AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DO USUÁRIO COM O ACOLHIMENTO NA ESTRATÉGIA DA SAÚDE DA FAMÍLIA NO RECIFE (PE)

Autores

  • Ligiana Nascimento Lucena
  • Ricardo Henrique Vieira Melo
  • Maísa Paulino Rodrigues
  • Fábia Barbosa de Andrade
  • Rosana Lúcia Alves Vilar
  • João Bosco Filho

DOI:

https://doi.org/10.21680/2446-7286.2018v4n2ID16837

Resumo

Introdução: o acolhimento na Atenção Básica de Saúde requer atitudes que garantam uma escuta qualificada e o estabelecimento de vínculos com vistas à resolubilidade dos problemas de saúde dos usuários. Objetivo: este estudo teve por objetivo avaliar a satisfação dos usuários acerca do acolhimento na Estratégia Saúde da Família (ESF) em Recife, Pernambuco. Métodos: trata-se de um estudo quantitativo e seccional. Os sujeitos foram 297 usuários da ESF nos seis distritos sanitários do município. A coleta dos dados ocorreu através de entrevistas individuais e aplicação de uma escala de satisfação do usuário, intitulada SATIS-BR, já validada. A análise do material se deu com o auxilio do software SPSS 17.0. Resultados: Os achados apontaram  que a maioria dos usuários está satisfeita com o acolhimento ofertado pelos profissionais de saúde. Nessa direção, 66% afirmaram ser escutados pelas equipes da ESF; 80,2% obtiveram ajuda quando procuraram    o acolhimento; 64,6% disseram que a acolhida foi amigável ou muito amigável. Contudo, demonstraram insatisfação com a infraestrutura das Unidades de Saúde, apontando sugestões de melhorias. Conclusão: a pesquisa demonstrou que ocorreram melhorias a partir da implantação do Projeto ‘Recife em Defesa da Vida’, facilitando o acesso às ações de saúde, catalisada por um acolhimento promotor de escuta qualificada e de vínculos solidários.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

13-02-2019

Como Citar

LUCENA, L. N.; MELO, R. H. V.; RODRIGUES, M. P.; ANDRADE, F. B. de; VILAR, R. L. A.; BOSCO FILHO, J. AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DO USUÁRIO COM O ACOLHIMENTO NA ESTRATÉGIA DA SAÚDE DA FAMÍLIA NO RECIFE (PE). Revista Ciência Plural, [S. l.], v. 4, n. 2, p. 21–37, 2019. DOI: 10.21680/2446-7286.2018v4n2ID16837. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/rcp/article/view/16837. Acesso em: 31 jan. 2023.

Edição

Seção

Artigos