O problema da intuição intelectual enquanto postulado prático em Fichte [The problem of intellectual intuition as a practical postulate in Fichte]

Palavras-chave: Intuição intelectual, Postulado prático, Sujeito, Liberdade [Intellectual intuituion, Practical postulate, Subject, Freedom]

Resumo

Na Modernidade, o idealista alemão Fichte reconstrói o conceito de intuição intelectual não mais em termos de um procedimento teórico-reflexivo que visa o conhecimento da pretensa coisa-em-si, mas em termos de uma intuição de cunho prático, a partir do conceito kantiano de postulado prático, o que acaba por refletir a primazia da liberdade da razão prática sobre a razão teórica, tendo em vista a impossibilidade de conhecermos as realidades absolutas. Não obstante, essa intuição é problemática por não tratar de uma realidade objetiva, mas tão somente de uma subjetividade autorreflexiva.

[In Modernity, the German idealist Fichte reconstructs the intellectual intuition not in terms of a theoretical-reflexive procedure that aims at the pretense knowledge of the thing-in-itself, but in terms of a practical-oriented intuition, from the Kantian concept of practical postulate, which ultimately reflects the priority of freedom in the practical reason over the theoretical reason, taking into account the impossibility of knowing the absolute realities. Nevertheless, this intuition is problematic, for it does not concern an objective reality, but only a self-reflected subjectivity]

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Arthur Martins Cecim, Universidade Federal do Pará
Graduado em Filosofia, obteve título de mestre pelo Programa de Pós-graduação em Filosofia (PPGFIL) da Universidade Federal do Pará (UFPA), com área de concentração em Filosofia Moderna. Bolsista da CAPES nesse período. Desde 2014, é Membro do grupo de pesquida "Estética, idealismo e romantismo", certificado pelo CNPQ.

Referências

FICHTE, I. H.; SCHELLING, K. F. A. (Ed.). Fichtes und Schellings philosophischer Briefwechsel aus dem Nachlasse beider. Stuttgart; Augsburg: J. G. Cotta, 1856.

FICHTE, Johann Gottlieb. Sämmtliche Werke. Erster Band. Berlin: Veit und Comp,, 1845.

FICHTE, Johann Gottlieb. Seleção de textos. Trad. Rubens Rodrigues Torres Filho. 3. ed. São Paulo: Nova Cultural, 1988.

KANT, Imannuel. Kritik der praktischen Vernunft. Hrsg. von Karl Vorländer. Achte Auflage. Leipzig: F. Meiner, 1922. (Philos. Bibliothek Bd. 38).

KANT, Imannuel. Crítica da razão pura. Trad. Manuela Pinto dos Santos e Alexandre Fradique Morujão. Lisboa: C. Gulbenkian, 1994.

NUNES, Benedito. Hermenêutica e poesia: o pensamento poético. Org. Maria José Campos. Belo Horizonte: UFMG, 1999.

SCHELLING, Friedrich Wilhelm J. Sämmtliche Werke. I Abt., Bd. 1. Stuttgart; Augsburg: J. G. Cotta, 1856.

SPENLÉ, Jean-Edouard. O pensamento alemão. Trad. João Cunha Andrade. Porto Alegre: Globo, 1945.

Publicado
19-05-2017
Como Citar
CECIM, A. M. O problema da intuição intelectual enquanto postulado prático em Fichte [The problem of intellectual intuition as a practical postulate in Fichte]. Princípios: Revista de Filosofia (UFRN), v. 24, n. 43, p. 131-143, 19 maio 2017.