AS TRANSFORMAÇÕES URBANAS E A RESSIGNIFICAÇÃO DOS ESPAÇOS LIVRES PÚBLICOS

UM ESTUDO SOBRE O BAIRRO CAMOBI

Palavras-chave: espaço livre público, apropriação, representatividade, simbólico

Resumo

Pautado no discurso e na percepção individual do habitante do bairro, o presente artigo busca compreender de que forma as transformações espaciais, associadas ao processo de desenvolvimento urbano, influenciam na ressignificação dos espaços livres públicos. Adota como objeto de análise o bairro Camobi, localizado na cidade de Santa Maria, Rio Grande do Sul. A partir de entrevistas realizadas com os moradores do bairro, sob a ótica do uso, representatividade e aspectos simbólicos, foi possível compreender as diversas razões que promovem a identificação do sujeito com os espaços livres públicos e que significado são associados a eles. Destaca-se que a qualificação dos aspectos físicos e visuais, aliados à diversidade de uso, concentração de pessoas e representatividade dos lugares influenciam na aproximação dos habitantes com a cidade. Da mesma forma, razões de ordem simbólica foram apontadas enquanto responsáveis na identificação do usuário com o local de moradia, são exemplos: sensação de segurança, relatos nostálgicos, sentimento de acolhimento ou de pertencimento a uma certa comunidade. Neste contexto, a pesquisa colaborou para a compreensão das relações que envolvem o viver urbano como elemento fundamental no entendimento e funcionamento das cidades, onde a qualificação dos espaços livres públicos e da vida urbana deve ser pensada de forma a atender aos anseios e às necessidades da população.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paula Gabbi Polli, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutoranda no Programa de Pós Graduação em Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal de Santa Catarina.

Vanessa Casarin, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutora em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (2012). Professora Adjunta IV da Universidade Federal de Santa Catarina. 

