Formação didático-pedagógica dos egressos da pós-graduação stricto sensu em ciências contábeis de uma instituição federal de ensino superior

Palavras-chave: Formação didático-pedagógica; Egresso da Pós-graduação; Ciências Contábeis.

Resumo

Objetivo: O presente estudo objetivou investigar a formação didático-pedagógica no curso de pós-graduação em Ciências Contábeis de uma Instituição Federal de Ensino Superior.

Metodologia: Buscou-se os alunos egressos da pós-graduação (stricto sensu) atual na Instituição Federal de Ensino Superior (IES) em estudo e do Programa Multiinstitucional e Inter-Regional de Pós- Graduação em Ciências Contábeis que permaneceu antes da criação do atual programa de pós-graduação da IES, chegando ao número de 65 (Sessenta e cinco) egressos até março de 2018, dos quais 42 (quarenta e dois) retornaram o questionário respondido. Quanto aos objetivos, trata-se de uma pesquisa descritiva e quanto à abordagem do problema, tem caráter qualitativo. Ademais, no plano metodológico, a opção pela abordagem foi a pesquisa documental e de campo.

Resultados: Os resultados foram analisados através da análise de conteúdo conforme Bardin (2011) e estatística descritiva. Estes apresentam-se quanto ao perfil dos egressos, sua reflexão da atuação como docente, tendo sido observado uma lacuna em competências de metodologia de ensino e didático-pedagógicas na formação dos egressos. Quanto à análise documental, verificou-se que as disciplinas que objetivam assuntos de formação didático-pedagógica são tratadas como eletivas. Além disso, os egressos percebem que houve uma formação acadêmica de excelência, com um bom aprofundamento de conhecimentos específicos das diversas áreas não exploradas na graduação e com contribuição na construção de conhecimento na área de estudo. Ante esse cenário, a formação é contínua, sendo necessária durante toda a prática docente, pois o aprender é constante e essencial nessa profissão.

Contribuições do Estudo: A pesquisa contribui para analisar a formação acadêmica recebida pelos egressos da Pós-graduação stricto sensu em Ciências Contábeis e para refletir sobre a formação docente recebida pelos dos sujeitos da pesquisa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thayná de Oliveira Fernandes, Universidade Federal da Paraíba

Graduação em Ciências Contábeis pela Universidade Federal da Paraíba (2019). Mestranda em ciências contábeis pelo PPGCC-UFPB.

Valdineide dos Santos Araújo, Universidade Federal da Paraíba

Doutorado em Educação pela Universidade Nacional de Rosário (UNR) (2017). Professor adjunto III da Universidade Federal da Paraíba.

 

Paulo Roberto Nóbrega Cavalcanti, Instituto de Educação Superior da Paraíba

Doutor em Controladoria e Contabilidade pela Universidade de São Paulo (2004).

Referências

Araújo, V. S., Lima, M. F., & Cavalcante, P. R. N. (2017). Competências necessárias para ser um bom professor: a percepção dos estudantes do curso de Ciências Contábeis da Universidade Federal da Paraíba. Anais do Congresso Nacional de Educação, João Pessoa, PB, Brasil.

Bardin, L. (2011). Análise de Conteúdo. São Paulo: Edições 70.Lisboa.

Cunha, M. I. (2009). O lugar da formação do professor universitário: o espaço da pós- graduação em questão. Rev. Diálogo Educ., 9(26): 81-90.

Fleury, M. T. L., & Fleury, A. (2001). Construindo o conceito de competência. Revista de Administração Contemporânea – RAC, 5(1): 183-196.

Gil, A. C. (2002). Como elaborar projetos de pesquisa (4th ed.). São Paulo: Atlas.

Gil, A. C. (2015). Didática do ensino superior (1th ed). São Paulo: Atlas.

Gil, A. C. (2011). Metodologia do ensino superior (4th ed). São Paulo: Atlas.

Gil, A. C. (2012). Métodos e técnicas de pesquisa social (6th ed). São Paulo: Atlas.

Guelfi, B. F. C., Tumelero, R. C., Antonelli, R. A., & Voese, S. B. (2018). Ao mestre com carinho: o bom professor sob a ótica dos discentes de ciências contábeis da geração y. Revista de educação e pesquisa em contabilidade, 12 (1): 45-65.

Laffin, M. (2002). De contador a professor: a trajetória da docência no ensino superior de contabilidade. Tese de doutorado, Universidade Federal de Santa Catarina, Santa Catarina, SC, Brasil.

