Ecolabels no Turismo: análise de um prêmio de sustentabilidade na visão dos gestores das iniciativas premiadas

Ecolabels in Tourism: analysis of a sustainability award in the view of the managers of the awarded initiatives

Autores

  • Helena Araújo Costa Professora Associada I do Departamento de Administração da Universidade de Brasília – UnB, Brasília/DF, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.21680/2357-8211.2020v8n1ID18121

Resumo

Os prêmios de sustentabilidade estão inseridos dentro de um conjunto de ferramentas conhecidas como ecolabelsou rotulagem ambiental. Este artigo teve como objetivo compreender como uma premiação de sustentabilidade influenciou a realidade organizacional e foi vista por gestores de iniciativas premiadas. A atenção se voltou para ganhadores do Prêmio Braztoa de Sustentabilidade no Turismo no período de 2012 a 2017. A pesquisa teve natureza qualitativa e realizou entrevistas semi-estruturadas junto a representantes de oito iniciativas. Os resultados indicaram que a influência da premiação se dá de modo distinto, variando de um nível baixo - por ser considerada pontual, passageira ou mesmo inexistente - até uma influência considerada em nível alto - por possibilitar ampliação da visibilidade e da credibilidade, fortalecer as relações institucionais, entre outros aspectos. Para nenhum dos grupos o prêmio incrementou aspectos comerciais. Por fim, revela-se que há expectativas por parte dos entrevistados de que o Prêmio reverta, principalmente, em três tipos de ganhos: maior inserção comercial, aprendizagem e estabelecimento de relacionamentos com os parceiros do Prêmio.

Palavras-chave: Ecolabels. Prêmios. Sustentabilidade. Turismo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

30-04-2020

Como Citar

COSTA, H. A. Ecolabels no Turismo: análise de um prêmio de sustentabilidade na visão dos gestores das iniciativas premiadas: Ecolabels in Tourism: analysis of a sustainability award in the view of the managers of the awarded initiatives. Revista de Turismo Contemporâneo, [S. l.], v. 8, n. 1, p. 107–126, 2020. DOI: 10.21680/2357-8211.2020v8n1ID18121. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/turismocontemporaneo/article/view/18121. Acesso em: 9 dez. 2023.

Edição

Seção

Artigos