Determinação da espessura da interface sedimento-embasamento da Bacia Sergipe-Alagoas a partir da assinatura gravimétrica.

Autores

  • Alanna Costa Dutra Instituto de Física Universidade Federal da Bahia

DOI:

https://doi.org/10.21680/2447-3359.2017v3n1ID11148

Resumo

Este trabalho  utilizou dados gravimétricos para pesquisar o arcabouço da bacia sedimentar Sergipe-Alagoas e parte do embasamento. Os principais objetivos são estimar parâmetros como espessura do embasamento e variação lateral do contraste de densidade nos domínios Estância, Canudos-Vaza-Barris, Macururé e Terreno Pernambuco-Alagoas no trecho adjacente à Bacia Sergipe-Alagoas, utilizando medidas geológicas e geofísicas em rochas coletadas na superfície. A partir da  dos dados adquiridos realizamos o processamento e interpretação de dados gravimétricos ao longo da região do embasamento adjacente e sua extensão para a Bacia Sergipe-Alagoas, para que fosse feita uma modelagem gravimétrica dos domínios crustais e suas relações tectônicas. Para delinear o relevo do embasamento da Bacia Sergipe-Alagoas foi necessário conhecer as anomalias gravimétricas e o contraste de densidade na superfície da bacia. Com estas informações foi possível estimar, além do relevo, o valor do contraste de densidade na superfície desta bacia sedimentar, sendo fornecida a anomalia gravimétrica e a profundidade do embasamento em alguns pontos da bacia. A grande vantagem dos métodos gravimétrico é a boa capacidade de recobrimento espacial com custos razoáveis, e são bastante utilizados para a detecção, localização e delineação de feições estruturais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alanna Costa Dutra, Instituto de Física Universidade Federal da Bahia

Departamento de Física da Terra e Meio Ambiente

Instituto de Física - UFBA

Pós Graduação em Geofísca 

Instituto de Geosciências

Área : Geofísica Aplicada

 

Referências

Aquino, G.S., Lana, M.C. 1990. Exploração na Bacia de Sergipe–Alagoas: o “estado da arte”. Boletim de Geociências da Petrobrás, Rio de Janeiro, 4(1):75-84.

Barbosa, V. C. F., and Silva, J. B. C., 1994, Generalized compact gravity inversion: Geophysics, 59, 57-68.

Barbosa, V. C. F.; Silva, J. B. C.; Medeiros, W. E. 1997. Gravity inversion of basement relief using approximate equality constraints on depth. Geophysics, 62, 1745-1757.

Barbosa, V. C. F.; Silva, J. B. C.; Medeiros, W. E. 1999. Gravity inversion of a discontinuous relief stabilized by weighted smoothness constraints on depth. Geophysics, 64, 1429-1438.

Cainelli, C., Mohriak, W.U. 1998. Geology of Atlantic Eastern Brazilian basins. 1998. In: AAPG, International Conference & Exhibition Short Course – Brazilian Geology Part II, Rio de Janeiro, Brazil, 67 p.

Guillen, A., and Menichetti, V., 1984, Gravity and magnetic inversion with minimization of a specific functional: Geophysics, 49, 1354-1360.

Last, B. J., and Kubik, K., 1983, Compact gravity inversion: Geophysics, 48, 713721.

Silva, J. B. C., Medeiros, W. E., and Barbosa, V. C. F., 2000, Gravity inversion using convexity constraints. Geophysics, 65, 102-112.

Downloads

Publicado

30-06-2017

Como Citar

DUTRA, A. C. Determinação da espessura da interface sedimento-embasamento da Bacia Sergipe-Alagoas a partir da assinatura gravimétrica. Revista de Geociências do Nordeste, [S. l.], v. 3, n. 1, p. 28–47, 2017. DOI: 10.21680/2447-3359.2017v3n1ID11148. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/revistadoregne/article/view/11148. Acesso em: 14 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos