TRAJETÓRIA DA ARTICULAÇÃO DO “PROJETO QUALIREDE” COM A RESPOSTA PARA A SÍFILIS NO MUNICÍPIO DE CUIABÁ – MATO GROSSO, 2019

  • Fabiano Lima da Silva
  • Míriam Freire
  • Susi Astolfo
  • Ruth Kehrig

Resumo


O diagnóstico oportuno, tratamento adequado e fortalecimento do contínuo do cuidado no enfrentamento da sífilis permitem reduzir a sua transmissão nos diversos grupos populacionais. A qualificação do cuidado em Infecções Sexualmente Transmitidas (IST), com destaque para a sífilis, propicia o controle desses agravos. Tal efeito depende em parte da qualidade da assistência ambulatorial e implica a articulação em rede entre os serviços especializados e de Atenção Primária à Saúde (APS) para o cuidado devido à Saúde Sexual e Reprodutiva da população. A articulação de iniciativas relacionadas à qualificação do cuidado das IST, a exemplo do “Projeto Sífilis Não”, assim como o “Projeto QualiRede”, propõe uma intervenção com a finalidade de aprimorar o contínuo do cuidado a pessoas que vivem com agravos que compõem as IST. No município de Cuiabá/MT, foi possível desenhar um projeto piloto de aproximação às intervenções preconizadas nos respectivos protocolos oficiais no âmbito do SUS. A metodologia de intervenção baseou-se em oficinas de aprendizado com responsáveis técnicos e coordenadores de Unidades Básicas de Saúde (UBS) selecionados da Secretaria Municipal de Saúde de Cuiabá com os objetivos de diagnóstico da situação e construção de planos de trabalho locais para o enfrentamento destes agravos. A intervenção operada ancorou-se no automonitoramento local das ações por UBS, dados e informações das unidades, de indicadores de base populacional, de resultados clínicos e da qualidade organizacional dos serviços.  A construção do contínuo do cuidado em IST implica na integração das ações de promoção, prevenção, diagnóstico e assistência

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fabiano Lima da Silva

Graduação em Tecnologia em Processamento de Dados pela FIC e Direito pela UNIC, Especialista em Saúde
Pública, Gestão do Trabalho e Educação em Saúde, Mestre em Saúde Coletiva, Professor da Universidade de
Cuiabá (UNIC), Servidor da Secretaria Estadual de Saúde de Mato Grosso (SES-MT) e Pesquisador do Projeto
QualiRede do Instituto de Saúde Coletiva (ISC – UFMT). E-mail: fabianolimsil@gmail.com.

Míriam Freire

Graduação em Enfermagem Obstetrícia pela UFMT (1992), com Especialização em Saúde Pública,
Epidemiologia, Docência na Área de Vigilância da Saúde, Vigilância em Saúde de Doenças Transmissíveis,
Mestranda em Saúde Coletiva, Servidora da Secretaria de Estadual de Saúde de Mato Grosso e Apoiadora
Projeto “Sífilis Não” em Cuiabá – MT/MS/UFRN. E-mail: miriam.freire@lais.huol.ufrn.br.

Susi Astolfo

Graduação em Educação Física e Saúde Coletiva (UFMT). Especialista em Avaliação em Saúde e Gestão
Federal do SUS, Mestra e doutoranda em Saúde Coletiva, Servidora na Superintendência Estadual do
Ministério da Saúde em Mato Grosso (Seção de Apoio Institucional e Articulação Federativa). E-mail:
susiastolfo@yahoo.com.br.

Ruth Kehrig

Professora Associada e Pesquisadora do Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva da Universidade
Federal de Mato Grosso (UFMT). Doutora em Saúde Pública pela Universidade de São Paulo (2001),
Administradora, Sanitarista e Gestora Pública atuando na área de Políticas, Planejamento, Gestão e
Avaliação de Serviços no campo da Saúde Coletiva. ruth.kehrig@gmail.com.

Publicado
08-06-2021
Como Citar
Silva, F. L. da, Freire, M., Astolfo, S., & Kehrig, R. (2021). TRAJETÓRIA DA ARTICULAÇÃO DO “PROJETO QUALIREDE” COM A RESPOSTA PARA A SÍFILIS NO MUNICÍPIO DE CUIABÁ – MATO GROSSO, 2019. Revista Brasileira De Inovação Tecnológica Em Saúde - ISSN:2236-1103, 10(4), 7. https://doi.org/10.18816/r-bits.v10i4.23902