Relações solo-fauna durante sucessão florestal em áreas de clareiras por movimento de massa em Mata Atlântica.

Autores

  • Achiles d'Ávila Chirol Universidade do Estado do Rio de Janeiro
  • Ana Luiza Coelho Netto Universidade Federal do Rio de Janeiro
  • Daniel Vidal Pérez

DOI:

https://doi.org/10.21680/2447-3359.2018v4n0ID16080

Resumo

Os movimentos de massa são feições naturais do Ambiente de Mata Atlântica, trazendo diversas transformações na paisagem, tanto do ponto de vista ecológico como hidrológico. O presente trabalho observou como se dá a recuperação dos nutrientes do solo e da fauna de microartrópodes em três áreas de deslizamento, levando em conta as características morfológicas de cada uma, que variam em tamanho e forma, sempre as comparando com uma área de floresta clímax local. Observou-se que as clareiras de maior porte apresentam condições menos favoráveis a sucessão, assim como maior propagação de efeito de borda. A densidade da fauna diferiu sensivelmente entre as áreas de clareira e a da floresta, assim como os principais nutrientes do solo, com maiores teores na floresta e no topo do solo, principalmente o fósforo. A diversidade de habitats que são criados por estas clareiras pode estar fortemente associada à biodiversidade elevada típica destes ecossistemas, influenciando diretamente na sua dinâmica na resiliência deste.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

29-11-2018

Como Citar

CHIROL, A. d’Ávila; COELHO NETTO, A. L.; VIDAL PÉREZ, D. Relações solo-fauna durante sucessão florestal em áreas de clareiras por movimento de massa em Mata Atlântica. Revista de Geociências do Nordeste, [S. l.], v. 4, p. 01–26, 2018. DOI: 10.21680/2447-3359.2018v4n0ID16080. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/revistadoregne/article/view/16080. Acesso em: 1 jul. 2022.