Influência dos níveis operacionais de governança corporativa no gerenciamento de resultado em empresas listadas na B3

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21680/2176-9036.2022v14n2ID29384

Palavras-chave:

Escolhas Contábeis; Gerenciamento de Resultado; Governança Corporativa, Níveis operacionais.

Resumo

Objetivo: Analisar a influência dos níveis operacionais de governança corporativa no gerenciamento de resultado em empresas listadas na B3.

Metodologia: Foi adotada uma pesquisa descritiva com procedimento documental e abordagem quantitativa. A amostra foi composta de 207 empresas listadas na B3 que estão classificadas nos níveis operacionais de governança corporativa. Os dados foram coletados através da Economática® no período de 2013 a 2018 e, posteriormente, foi empregado o modelo desenvolvido por Kang e Sivaramakrishnan (1995). Para estimar o gerenciamento de resultado foram utilizados os softwares SPSS, LhStat e Excel.

Resultados: Os resultados mostram que no aspecto de gerenciamento de resultado não há uma tendência ou uma linha evolutiva que os segmentos que exigem maiores padrões de governança corporativa, as empresas tenham escolhas contábeis de gerenciar menos resultado, ou, que nos segmentos com menores exigências de governança corporativa, as empresas tenham escolhas contábeis de gerenciar mais resultado. Afinal, os níveis operacionais que possuem os melhores conceitos de governança corporativa não influenciam negativamente na prática de gerenciamento de resultado, bem como, os níveis operacionais que não dispõem dos melhores conceitos, não influenciam positivamente na prática de gerenciamento de resultado.

Contribuições do estudo: O estudo trouxe contribuições para o âmbito corporativo, ao abordar a relevância da governança como mecanismo de transparência na prestação de contas das companhias no aspecto de gerenciamento de resultado. Isso possibilita aos usuários inferirem sobre a qualidade da informação contábil divulgada pela B3. Do mesmo modo, contribuições no âmbito acadêmico ao analisar as escolhas contábeis diretamente das demonstrações contábeis das empresas, ocasionando aproximação da teoria discutida na academia com a realidade das organizações.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pedro Junior de Oliveira Trocz, UNIOESTE.

Master in Accounting by UNIOESTE.

Aládio Zanchet, UNIOESTE.

PhD in Controllership and Accounting University of São Paulo (USP). Professor of the Graduate Program in Accounting at UNIOESTE.

Denis Dall Asta, UNIOESTE.

PhD in Production Engineering UFSC. Professor of the Graduate Program in Accounting at UNIOESTE

Clóvis Fiirst, UNIOESTE.

PhD in Accounting and Administration FURB. Associate Professor in the Accounting Science Course at UNIOESTE.

Referências

Almeida-Santos, P. S., Verhagem, J. A., & Bezerra, F. A. (2011). Gerenciamento de resultados por meio de decisões operacionais e a governança corporativa: análise das indústrias siderúrgicas e metalúrgicas brasileiras. Revista de Contabilidade e Organizações, 5(13).

Baldissera, J. F., Gomes, A. R. V., Zanchet, A., &Fiirst, C. (2018). Gerenciamento de resultados em companhias do setor de construção civil: influência da adoção do CPC 17. Revista Universo Contábil, 14(2), 100.

DOI: https:10.4270/ruc.2018213

Barros, C. M., Soares, R. O., & de Lima, G. A. F. (2013). A relação entre governança corporativa e gerenciamento de resultados em empresas brasileiras. Revista de Contabilidade e Organizações, 7(19), 27-39.

DOI: http://dx.doi.org/10.11606/rco.v7i19.55509

Bragança, C. G., & Melillo, P. H. (2017). Escolhas contábeis e gerenciamento de resultados: um estudo de caso sobre o reconhecimento de subvenções governamentais em um hospital filantrópico. In Anais do Congresso Brasileiro de Custos-ABC.

Bussola do Investidor (2019). Níveis de governançacorporativana B3. Acessoem:06 de agosto de 2019. Disponívelem:https://www.bussoladoinvestidor.com.br/niveis-governanca-corporativa-bovespa/

Cabello, O. G. (2012). Análise dos efeitos das práticas de tributação do lucro na EffectiveTax Rate (ETR) das companhias abertas brasileiras: uma abordagem da Teoria das escolhas Contábeis (Doctoraldissertation, Universidade de São Paulo).

Cardoso, R. L., & Martinez, A. L. (2006). Gerenciamento de resultados contábeis no Brasil mediante decisões operacionais. Encontro Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Administração, XXX.

Cardoso, R. L., de Souza, F. S. R. N., & Dantas, M. M. (2015). Impactos da Adoção do IFRS na Acumulação Discricionária e na Pesquisa em Gerenciamento de Resultados no Brasil. Revista Universo Contábil, 11(2), 65-84.