Lapini, V. C. (2012). Panorama da formação do professor em Ciências Contábeis pelos cursos stricto sensu no Brasil. Dissertação de mestrado, Programa de Pós-graduação em Controladoria e Contabilidade, Ribeirão Preto, SP, Brasil.

Leal, E. A., Miranda, G. J., & Nova, S. P. D. C. C. (2017). Revolucionando a sala de aula: como envolver o estudante aplicado as técnicas de metodologias ativas de aprendizagem (1th ed). São Paulo: Atlas.

Lei n. 9394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Recuperado de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9394.htm.

Libâneo, J. C. (2013). Didáticas. São Paulo: Cortez.

Lourenço, C. D. D. S., Lima, M. C., & Narciso, E. R. P. (2016). Formação pedagógica no ensino superior: o que diz a legislação e a literatura em educação e administração? Avaliação: revista da avaliação da educação superior, 21(3): 691-717.

Marion, J. C. & Marion, A. L. C. (2006). Metodologia de ensino na área de negócios: para cursos de Administração, Gestão, Contabilidade e MBA (1th ed). São Paulo: Atlas.

Miranda, C., Miranda, R. Á. M. (2006). Interdisciplinaridade e métodos de ensino no curso de contabilidade: um estudo no Nordeste Paulista. Anais do Congresso USP de Controladoria e contabilidade, São Paulo, SP, Brasil.

Miranda, G. J., Oliveira, E. G., & Zanette, M. A. (2008). A Formação Didático–Pedagógica do Professor de Contabilidade. Anais do Congresso UFSC Controladoria e Finanças & Iniciação Científica, Florianópolis, SC, Brasil.

Miranda, G. J., Veríssimo, M. P., & Miranda, A. B. D. (2007). A relevância da didática no ensino de contabilidade. Anais do Congresso Brasileiro de Custos, João Pessoa, PB, Brasil.

Perrenoud, P. (2000). 10 novas competências para ensinar. Porto Alegre: ArtMed.

Pimenta, S. G., & Anastasiou, L. D. G. C. (2010). Docência no ensino superior (4th ed). São Paulo: Cortez.

Resolução nº 19/2017, de 21 de agosto de 2017. Revoga a Resolução no 24/2014 do Consepe, aprova e dá nova redação ao Regulamento e a Estrutura Acadêmica do Programa de Pós- Graduação em Ciências Contábeis, em níveis de mestrado acadêmico e doutorado, sob a responsabilidade do Centro de Ciências Sociais Aplicadas. Recuperado

de http://www.ccsa.ufpb.br/ppgcc/contents/resolucoes/regulamento-do-ppgcc-resolucao-19- 2017-consepe.pdf

UFPB.Resolução nº 24/2014. Aprova o Regulamento e a Estrutura Acadêmica do Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis, em níveis de mestrado acadêmico e doutorado, sob a responsabilidade do Centro de Ciências Sociais Aplicadas. João Pessoa, PB, p. 1-29, 2014.

UFPB & Programa de Pós-graduação em Ciências Contábeis. (2018). Dissertações.

Recuperado em 21 abril 2018, de http://www.ccsa.ufpb.br/ppgcc/contentes/dissertações.

UFPB & Programa de Pós-graduação em Ciências Contábeis. (2018). Apresentações. Recuperado em 08 setembro 2018,

de http://www.ccsa.ufpb.br/ppgcc/contents/menu/institucional/oprograma/

apresentação.

UFPB, UNB & UFRN. (2012). Regulamento do Programa Multi-institucional e Inter- Regional de Pós-Graduação em Ciências Contábeis – UnB/UFPB/UFRN. Recuperado em 27 maio 2018, de http://www.cca.unb.br/images/Regulamento_do_Programa.pdf.

Vergara, S. C. (2016). Projetos e relatórios de pesquisa em administração (16th ed). São Paulo: Atlas.

Yin, R. K. (2016). Pesquisa qualitativa do início ao fim. Porto Alegre: Penso Editora.

Zabalza, M. A. (2007). Competencias docentes del professorado universitário. Calidad y desarrollo professional. Madrid: Narcea.

Publicado
02-07-2021
Como Citar
FERNANDES, T. DE O.; DOS SANTOS ARAÚJO, V.; NÓBREGA CAVALCANTI, P. R. Formação didático-pedagógica dos egressos da pós-graduação stricto sensu em ciências contábeis de uma instituição federal de ensino superior. REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036, v. 13, n. 2, p. 335-354, 2 jul. 2021.
Seção
Seção 3: Pesquisas de Campo sobre Contabilidade (Survey) (S3)