em posição de sílaba tônica e em sílaba final de palavra diante de consoante (padrão /V__#C/). Há, também, indícios de que a posteriorização pode ser mais produtiva na fala de indivíduos com mais baixos graus de escolarização, em conformidade com o que a literatura já identifica em outras comunidades.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gabriel Sales, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Doutorando e mestre em Letras Vernáculas (Língua Portuguesa) pelo Programa de Pós-Graduação em Letras Vernáculas da Universidade Federal do Rio de Janeiro (PPGLEV/UFRJ), associado à linha de pesquisa Fonética, Fonologia, Prosódia e Morfologia do Português. Licenciado em Letras (Língua Portuguesa e Literaturas) pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Tem experiência na área de Linguística, com ênfase em Teoria Fonológica e em Sociolinguística, atuando principalmente nos seguintes temas: Linguística de Corpus, Atitudes Linguísticas e Descrição fonético-fonológica de variedades do português brasileiro.

Referências

AULER, M. A difusão lexical num fenômeno de aspiração no português. Revista de Estudos da Linguagem, Belo Horizonte, v. 1, n. 1, p. 43-51, 1992.

CARDOSO, S. A. M. S.; MOTA, J. A.; AGUILERA, V. A.; ARAGÃO, M. S. S.; ISQUERDO, A. N.; RAZKY, A.; MARGOTTI, F. W. Atlas linguístico do Brasil. Londrina: EDUEL, 2014.

CLEMENTS, G. N.; HUME, E. The internal organization of speech sounds. In: GOLDSMITH, J. A. The handbook of phonological theory. Oxford: Blackwell, p. 245-306, 1995.

CUNHA, C. M.; SALES, G. Produção do /S/ pós-vocálico em São José do

Mipibu-RN. Revista do GELNE, Natal, v. 22, n. 2, p. 78-92, 2020.

DIAS DA SILVA, J. J. A debucalização e a teoria fonológica. 2014. 88 f. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Vitória da Conquista, 2014.

GOLSMITH, J. A. Autosegmental and Metrical Phonology. Oxford: Basil Blackwell, 1990.

LABOV, W. Principles of linguistic change, volume 1: internal factors. Massachusetts: Wiley-Blackwell, 1994.

LABOV, W. Principles of linguistic change, volume 2: social factors. Massachusetts: Wiley-Blackwell, 2001.

LABOV, W. Padrões sociolinguísticos. São Paulo: Parábola Editorial, 2008 [1972].

LUCCHESI, D. A realização do /S/ implosivo no português popular de Salvador. In: RIBEIRO, S. S. C.; COSTA, S. B. B.; CARDOSO, S. A. M. Dos sons às palavras: nas trilhas da língua portuguesa. Salvador: EDUFBA, 2009. p. 83-110.

LADEFOGED, P. A course in phonetics. New York: Harcourt Brace Jovanovich, 1975.

MOTA, J. A. O -s em coda silábica na norma culta de Salvador. 2002. Tese (Doutorado em Letras Vernáculas) – Faculdade de Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2002.

OLIVEIRA, E. V. M.; BARBOSA, J. W. A. A influência da nasalização na posteriorização de fricativas vozeadas no dialeto alagoano. Revista Signos, Lajeado, v. 42, n. 2, p. 178-195, 2021

OLIVEIRA, E. V. M.; SANTOS, M. T. R. Variantes sociolinguísticas e a posteriorização das fricativas vozeadas em Alagoas. Filologia e Linguística portuguesa, São Paulo, v. 22, n. 1, p. 41-53, 2020.

PEREIRA, M. N. Atlas geolinguístico do litoral potiguar. 2007. Tese (Doutorado em Letras Vernáculas) – Faculdade de Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2007.

PESSOA, M. A. F. C. O s pós-vocálico na fala de Natal. In: I Simpósio sobre a Diversidade Linguística no Brasil. Salvador: UFBA, 1986.

R CORE TEAM. R: A language and environment for statistical computing. Versão 4.2.1. Vienna, Austria: R Foundation for Statistical Computing, 2022. Disponível em:

https://www.R-project.org/. Acesso em: 05 jun. 2023.

RONCARATI, C. N.; UCHOA, J. A. C. Enfraquecimento das fricativas sonoras na fala do Ceará. Revista de Letras, n. 33, v. 1, p. 9-50, 2014.

SILVA, M. B. Atlas linguístico do centro-oeste potiguar. 2012. Tese (Doutorado em Linguística) – Departamento de Letras Vernáculas, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2012.

WEINREICH, U.; LABOV, W.; HERZOG, M. Fundamentos empíricos para uma teoria da mudança linguística. São Paulo: Parábola Editorial, 2006 [1968].

Downloads

Publicado

28-06-2024

Como Citar

SALES, G. . Estudo preliminar sobre a debucalização de /s/ em uma comunidade de fala potiguar. Revista Odisseia, [S. l.], v. 9, n. 1, p. 152–166, 2024. DOI: 10.21680/1983-2435.2024v9n1ID34404. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/odisseia/article/view/34404. Acesso em: 22 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos