Espaços de relação na habitação social portuguesa: uma metodologia de análise da arquitetura de conjuntos habitacionais

Autores

  • Marcelo Bezerra de Melo Tinoco DARQ/PPGAU/UFRN

DOI:

https://doi.org/10.21680/2448-296X.2017v2n1ID16591

Resumo

NOTA DO EDITOR: Esse artigo é uma republicação do texto originalmente apresentado no VII Seminário PROJETAR em Natal, 2015, In Memoriam de seu ator, Marcelo Bezerra de Melo Tinoco, membro do Grupo PROJETAR/UFRN. È antecedido de uma apresentação feita pela Editoria da Revista PROJETAR.

RESUMO: O presente artigo examina a produção de conjuntos habitacionais em Portugal, no âmbito do Premio do Instituto Nacional da Habitação/INH (1989 a 2006), inserindo essa produção no contexto da revisão teórico- metodológica da habitação social ocorrida naquele país
durante os anos 60 e 70. Adota os pressupostos teórico-metodológicos presentes na obra do arquiteto Nuno Portas no período da referida revisão, em que considera o dimensionamento sociológico como o ponto de partida para a concepção do habitat, onde
a família desempenha papel central na utilização de diferentes formas de agrupamento residencial, conforme as relações que se estabelecem entre a tipologia do edifício e os órgãos de acesso e distribuição como elementos fundamentais na promoção dos espaços
de relação. Destaca-se na produção levantada a qualidade residencial dada pelos aspectos da interpenetração entre interior e exterior
residencial, a diversidade tipológica, a pequena escala, a adequação aos habitantes e a adequação urbana e paisagística do habitat português contemporâneo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

05-10-2017

Como Citar

TINOCO, M. B. de M. Espaços de relação na habitação social portuguesa: uma metodologia de análise da arquitetura de conjuntos habitacionais. Revista Projetar - Projeto e Percepção do Ambiente, [S. l.], v. 2, n. 1, p. 8–17, 2017. DOI: 10.21680/2448-296X.2017v2n1ID16591. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/revprojetar/article/view/16591. Acesso em: 21 maio. 2022.

Edição

Seção

ENSAIO