A ABORDAGEM TECTÔNICA NO ENSINO DE PROJETO

UMA ANÁLISE A PARTIR DE EXPERIÊNCIAS ACADÊMICAS NA INGLATERRA E NO BRASIL

  • Fernando Diniz Moreira UFPE
  • Jéssica Mota de Melo Santos UFPE
Palavras-chave: Ensino; Projeto; Materialidade; Detalhe

Resumo

O artigo busca contribuir para o debate sobre a relação entre a materialidade e o ensino de projeto, por meio por meio da apresentação de duas experiências em escolas de arquitetura. Em um primeiro momento, são abordados aspectos relacionados ao sentido ontológico dos materiais, ressaltando sua relevância tanto no ensino como na prática da arquitetura. Em seguida, discute-se brevemente esta questão no âmbito da formação de arquitetos no país. Na terceira parte, é apresentada a experiência de um dos autores na De Montfort University, na Inglaterra, uma escola que incentiva a concepção projetual a partir do detalhe. Posteriormente, são apresentados os resultados da observação direta de processos de concepção em disciplina de projeto da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), acompanhada de entrevistas com discentes e docentes, bem como da aplicação de um questionário a uma parcela significativa de alunos do curso, quando foi possível identificar uma lacuna quanto à dimensão material, justificada pelo distanciamento entre as disciplinas de tectônica e projeto. Mediante tais observações, são apresentadas considerações finais que apontam para a necessidade de fortalecer a abordagem tectônica no ensino de projeto

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jéssica Mota de Melo Santos, UFPE

Jéssica de Mota Melo Santos é arquiteta graduada pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) em 2018, como estágio na De Monfort University, Inglaterra. 

Referências

ALMEIDA, P. R. Sobre o ensino do projeto. 2001. 234 f. Dissertação (Mestrado em Arquitetura) - Faculdade de Arquitetura, Universidade Federal do Rio Grande de Sul, Porto Alegre, 2001.
BALBI, Rafaela. A poética do projeto: a expressão tectônica de projetos arquitetônicos desenvolvidos em trabalhos finais de graduação em escolas brasileiras de arquitetura e urbanismo. 2018. 229 f. Tese (Doutorado em Arquitetura e Urbanismo), Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2018.
CANTALICE, Aristóteles. Descomplicando a tectônica: três arquitetos e uma abordagem. 2015. 304 f. Tese (Doutorado em Desenvolvimento Urbano), Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2015.
COMAS, Carlos Eduardo (Org.). Projeto Arquitetônico. Disciplina em Crise, Disciplina em Renovação. São Paulo: Projeto CNPq, 1985.
COSTA LIMA, Hélio. Tectônica é uma disciplina, uma área ou uma abordagem da arquitetura? In: ENANPARQ, II, 2012. Natal. Anais...Natal: PPGAU, UFRN, 2012. CD-ROM
CZAJKOWSKI, Jorge. Arquitetura Brasileira: Produção e Crítica. In: COMAS, Carlos Eduardo (Org.). Projeto Arquitetônico. Disciplina em Crise, Disciplina em Renovação. São Paulo: Projeto CNPq, 1985.
DE MONTFORT UNIVERSITY. Architecture BA (Hons) - Course Modules. Leicester, 2018. Disponível em: .
DESPLAZES, Andrea. Constructing Architecture: Materials, Processes, Structures. Basel: Birkhauser, 2008.
FIRMINO, Bruno. Desvendando o partido arquitetônico: Uma definição contemporânea. 2018. 177 f. Dissertação (Desenvolvimento Urbano), Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2018.
FRAMPTON, Kenneth. Studies on Tectonic Culture. Cambridge: The MIT Press, 1995.
FRAMPTON, Kenneth. Rappel à l’ordre: argumentos em favor da tectônica. In: NESBITT, Kate (org.). Uma Nova Agenda para a Arquitetura. Antologia Teórica 1965-1995. São Paulo: Cosac Naify, 2006. p. 557-569.
FRASCARI, Marco. O detalhe narrativo (1984). In: NESBITT, Kate (org.). Uma Nova Agenda para a Arquitetura. Antologia Teórica 1965-1995. São Paulo: Cosac Naify, 2006. p. 539-556.
GREGOTTI, Vittorio. O exercício do detalhe (1984). In: NESBITT, Kate (org.). Uma Nova Agenda para a Arquitetura. Antologia Teórica 1965-1995. São Paulo: Cosac Naify, 2006. p. 536-538.
MAHFUZ, Edson. Banalidade ou correção: dois modos de ensinar arquitetura e suas consequências. In Revista Projetar Projeto e Percepção do Ambiente v.1, n.3, Dezembrol de 2016, p.8-25
MEDEIROS, Renato. O conteúdo tecnológico construtivo no atelier de ensino de projeto: uma análise em duas instituições de ensino superior. In Revista Projetar Projeto e Percepção do Ambiente v.4, n.1, Abril de 2019, p.25-39
MINTO, Fabrício. A experimentação prática construtiva na formação do arquiteto.2009. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009.
PALLASMAA, Juhani. A geometria do sentimento: o olhar sobre a fenomenologia da arquitetura. In: NESBITT, Kate (org.). Uma Nova Agenda para a Arquitetura. Antologia Teórica 1965-1995. São Paulo: Cosac Naify, 2006. p. 482-489.
PALLASMAA, Juhani. Matéria, Tatilidade e Tempo.in Essências. São Paulo: Gustavo Gili, 2018.
PALLASMAA, Juhani. The Thinking Hand: Existential and Embodied Wisdom in Architecture. New York: Wiley, 2009.
PIÑÓN, H. Teoria do Projeto. Porto Alegre: Livraria do Arquiteto, 2006.
RUSKIN, John. A lâmpada da memória (1849). São Paulo: Ateliê Editorial, 2008.
SCHULZ, Christian Norberg. O fenômeno do lugar. In: NESBITT, Kate (org.). Uma Nova Agenda para a Arquitetura. Antologia Teórica 1965-1995. São Paulo: Cosac Naify, 2006. p. 444-461.
SENNETT, Richard. The Craftsman. New Haven: Yale University Press, 2009.
TEIXEIRA, Kátia. Ensino de projeto: integração de conteúdos. 237f. Tese (Doutorado em Arquitetura e Urbanismo). Universidade de São Paulo, São Paulo, 2005.
UFPE. Projeto pedagógico: Curso de graduação em Arquitetura e Urbanismo da UFPE. Recife, 2010. p. 86. Disponível em: . Acesso em: 10 set. 2018.
UNESCO; UIA. Carta para a formação dos arquitetos. Tokyo: UIA 2011. Disponível em: . Acesso em: 15 nov. 2018.
Publicado
18-09-2019
Como Citar
MOREIRA, F. D.; SANTOS, J. M. DE M. A ABORDAGEM TECTÔNICA NO ENSINO DE PROJETO. Revista Projetar - Projeto e Percepção do Ambiente, v. 4, n. 2, p. 20-35, 18 set. 2019.
Seção
ENSINO