Entre autonomia e heteronomia: para uma concepção crítica de cuidado de si em Michel Foucault [Between autonomy and heteronomy: for a critical conception of care of the self in Michel Foucault]

Autores

  • Fernando Gimbo UFCA

DOI:

https://doi.org/10.21680/1983-2109.2018v25n46ID13054

Palavras-chave:

Foucault, Cuidado de si, Genealogia, Sujeito, Crítica [Foucault, Care of the self, Genealogy, Subject, Critique]

Resumo

Trata-se de mostrar como a ideia de “cuidado de si” deve ser compreendida a partir de um tensionamento caracterizado por um duplo movimento: por um lado, a afirmação da autoafecção como condição do processo de subjetivação; por outro lado, a necessidade de inscrever tal ipseidade no quadro mais amplo das pesquisas genealógicas centradas nas práticas de assujeitamento e dominação. Com isso, o objetivo é sugerir como o problema fundamental do último e inconcluso momento da obra de Foucault é a necessidade de repensar as condições de gênese do sujeito. Para tanto, o artigo é divido em dois momentos: primeiramente, recuperamos uma autocrítica realizada ao final da década de 70, quando, ao introduzir em suas análises o conceito de governamentalidade, Foucault une a temática do governo sobre os outros ao problema do governo de si. Em segundo lugar, analisar estrategicamente o tema da confissão (l’aveu) como exemplo do reconhecimento dessa dimensão autoafectiva da subjetividade dentro de relações de poder e assujeitamento. A partir disso, é possível assinalar certas consequências críticas em torno de uma certa “ética do cuidado de si” que seria própria ao pensamento foucaultiano.

 

[This article aims to show how the idea of “care of the self" must be understood from the tension of a double movement: on the one hand, the affirmation of an auto-affection as a condition to a process of individuation. On the other hand, the need to incorporate such ipseity to the broader framework of genealogical research focused on the subjugation and domination practices. Thus, my goal is to suggest how the initial problem that runs through Foucault’s later works is the need to rethink the conditions of subjectivity genesis. Therefore, the article is divided into two parts: firstly, I recover Foucault’s self-criticism performed at the end of the 70s, when he introduces in his analysis the concept of governmentality. Secondly, I strategically analyze the theme of confession (l'aveu) as an example of recognizing this auto-affectivity dimension of subjectivity even within power relations. Finally, I point out certain possible consequences of such exposure on the theme of ethics in Foucault's thought.]

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernando Gimbo, UFCA

Graduação em filosofia pela USP e doutorando pela UFSCar. Atualmente é professor no departamento de filosofia da Universidade Federal do Cariri (UFCA).

Referências

ADORNO, T. Problems of moral philosophy. Redwood: Stanford University Press, 2002.

ARENDT, H. Eichmann em Jerusalém. São Paulo: Companhia das letras, 1999.

BALIBAR, E. Le structuralisme: une destitution du sujet? Revue de métaphysique et de morale. Paris, n. 45, 2005, p. 5-22.

BARAD, K. Meeting the universe halfway. Durham: Duke University Press, 2007.

BUTLER, J. Relatar a si mesmo. Belo Horizonte: Autêntica, 2015.

CANDIOTTO, C. Governo e direção de consciência em Foucault. Natureza humana. São Paulo, v. 10, n. 2, jul.-dez. 2008, p. 89-113.

CANDIOTTO, C. Foucault e a crítica da verdade. Belo Horizonte: Autêntica, 2010.

CANGUILHEM, G. Le normal et le pathologique. Paris: PUF, 1966.

COMBES, M. La vie inseparée: vie et sujet au temps de la biopolitique. Paris: Dittmar, 2011.

DARDOT, P.; LAVAL, C. A nova razão do mundo: ensaio sobre a sociedade neoliberal. São Paulo: Boitempo, 2016.

DELEUZE, G. Foucault. São Paulo: Brasiliense, 2005.

FOUCAULT, M. Résumé des cours (1970-1982). Paris: Julliard, 1989.

FOUCAULT, M. Dits et écrits, Vol. I. Paris: Gallimard, 2001a.

FOUCAULT, M. Dits et écrits, Vol. II, Paris: Gallimard, 2001b.

FOUCAULT, M. Sécurité, territoire, population. Paris: Gallimard; Seuil, 2004.

FOUCAULT, M. O nascimento da biopolítica. São Paulo: M. Fontes, 2008.

FOUCAULT, M. Le courage de verité. Paris: Gallimard, 2009.

FOUCAULT, M. História da sexualidade I. São Paulo: Graal, 2010a.

FOUCAULT, M. História da sexualidade II. São Paulo: Graal, 2010b.

FOUCAULT, M. Mal faire, dire vrai. Chicago: University of Chicago Press, 2012.

KANT, I. Crítica da razão pura, 5. ed. Lisboa: C. Gulbenkian, 2001.

HONNETH, A. Critique of power. Cambridge: MIT, 1991.

LEMKE, T. Eine Kritik der politischen Vernunft: Foucaults Analyse der modernen Gouvernementalität. Berlin; Hamburg: Argument, 1997.

MAUER, M. Foucault et le problème de la vie. Paris: Publications de la Sorbonne, 2015.

PELBART, P. P. Foucault versus Agamben. Revista Ecopolítica. São Paulo, n. 5, 2013, p. 50-64.

SAFATLE, V. O dever e seus impasses. São Paulo: M. Fontes, 2013.

SAFATLE, V. Para além da sexualidade: Foucault e a liberdade como autopertencimento. In: NOVAES, A. (Org.). Mutações: entre dois mundos. São Paulo: SESC, 2017.

Downloads

Publicado

29-01-2018

Como Citar

GIMBO, F. Entre autonomia e heteronomia: para uma concepção crítica de cuidado de si em Michel Foucault [Between autonomy and heteronomy: for a critical conception of care of the self in Michel Foucault]. Princípios: Revista de Filosofia (UFRN), [S. l.], v. 25, n. 46, p. 59–83, 2018. DOI: 10.21680/1983-2109.2018v25n46ID13054. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/principios/article/view/13054. Acesso em: 23 jul. 2024.