A teoria dos dois sistemas de Kahneman

Uma crítica a partir da perspectiva ecológica gibsoniana

Palavras-chave: Percepção Direta, Affordance, Tomada de Decisão, Teoria dos Dois Sistemas, Teoria ecológica Gibsoniana

Resumo

 A Teoria dos Dois Sistemas, proposta por Kahneman (2011), pressupõe que a tomada de decisão no contexto econômico se baseia em dois sistemas, um que é automático, intuitivo e principalmente inconsciente e outro reflexivo, racional e totalmente consciente. Consideramos a abordagem kahnemaniana incompleta na medida em que a concepção dos sistemas 1 e 2 não é suficiente para explicar os processos de tomada de decisão. Neste artigo, nosso desafio é mostrar que, diferentemente dos sistemas de Kahneman, a tomada de decisão está ancorada na percepção direta de affordances e é a base das escolhas conceituais, que envolvem experiências sensório-motoras advindas da reciprocidade entre agente e ambiente. Concluímos este artigo, argumentando que, diferentemente da concepção de sistema 1 kahnemaniano, na perspectiva ecológica, a tomada de decisão advém de experiências não conceituais, da percepção direta, não automática, sem envolver representações mentais e processamento de informações.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Juliana Moroni, UNESP-Marília-SP. GAEC (Grupo Acadêmico de Estudos Cognitivos).

Doutora em Filosofia pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro - UERJ. Mestre em Filosofia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - UNESP - Marília-SP. Possui graduação (bacharelado e licenciatura plena) em Filosofia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - UNESP - Marília-SP. Tem experiência na área de Filosofia, com ênfase em Filosofia da Mente e Ciências Cognitivas, Filosofia Ecológica, Filosofia da Informação, Ética da Informação e Interdisciplinar. Tem interesse nos seguintes temas: Epistemologia, Realismo, Problema mente/corpo, Percepção-ação, Self não-conceitual, Agency, Antirepresentacionismo, Auto-Organização, Cognição Incorporada e Situada, Paradigma da Complexidade, Informação Ecológica, Affordances, Teorias da Informação, Epistemologia Ecológica, Ética da Informação e Psicologia Ecológica.

Membro do Grupo Acadêmico de Estudos Cognitivos - GAEC - UNESP-Marília-SP.

Alfredo Pereira Junior, UNESP-Botucatu-SP

Professor adjunto na Universidade Estadual Paulista UNESP-Botucatu-SP e pesquisador visitante no Goldsmiths Institute, University of London.

