ARQUITETURA ENQUANTO EXPERIMENTAÇÃO TEÓRICA-PROJETUAL

Palavras-chave: arquitetura contemporânea, processos de projeto, Zaha Hadid

Resumo

O artigo tem como enfoque a conceituação de aspectos característicos de propostas arquitetônicas que podem ser lidas e interpretadas enquanto experimentações tanto projetuais, como teóricas.
O artigo insere-se na pesquisa de doutorado finalizada em março de 2019. A tese em questão teve como objeto de estudo as aproximações teóricas e projetuais entre a arte e a arquitetura a partir da leitura de algumas obras da arquiteta Zaha Hadid.
Na tese, foram estabelecidos alguns parâmetros circunstanciando o objeto de estudo, entre estes, a procura de aspectos experimentais no percurso da obra da arquiteta.
A produção da arquiteta foi estudada a partir dos atravessamentos das fronteiras disciplinares, entre a prática da pintura e da arquitetura, tanto das influências da arte Suprematista de Kazimir Malevich, no período formativo de sua obra, na década 1970, como a prática da pintura como meio de visualização e modelação espacial arquitetônica, pela própria Zaha Hadid.
Os conceitos que se desenvolvem no corpo do artigo, fazem parte da contextualização teórica e projetual, na qual se deu a leitura de 5 obras da arquiteta. Cada obra sendo referente a um período de sua produção e, apresentando diferentes questões experimentais para a arquitetura contemporânea. Principalmente, as arquiteturas que surgiram a partir de releituras de conceitos formativos do Movimento Moderno.
PALAVRAS-CHAVES: Arquitetura Contemporânea; Processos de Projeto; Zaha Hadid.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adriana Ricciardi Rodrigues Lima, Universidade de São Paulo

Doutorado Direto em Arquitetura e Urbanismo pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (2019). Graduação em Arquitetura e Urbanismo
pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Presbiteriana Mackenzie (São Paulo, 1995). Tem experiência na área de Arquitetura e Urbanismo, atuando
principalmente nos seguintes temas: processos generativos de projeto e design de sistemas industrializados de produção e construção.

Rafael Antonio Cunha Perrone, Universidade de São Paulo, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo

Possui graduação em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de São Paulo (1973), mestrado em Administração Pública e Planejamento Urbano pela Fundação Getulio Vargas - SP (1984), doutorado (1993) e livre docência (2008) em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de São Paulo. Atualmente é professor associado da Universidade de São Paulo, professor adjunto da Universidade Presbiteriana Mackenzie, consultor da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, colaborador da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior e foi membro de diretoria do Instituto de Arquitetos do Brasil. Além da experiência acadêmica, atua profissionalmente desenvolvendo trabalhos na área de arquitetura. Recebeu diversas premiações de projetos pelo Instituto de Arquitetos do Brasil (1983,1987,1989, 1994, 1999, 2000, 2002, 2004, 2006). Em 1999 recebeu o Prêmio Carlos Barjas Milan do IAB-SP, em 2003 o Prêmio Votorantim da V Bienal Internacional de Arquitetura de São Paulo e em 2006 o Prêmio do Júri da XXX Bienal Latinoamericana de Arquitetura. Tem artigos e projetos publicados em revistas nacionais e internacionais. Foi membro de júris do Prêmio MOVESP, do Prêmio de Design do Museu da Casa Brasileira e da premiação IAB-SP (1987).Publicou os livros Fundamentos de Projeto: Arquitetura e Urbanismo na edição de 2014 com reedição em 2016 e o livro Os croquis e os processos de projeto de arquitetura em 2018

Referências

ALAIN-BOIS, Y. (2009). A Pintura como Modelo. São Paulo: Martins Fontes.
ALLEN, S. (1999). Points + Lines Diagrams and Projects for the City. Nova York: Princeton Architectural Press.
ALLEN, S., & AGREST, D. (2000). Practice, architecture, technique, and representation. Singapura: Overseas Publishers Association.
ARCHITECT, G. (1986). Zaha M. Hadid. Tóquio: A.D.A. Edita Tokyo.
ARCHITECTS, Z. H. (2013). Zaha Hadid: The Complete Buildings and Projects. Londres: Thames and Hudson.
ARCHITECTS, Z. H. (2016). Zaha Hadid Architects and Fundazione Berengo. Veneza: Grafiche Veneziane.
CASTRO, L. R. (1995). Conversa com Zaha Hadid. El Croquis no. 73.
CLARK, R. H., & PAUSE, M. (2005). Precedents in Architecture, analytic diagrams, formative ideas, and parti. Londres: John Wiley & Sons.
COOK, C., PAPADAKIS, A., & BENJAMIN, A. (1989). Deconstruction Omnibus Volume. Nova York: Rizzoli.
CROQUIS, E. (1995). El Croquis Zaha Hadid 1992 1995 nº73. Barcelona: El Croquis.
CROQUIS, E. (2001). El Croquis No. 103 Zaha Hadid 1996 2001. Barcelona: El Croquis.
FOSTER, H. (2015). O Complexo Arte-Arquitetura. São Paulo: Cosac Naify.
FRANK, S., & EISENMAN, P. (1994). Peter Eisenman`s House VI: the client`s response. Nova York: Watson-Guptill Publications.
HADID, Z. (2013). The complete Zaha Hadid, expanded and updated. Londres: Thames and Hudson.
HADID, Z. (2014). Plane Sailing. Royal Academy of Arts.
HENDERSON, L. D. (2013). The fourth dimension and non-euclidean geometry in modern art. Londres: The MIT Press.
KATINSKY, J. R. (2014). Caderno de Resenhas. Textos redigidos para subdisiar a disciplina AUH 5700 - Metodologia Cientifica Aplicada à Arquitetura e Urbanismo. São Paulo: FAU USP.
KOLAREVIC, B. (2003). Architecture in The Digital Age- Design and Manufactoring. Nova York: Spon Press.
KRAUSS, R. E. (1997). The Originality of the Avant-Garde and Other Modernist Myths. Londres: MIT Press.
LYNN, G. (1999). Animate Form. Princeton: Princeton Architectural Press.
LUHMANN, N. (1995). Social Systems. Stanford: Stanford University Press.
MALEVICH, K. (2003). The Non-objective World. The Manifesto of Suprematism. Nova York: Dover Publications.
MALEVICH, K., & Bulgakowa, O. (2002). The White Rectangle: Writings on Film. Nova York: Potekim Press.
MCLUHAN, M. (1964). Understanding Media: The Extensions of Man. Londres: Routledge.
MERTINS, D. (2006). The Modernity of Zaha Hadid. In Zaha Hadid Exhibition Catalog. Nova York: Guggenheim Museum Publications.
PONS, J. P. (2002). Neovanguardias y Representación Arquitectónica. Barcelona: Edicions de la Universitat Politècnica de Catalunya UPC.
SCHUMACHER, P. (2002). Graphic Spaces - Aspects of the Work of Zaha Hadid. IDEA International Graphic Art no. 293. Tóquio: IDEA International Graphic Art no. 293.
SCHUMACHER, P. (2004). Digital Hadid: Landscapes in Motion. Londres: Birkhauser.
SCHUMACHER, P. (2010). Medium and Form, The Drawing within the Autopoiesis of Architecture in The Autopoiesis of Architecture vol. 1. Londres: John Willey & Sons.
SCHUMACHER, P. (2010). The Autopoieses of Architecture vol. 1. Londres: John Willey & Sons
SCHUMACHER, P., & Fontana-Giusti, G. (2004). Zaha Hadid Major Works. Londres: Thames and Hudson.
SHUMACHER, P., & Fontana-Giusti, G. (2004). Zaha Hadid Texts and References. Londres: Thames and Hudson.
SIMONDON, G. (1992). The Genesis of the Individual. Em J. Crary, & S. Kwinter, Incorporations Zone 6 (pp. 296, 319). Nova York: Urzone.
SYKES, A. K. (2013). O Campo Ampliado da Arquitetura: Antologia Teórica 1993-2009. São Paulo: Cosac Naify.
TEYSSOT, G. (2012). O Diagrama como Máquina Abstrata. VÍRUS Nº 7 São Carlos Disponível em: http://www.nomads.usp.br/virus/virus07/?sec=3&item=1&lang=pt
VIDLER, A. (2008). Architecture`s Expanded Field. Artforum International Magazine.
Publicado
22-09-2020
Como Citar
RICCIARDI RODRIGUES LIMA, A.; CUNHA PERRONE, R. A. ARQUITETURA ENQUANTO EXPERIMENTAÇÃO TEÓRICA-PROJETUAL. Revista Projetar - Projeto e Percepção do Ambiente, v. 5, n. 3, p. 20-32, 22 set. 2020.
Seção
PESQUISA