Um estudo sobre os fatores determinantes da estrutura de capital das empresas brasileiras: uma análise de regressão quantílica

Palavras-chave: Estrutura de capital; regressão quantílica; endividamento; capital de terceiros; capital próprio.

Resumo

Objetivo: O presente artigo teve como objetivo principal analisar os fatores determinantes da estrutura de capital de noventa e quatro empresas dentre as quinhentas maiores companhias brasileiras do anuário da revista Exame de 2018.

Metodologia: Como base para a pesquisa foram utilizadas informações das demonstrações contábeis das maiores empresas brasileiras. Os dados foram obtidos a partir das informações financeiras do exercício de 2017 de 94 empresas, dentre as 500 maiores segundo o anuário da revista Exame de 2018. A inferência dos dados foi feita através de análise estatística descritiva e da análise de regressão quantílica. Os dados foram obtidos diretamente dos sites das próprias empresas e por meio do software Economática. A análise descritiva e econométrica foi feita utilizando o software Stata 12.

Resultados:  Os resultados indicam que variáveis como tamanho e estrutura dos ativos são significantes, em alguns quantis, para determinar a forma pela qual as empresas adotam determinada estrutura de capital. Além disso, os resultados indicam que a relação entre o tamanho da empresa e o nível de endividamento total é positivo para o quantil 25 da amostra. Outro ponto a destacar é que a variável estrutura dos ativos tem uma relação positiva com a variável endividamento de longo prazo, para os quantis 75 e 95.

Contribuições do Estudo: Esta pesquisa é uma importante contribuição para a literatura na área de finanças, tendo em vista a utilização do método da regressão quantílica. A escassez de pesquisas feitas utilizando esse método é notória. Além disso, os resultados obtidos por outros trabalhos sobre o tema ainda não são convergentes acerca das variáveis relevantes para a determinação da estrutura de capital.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Brito, R. D., Lima, M. R. (2005). A escolha da estrutura de capital sob fraca garantia legal: O caso do Brasil. Revista Brasileira de Economia, 59(2), 177–208.

Brito, R. D., Lima, Corrar, L. J.; Batistella, F. D. (2007) Fatores determinantes da estrutura de capital das maiores empresas que atuam no Brasil. Revista Contabilidade e Finanças. 43, 9-19.

Cameron, A. C., Trivedi, P. K. (2005). Microeconometrics: methods and applications. Cambridge University Press.

Colla, P., Ippolito, F., LI, K. (2013). Debt specializaton. The Journal of Finance, 68(5).

Durand, D. (1952). Cost of debt and equity funds for business: trends and problems of measurement. In: Conference on Research on Business Finance. New York: National Bureau of Economic Research.

Durand, D. (1959) The cost of capital, corporation finance, and the theory of investment: comment. The American Economic Review, 49(4), 639–655.

Fama, E F., French, K. R. (2002). Testing trade-off and pecking order predictions about dividentds and debt. The Review of Financial Studies. 15(1), 1-33.

Jensen, M., Meckling, W. (1976). Theory of the firm: managerial behavior, agency costs, and capital structure. Journal of Financial Economics, 3, 305-360.

Kim. E. H. (1978). A Mean-Variance Theory of Optimal Capital Structure and Corporate Debt Capacity, The Journal of Finance, 33(1), 45-63.

Koenker, R., Basset, G. (1978). Regression quantiles. Econometrica, 46, 33–50.

Kraus, A., Litzenberger. R. H. (1973). A State-Preference Model of Optimal Financial Leverage, The Journal of Finance, 28(4), 911-922.

Medeiros, O. R., Daher, C. E. (2005). Testando a teoria de hierarquização de fontes de financiamento nas empresas brasileiras. Revista de Contabilidade e Finanças, (37), 37-45.

Medeiros, O. R., Daher, C. E. (2008). Testando teorias alternativas sobre a estrutura de capital nas empresas brasileiras. Revista de Administração Contemporânea, 12(1), 177– 199.

Myers, S. C., Majluf, N. (1984) Corporate financing and investiment decisions when firms have information that investors do not have. NBER, Working Paper, n. 1396.

Myers, S. C. (1984). The capital structure puzzle. Journal of Finance, 39(3).

Modigliani, F., Miller, M. H. (1958). The cost of capital, corporate finance and the theory of investment. American Economic Review, 48(3), 261-297.

Modigliani, F., Miller, M. H. (1963). Corporate income taxes and the cost of capital: a correction. The American Economic Review, 53(3), 433–443.

Nakamura, W. T., Martin, D. M. L., Forte, D., Filho, A. F. C., Costa, A. C. F., Amaral, A. C. (2007). Determinantes da estrutura de capital no mercado brasileiro – análise de regressão com painel de dados no período de 1999-2003. Revista de Contabilidade e Finanças, (44), 72-85.

Perobelli, F. F. C., Famá, R. (2003). Fatores determinantes da estrutura de capital para empresas latino-americanas. Revista de Administração Contemporânea, 7(1).

Póvoa, A. C. S., Nakamura, W. T. (2015). Relevância da estrutura de dívida para os determinantes da estrutura de capital: um estudo com dados em painel. Revista Contemporânea de Contabilidade, 12(25), 3-26.

Scott, J. A. (1976). Theory of optimal capital structure. The Bell Journal of Economics, 7(1), 33-54.

Publicado
02-01-2021
Como Citar
OSVALDO MARTINS QUINTELLA JUNIOR; CLAUDIO ULYSSES FERREIRA COELHO. Um estudo sobre os fatores determinantes da estrutura de capital das empresas brasileiras: uma análise de regressão quantílica. REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036, v. 13, n. 1, 2 jan. 2021.
Seção
Seção 7: Internacional (S7)