Referências

BARON, R. M. (2007) Situating Coordination and Cooperation Between Ecological and Social Psychology, Ecological Psychology, v. 19, n.2, 179-199, 2007.
BARRET, L. Beyond the brain: how Body and Environment Shape Animal and Human Minds. Princeton University Press, 2011.
BATESON, G. Mente e Natureza. Rio de Janeiro: F. Alves., 1986.
CARELLO, C.; MICHAELS, C. F. Direct perception. USA: Prentice-Hall, Englewood cliffs, 1981.
HEFT, H.The Social Constitution of Perceiver-Environment Reciprocity, Ecological Psychology, v. 19, n.2, 85-105, 2007.
GIBSON, J. J. The Ecological Approach to visual perception. New Jersey: Lawrence Earlbaum Associates, Inc., 1986.
GIBSON, E. J. Where is the information for affordances? Ecological Psychology, v.12, n.1, 53-56, 2000.
GIBSON, E. ONTOGENESIS of the perceived self. In U. Neisser (Ed.), The Perceived Self Ecological and Interpersonal Sources of Self Knowledge (Emory Symposia in Cognition, Cambridge: Cambridge University Press p. 25-42, 1994.
GONZALEZ, M.E.Q; MORAIS, S. R. A teoria da percepção/ação e o comportamento sócio-cultural. GONZALEZ, M.E.Q.; FERREIRA, A.; COELHO, J. (Orgs.). Encontro com as Ciências Cognitivas V. São Paulo: Cultura Acadêmica,1 49-161, 2007.
KAHEMAN, D.; TVERSKY, A. Prospect Theory: An Analysis of Decision under Risk. In: Econometrica, V. 47, N. 2, 263-292, 1979. Disponível em: https://www.its.caltech.edu/~camerer/Ec101/ProspectTheory.pdf . Acesso em: 6 dez. de 2019.
KAHNEMAN, D. Thinking fast and slow. New York: Farrar, Straus and Giroux, 2013. Disponível em: http://sysengr.engr.arizona.edu/OLLI/lousyDecisionMaking/KahnemanThinkingFast&Slow.pdf . Acesso em: 6 dez. de 2019.
LARGE, D. N. What is ecological philosophy? Disponível em: http://www.newphilsoc.org.uk/OldWeb1/Ecological/what_is_ecological_philosophy.htm Acesso em: 6 dez. de 2019.
LARGE, D. N. (2003). Ecological Philosophy. Web Version.Disponível em:https://revistas.pucsp.br › cognitio › article › downloadSuppFile Acesso em: 6 dez. de 2019.
MACE, W. James J. Gibson's Ecological Approach: Perceiving What Exists. Ethics and the Environment, v. 10, n.2, 195-216, 2005. Disponível em: https://commons.trincoll.edu/wmace/files/2016/07/Enviro_chapt.pdf Acesso em: 6 dez. de 2019.
MOREWEDGE, C. K., KAHNEMAN, D. Associative Processes in Intuitive Judgment. In Trends in Cognitive Sciences, v. 14, n. 10, 435–440, 2010. Disponível em: http://people.uncw.edu/tothj/PSY510/Morewedge-Intuitive%20Judgment-TiCS-2010.pdf Acesso em: 6 dez. de 2019.
MORONI , J. Uma reflexão filosófica sobre o conceito de informação ecológica. 2012. 105 f. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Filosofia e Ciências de Marília, 2012. Disponível em: https://repositorio.unesp.br/handle/11449/91764 Acesso em: 12 dez. de 2019.
MORONI, J. Um estudo epistemológico do Self não conceitual no contexto informacional da Filosofia Ecológica. 2016. 185f. Tese (Doutorado) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Instituto de Filosofia e Ciências Humanas. Disponível em: https://www.academia.edu/36677325/Tese_de_doutorado_Um_estudo_epistemol%C3%B3gico_do_Self_n%C3%A3o_conceitual_no_contexto_informacional_da_Filosofia_Ecol%C3%B3gica Acesso em: 12 dez. de 2019.
MORONI, J. SELF e conteúdo não conceitual da percepção: a perspectiva anti-representacionista acerca da experiência perceptiva do reconhecimento de lugar. In: Griot: Revista de Filosofia, Amargosa, Bahia, v.16, n.2, p. 285-302, 2017. Available from: https://www3.ufrb.edu.br/seer/index.php/griot/article/view/765 . Acesso em: 31dez. de 2019.
REED, E. S. The intention to use a specific affordance: a frameworkfor psychology. In R. Wozniak, & K. Fisscher (Eds.), Development in context: Acting and thinking in specific environment. Hillsdale, NJ: Lawrence Erlbaum Associates, p. 45-75, 1993.
REED, E. S. Encountering the world. New York: Oxford University Press, 1996.
SCHMIDT, R. C. Scaffolds for social meaning. In Ecological Psychology, v. 19, n. 2, p. 137 151, 2007.
SIMON, A. H.What is an "explanation" of behavior? In: Psychological Science, V. 3, N. 3, MAY 1992. Disponível em: http://web.csulb.edu/~cwallis/382/readings/482/simon%20What%20is.pdf. Acesso em: 17 dez. de 2019.
TVERSKY, A., KAHEMAN, D. Advances in Prospect Theory: Cumulative Representation of Uncertainty. J Risk Uncertainty v. 5, p. 297–323, 1992. Disponível em: http://cemi.ehess.fr/docannexe/file/2780/tversjy_kahneman_advances.pdf. Acesso em: 6 de dez. de 2019.
WITHAGEN, R.; DE POEL, H. J.; ARAÚJO, D.; PEPPING, G-J. Affordances can invite behavior: reconsidering the relationship betweeen affordances and agency. In: New Ideas in Psychology, Elsevier, p. 250-258, 2012. Disponível em: http://www.academia.edu/1209074/Affordances_can_invite_behavior_Reconsidering_the_relationship_between_affordances_and_agency Acesso em: 31 dez. de 2019.
ZHU, Y.; RITTER, S. M.; MÜLLER, B. C.N.; Dijksterhuis, Ap. Creativity: Intuitive processing outperforms deliberative processing in creative idea selection. In: Journal of experimental social psychology, V. 73,p. 180-188, 2017. Disponível em: https://repository.ubn.ru.nl/bitstream/handle/2066/175700/175700pre.pdf?sequence=2. Acesso em: 31 dez. de 2019.
Publicado
26-01-2021
Como Citar
MORONI, J.; PEREIRA JUNIOR, A. A teoria dos dois sistemas de Kahneman . Princípios: Revista de Filosofia (UFRN), v. 28, n. 55, p. 91-117, 26 jan. 2021.