ARQUITETURA DO MORAR

DO VERNACULAR AO POPULAR

Autores

  • Maressa Fonseca e Souza Centro Universitário de Viçosa (UNIVIÇOSA)

DOI:

https://doi.org/10.21680/2448-296X.2022v7n3ID27523

Palavras-chave:

arquitetura vernacular, arquitetura popular, autoconstrução, espaço doméstico

Resumo

Proponho aqui uma reflexão sobre os conceitos de arquitetura vernacular e de arquitetura popular, partindo de uma perspectiva de análise sobre os espaços domésticos. Discuto as mudanças sociais e suas consequências sobre os modos de morar em cenários caracterizados como tradicionais e modernos, compreendendo a arquitetura vernacular como manifestação de processos associados a modos de vida pré-modernos, enquanto a arquitetura popular é entendida a partir de uma hibridização entre tradição e modernidade. Proponho uma análise morfológica das configurações espaciais de exemplos emblemáticos na historiografia da arquitetura doméstica colonial brasileira e os comparo com edifícios autoconstruídos em um contexto específico no estado de Minas Gerais, visando identificar características que se colocam entre o vernacular e o popular nestas produções.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALGRANTI, L. M. Famílias e vida doméstica. In: SOUZA, L. M. (Org.) História da vida privada no Brasil: cotidiano e vida privada na América Portuguesa. São Paulo: Companhia das Letras, 1997. p. 84-154.

CANCLINI, N. G. Culturas híbridas: estratégias para entrar e sair da modernidade. São Paulo: Edusp, 2006.

CARVALHO, V. C. Gênero e Artefato: o sistema doméstico na perspectiva da cultura material – São Paulo, 1870-1920. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo/Fapesp, 2008.

COSTA, L. Documentação Necessária. Revista do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, Rio de Janeiro, Ministério da Educação e Saúde – Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, n° 01, p. 31-39, 1937.

FREYRE, G. Oh de casa!: Em torno da casa brasileira e de sua projeção sobre um tipo nacional de homem. Recife: Artenova; Instituto Joaquim Nabuco de Pesquisas Sociais, 1979.

GIDDENS, A. As consequências da modernidade. São Paulo: Ed. UNESP, 1991.

ICOMOS. Charte du Patrimoine Bâti Vernaculaire. México: 1999. Disponível em http://www.icomos.org/charters/vernacular_f.pdf. Acesso em: 04 jul. 2021.

LE GOFF, J. A história nova. São Paulo: Martins Fontes, 1995.

MARX, M. Cidade no Brasil terra de quem? São Paulo: EDUSP/Nobel, 1991

MONIOS, J. M.; OLIVEIRA, A. M. V. Arquitetura vernácula e popular em Goiânia. In: KNEIB, E. C. (Org.) Projeto e cidade: ensaios acadêmicos. Goiânia: Funape, p.271-288, 2013.

MONTANER, J. M. Depois do movimento moderno: arquitetura da segunda metade do século XX. Barcelona: Gustavo Gili, 2001.

OLIVEIRA, A. M. V. Arquitetura como fenômeno cultural: a casa brasileira. Estudos – Arte e tecnologia: Revista da Universidade Católica de Goiás, Goiânia: Editora da UCG, v. 28, n.1, p. 11-24, 2001.

OLIVER, P. Shelter and society. New York: FA Praeger, 1969.

____. Why study vernacular architecture? (1978) In: ____. Built to meet needs: Cultural issues in vernacular architecture. Oxford: Elsevier Ltd, 2006.

PEREIRA, S. M. Casa e mudança social: uma leitura das transformações da sociedade portuguesa através da casa. Lisboa: Caleidoscópio, 2012.

RAPOPORT, A. House form and culture. New Jersey: Prentice-Hall, 1969

REIS FILHO, N. G. Quadro da arquitetura no Brasil. São Paulo: Perspectiva, 1978.

RYBCZYNSKI, W. Casa: pequena história de uma ideia. Rio de Janeiro: Record, 1996.

SOUZA, M. F. Modos de vida e modos de habitar em moradias autoconstruídas: um estudo nos bairros Nova Viçosa e Posses, em Viçosa – MG. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) – Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2017.

TEIXEIRA, C. M. Considerações sobre a arquitetura vernácula. Cadernos de Arquitetura e Urbanismo, Belo Horizonte, v. 15, n. 17, 2º sem. 2008.

VERÍSSIMO, F. S.; BITTAR, W. S. M. 500 anos da casa no Brasil: as transformações da arquitetura e da utilização do espaço de moradia. Rio de Janeiro: Ediouro, 1999.

WISNIK, G. A arquitetura lendo a cultura. In: NOBRE, A. L. (Org.). Um modo de ser moderno: Lucio Costa e a crítica contemporânea. São Paulo: Cosac Naify, 2004.

Downloads

Publicado

28-09-2022

Como Citar

FONSECA E SOUZA, M. ARQUITETURA DO MORAR: DO VERNACULAR AO POPULAR. Revista Projetar - Projeto e Percepção do Ambiente, [S. l.], v. 7, n. 3, p. 117–129, 2022. DOI: 10.21680/2448-296X.2022v7n3ID27523. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/revprojetar/article/view/27523. Acesso em: 6 dez. 2022.

Edição

Seção

TEORIA E CONCEITO