Referências

AGENCIA DE DESENVOLVIMENTO DE SANTA MARIA. Santa Maria em dados. 2016. Disponível em http://santamariaemdados.com.br/1-aspectos-gerais/1-2-localizacao/. Acesso em 03 de novembro de 2019.
ATLAS SOCIOECONOMICO DO RIO GRANDE DO SUL. Rede e hierarquia urbana. 2018. Disponível em https://atlassocioeconomico.rs.gov.br/rede-e-hierarquia-urbana/. Acesso em 22 de outubro de 2019.
BELTRÃO, R. Cronologia histórica de Santa Maria e do extinto município de São Martinho. Santa Maria: Palotti, 1958.
BOMFIM, Z.; DELABRIDA, Z.; FERREIRA, K. Emoções e afetividade ambiental. In : CAVALCANTE, S.; ELALI, G. (Orgs.). Psicologia ambiental: conceitos para a leitura da relação pessoa-ambiente, pp. 60-74. Rio de Janeiro: Vozes, 2018.
BONI, V.; QUARESMA, S.J. Aprendendo a entrevistar: como fazer entrevistas em Ciências Sociais. Revista Eletrônica dos Pós-Graduandos em Sociologia Política da UFSC, n. 2, v. 3, pp. 68-80, 2005.
BORJA, J. Espaço público, teste da cidade democrática. 2013. Disponível em https://www.archdaily.com.br/br/01-155061/espaco-publico-teste-da-cidade-democratica/. Acesso em 13 de março de 2019.
CARLOS, A.F. Espaço-tempo na metrópole: A fragmentação da vida cotidiana. São Paulo: Contexto, 2001.
CAVALCANTI, H.; SANTOS, B. Processos de configuração identitária com o lugar: A experiência de residentes dos municípios de Cabo de Santo Agostinho e Ipojuca, Pernambuco, Brasil. Revista Brasileira de Estudos Urbanos, n. 19, v. 3, pp. 475-492, 2017.
COMIN, F.V. Dinâmica espacial e segregação residencial no bairro Camobi – Santa Maria/RS. 132 f. Dissertação. Mestrado em Geografia, Programa de Pós-Graduação em Geografia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2013. Disponível em https://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/87971. Acesso em 18 de março de 2019.
COMIN, F. Estudo da expansão territorial urbana e do uso do solo urbano nas três principais vias do bairro Camobi – Santa Maria/RS. Monografia. Curso de Geografia Bacharelado, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2008.
DE ALENCAR, H.; FREIRE, J.C. O lugar da alteridade na psicologia ambiental. Revista Mal Estar e Subjetividade, v. 7, n. 2, pp. 305-328, 2007.
DE OLIVEIRA, L.A. Caminhos da centralidade na cidade contemporânea. Um jogo de escalas. In: DE OLIVEIRA, L.A.; SILVA, G.P.A.; ROSSETO, A.M. (Orgs.). A arquitetura da cidade contemporânea: centralidade, estrutura e políticas públicas, pp. 21-46. Itajaí: Univali, 2010.
EDELWEISS, R. Cidade contemporânea, memória e preservação patrimonial: uma interpretação a partir das preexistências culturais. Oculum ens., v. 13, n. 1, pp. 153-162, 2016.
FIGUEIREDO, L.C. Memória e experiência de uma cidade do Paraná: o caso de Maringá. 200 f. Tese. Doutorado em Geografia. Programa de Pós-Graduação em Geografia, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2005. Disponível em https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/102978. Acesso em 08 de fevereiro de 2019.
HALBWACHS, M. A memória coletiva (2a ed.). São Paulo: Centauro, 2006.
Lynch, K. A imagem da cidade (2a ed.). São Paulo: WMF Marins Fontes, 2010.
MACEDO, S.S. QUAPA SEL – um projeto de pesquisa em rede. In: I ENANPARQ. Arquitetura, Cidade, Paisagem, e Território: percursos e perspectivas. Rio de Janeiro, 2010.
MADALOZZO, N.; MONSTIRSKY, L. Memória social e cidade contemporânea: o velho centro ferroviário de Ponta Grossa-PR. Patrimônio e Memória, n. 12, v. 2, pp. 232-253, 2016.
MELLO, M.A.S.; VOGEL, A. Quando a rua vira casa: A apropriação de espaços de uso coletivo em um centro de bairro (3a ed.). Rio de Janeiro: Projeto, 1985.
NARCISO, C.A.F. Espaço público: acção política e práticas de apropriação. Conceito e procedências. Revista Estudos e Pesquisas em Psicologia, n. 9, v. 2, pp. 265-291, 2009.
NASAR, J. The evaluative image of the city. Londres: SAGE Publications, 1998.
PIPPI, L.G.A.; MALLMANN, C.L.; WEISS, R.; GOETTMENS, R.; DE MORAES, F.D.; RADAELLI, R.R.; BOCHI, T.C. A dinâmica dos espaços livres públicos intra-urbanos da cidade de Santa Maria-RS. Paisagem e Ambiente: Ensaios, n. 29, pp. 189-226, 2011.
POL, E.; VALERA, S. Symbolisme de l'espace public et identitée sociale. Villes en Paralèlle, n. 28-29, pp. 12-33, 1999.
QUEIROGA, E.F. Sistemas de espaços livres e esfera pública em metrópoles brasileiras. Artigos & Ensaios. RESGATE, v. 19, n. 21, pp. 25-35, 2011.
RASSE, A. Juntos pero no revueltos. Procesos de integración social en fronteras residenciales entre hogares de distinto nivel socioeconómico. Eure, v. 41, n. 122, pp. 125-143, 2015.
TUAN, Y.F. Topofilia. Um estudo da percepção, atitudes e valores do meio ambiente. New Jersey: Prentice-hall Inc. Tradução: DIFEL / Difusão Editorial S. A, 1980.
Publicado
22-09-2020
Como Citar
GABBI POLLI, P.; CASARIN, V. AS TRANSFORMAÇÕES URBANAS E A RESSIGNIFICAÇÃO DOS ESPAÇOS LIVRES PÚBLICOS. Revista Projetar - Projeto e Percepção do Ambiente, v. 5, n. 3, p. 48-63, 22 set. 2020.
Seção
PESQUISA