Qual é o valor da empresa? O caso de valuation da empresa Magazine Luiza

Palavras-chave: Valuation; Magazine Luiza; Fluxo de Caixa Descontado; Avaliação Relativa.

Resumo

Objetivo: A empresa Magazine Luiza, fundada em novembro/1957, ícone do varejo nacional, abriu seu capital em 2011 na B3, com crescimento exponencial na valorização de suas ações. Este caso proporciona os seguintes objetivos pedagógicos: a) promover a análise de problemas, propor e indagar decisões em relação à valuation; b) estimular a reflexão entre a teoria que sustenta os propósitos de avaliação e a forma como ela deve ser desenvolvida e aplicada; c) ampliar a capacidade de relacionar os pressupostos teóricos de valuation e a sua adequação à realidade.

Metodologia: As Demonstrações Contábeis foram extraídas do site da empresa MGL, na Economática® e no site da B3. Também foi utilizada a base de dados do professor Damodaran. Destaca-se que os dados são reais, porém, em contrapartida, considera-se como situação hipotética a existência da empresa Alpha Varejo e sua proposta de aquisição da empresa Magazine Luiza.

Resultados: Sob o ponto de vista comportamental, permite que estudantes e docente tenham diálogos e discussões saudáveis de modo que haja respeito mútuo às opiniões e ideias divergentes, permitindo a exposição de seus pontos de vista. Estimar o valor da empresa pelos métodos do Fluxo de Caixa Descontado e Avaliação Relativa é uma tarefa complexa, e pode ser considerada como um processo importante para tomada de decisão, principalmente para o acionista da empresa. No uso dos métodos, reside a necessidade de escolhas de premissas adequadas que melhor refletem a realidade da empresa.

Contribuições do Estudo: A realização da atividade proposta, com estudantes de graduação ou pós-graduação na área de negócios em disciplinas voltadas para análise de viabilidade financeira de empresas e valuation, contribui para a formação destes estudantes com desenvolvimento de análise crítica e estímulo à discussão na área de finanças.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Assaf Neto, A. (2003). Contribuição ao Estudo da Avaliação de Empresas no Brasil–Uma Aplicação Prática. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.

Assaf Neto, A. (2009). Finanças corporativas e valor. Atlas.

Brigham, E. F., Gapenski, L.C., & Ehrhardt, M.C. (2001). Administração financeira: teoria e prática. Atlas.

Brito, G. A. S., Corrar, L. J., & Batistella, F. D. (2007). Fatores determinantes da estrutura de capital das maiores empresas que atuam no Brasil. Revista Contabilidade & Finanças, 18(43), 9-19. Doi: https://doi.org/10.1590/S1519-70772007000100002

Copeland, T. E., Koller, T., & Murrin, J. (2006). Avaliação de empresas-valuation: calculando e gerenciando o valor das empresas. Pearson Makron Books.

Cunha, M. F. D. (2011). Avaliação de empresas no Brasil pelo fluxo de caixa descontado: evidências empíricas sob o ponto de vista do desempenho econômico-financeiro (Tese de doutorado, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo). Recuperado de https://teses.usp.br/teses/disponiveis/12/12136/tde-08022012-181605/en.php

Damodaran, A. (2007). Avaliação de empresas. Pearson Prentice Hall.

Economática-Tools for Investment Analysis (2016). Base de dados. Recuperado de https://economatica.com

Fernandez, P. (2001). Valuation using multiples. How do analysts reach their conclusions. IESE Business School, 1, 1-13.

Lintner, J. (1965). The valuation of risk assets and the selection of risky investments in stock portfolios and capital budgets: A reply. The review of economics and statistics, 222-224. DOI: 10.2307/1926735

Lopes, A. C., De Luca, M. M. M., Góis, A. D., & Vasconcelos, A. C. (2017). Disclosure socioambiental, reputação corporativa e criação de valor nas empresas listadas na BM&FBovespa. Revista Ambiente Contábil, 9(1), 364-382.

Markowitz, H. (1952). Portfolio Selection. The Journal of Finance, Vol. 7, No. 1.

Markowitz, H. (1959). Portfolio selection: Efficient diversification of investments (Vol. 16). New York: John Wiley.

Martins, E. (2001). Avaliação de empresas: da mensuração contábil à econômica. São Paulo: Atlas.

Martins, E., Galdi, F. C., Lima, G. A. S. F., Necyk, G. A., & Abe, C. H. S. (2006). Evidências empíricas de modelos de estimação do custo do capital próprio. BBR-Brazilian Business Review, 3(2), 137-156.

Modigliani, F., & Miller, M. H. (1963). Corporate income taxes and the cost of capital: a correction. The American economic review, 433-443.

Mossin, J. (1966). Equilibrium in a capital asset market. Econometrica: Journal of the econometric society, 768-783. DOI: 10.2307/1910098

Pasin, R. M. (2004). Avaliação relativa de empresas por meio da regressão de direcionadores de valor (Tese de doutorado, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo). Recuperado de: https://teses.usp.br/teses/disponiveis/12/12139/tde-11042005-163032/en.php

Santos, J. D., Schmidt, P., & Fernandes, L. A. (2006). Modelos de avaliação de empresas. São Paulo: Atlas.

Silva, J. E., Morgan, L. M., Machado, M. J. D. C. M., & Montebelo, M. I. D. L. M. (2019). Política de dividendos e criação de valor: um estudo no mercado brasileiro. Revista Ambiente Contábil - Universidade Federal do Rio Grande do Norte-ISSN 2176-9036, 11(1), 77-97. Doi: https://doi.org/10.21680/2176-9036.2019v11n1ID15509

Sharpe, W. F. (1964). Capital asset prices: A theory of market equilibrium under conditions of risk. The journal of finance, 19(3), 425-442. Doi: https://doi.org/10.1111/j.1540-6261.1964.tb02865.x

Soutes, D. O., Schvirck, E., Martins, E., & Machado, M. R. C. (2008). Métodos de avaliação utilizados pelos profissionais de investimento. Revista Contabilidade, Gestão e Governança, 11(1-2).

Publicado
02-01-2021
Como Citar
KELLY SILVA JACQUES; VIVIAN DUARTE COUTO FERNANDES; LÍSIA DE MELO QUEIROZ; MOISÉS FERREIRA DA CUNHA. Qual é o valor da empresa? O caso de valuation da empresa Magazine Luiza . REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036, v. 13, n. 1, 2 jan. 2021.
Seção
Seção 7: Internacional (S7)