DOI: https:10.4270/ruc.2015212

Coelho, A. C., & Siqueira Lima, I. (2009). Gerenciamento de resultados contábeis no Brasil: comparação entre companhias de capital fechado e de capital aberto. Revista de Administração-RAUSP, 44(3).

Coelho, C. M. P., Niyama, J. K., & Rodrigues, J. M. (2011). Análise da qualidade da informação contábil frente a implementação dos IFRS: uma pesquisa baseada nos periódicos internacionais (1999 a 2010). Sociedade, Contabilidade e Gestão, 6(2).

Cosenza, J. P., &Grateron, I. R. G. (2003). A auditoria da contabilidade criativa. Revista Brasileira de Contabilidade, (143), 42-61.

Cupertino, C. M., & Martinez, A. L. (2008). Qualidade da auditoria e earnings management: riskassessment através do nível dos Accruals Discricionários. Contabilidade Vista & Revista, 19(3), 69-93.

Da Silva, C. O. S. T. A., Ylunga, P., & Da Fonseca, M. (2015). Gerenciamento de resultados: estudo empírico em empresas brasileiras e portuguesas antes e após a adoção das IFRS. Base, 12(3).

DOI: https:10.4013/base.2015.123.03

Da Silva, D. M., Martins, V. A., & Lemes, S. (2014). Escolhas contábeis: reflexões para a pesquisa no Brasil. In Anais do Congresso Brasileiro de Custos-ABC.

Da Silva, D. M., Martins, V. A., & Lemes, S. (2016). Escolhas Contábeis: reflexões para a pesquisa. Revista Contemporânea de Contabilidade, 13(29), 129-156.

Dani, A. C., Panucci Filho, L., dos Santos, C. A., &Klann, R. C. (2017). Utilização de Provisões para a Prática de Gerenciamento de Resultados em Empresas Brasileiras. Revista Evidenciação Contábil & Finanças, 5(3), 37-56.

DOI:http://dx.doi.org/10.18405/recfin20170303

Edwards, S. M., Soares, R. O., & de Lima, G. S. (2013). A relação entre governança corporativa e gerenciamento de resultados em empresas brasileiras. Revista de Contabilidade e Organizações, 7(19), 27-39.

DOI: http://dx.doi.org/10.11606/rco.v7i19.55509

Erfurth, A. E., &Bezerra, F. A. (2013). Gerenciamento de resultados nos diferentes níveis de governança corporativa. Revista Base (Administração e Contabilidade) da UNISINOS, 10(1).

Francis, J. (2001). Discussion of empirical research on accounting choice. Journal of Accounting and Economics, 31(1-3), 309-319.

DOI: https://doi.org/10.1016/S0165-4101(01)00017-9

Goulart, A. M. C. (2007). Gerenciamento de resultados contábeis em instituições financeiras no Brasil. Tese de doutorado. Departamento de Contabilidade e Atuária da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo.SP. Brasil.

Hazarika, S., Karpoff, J. M., &Nahata, R. (2012). Internal corporate governance, CEO turnover, and earnings management. Journal of Financial Economics, 104(1), 44-69.

Healy, P. M., &Wahlen, J. M. (1999). A review of the earnings management literature and its implications for standard setting. Accounting Horizons, 13(4), 365-383.

Jensen, M. C., &Meckling, W. H. (1976). Theory of the firm: Managerial behavior, agency costs and ownership structure. Journal of financial economics, 3(4), 305-360.

Kang, S. H., &Sivaramakrishnan, K. (1995). Issues in testing earnings management and an instrumental variable approach. JournalofAccountingResearch, 353-367.

Kawai, R. (2017). Influência da governança corporativa na prática de gerenciamento de resultados.Dissertação de mestrado. Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade Metodista de São Paulo. SP. Brasil.

Leal, R. P. C. (2004). Governance practices and corporate value: a recent literature survey. Revista de Administração de Empresas da USP–RAUSP, 39(4), 327-337.

Martinez, A. L. (2001). Gerenciamento dos resultados contábeis: estudo empírico das companhias abertas brasileiras (Doctoraldissertation, Universidade de São Paulo).

Martinez, A. L. (2008). Detectando earnings management no Brasil: estimando os accruals discricionários. Revista Contabilidade & Finanças, 19(46), 7-17.

Martinez, A. L. (2013). Gerenciamento de resultados no Brasil: um survey da literatura. BBR-Brazilian Business Review, 10(4), 1-31.

Mazzioni, S., Prigol, V., de Moura, G. D., &Klann, R. C. (2015). Influência da governança corporativa e da estrutura de capital no gerenciamento de resultados. Revista Contemporânea de Contabilidade, 12(27), 61-86.

DOI: http://dx.org/10.5007/2175-8069.2015v12n27p61

Moreira, J. (2006). Accruals discricionários: O erro de estimação induzido pelo conservantismo. Centro de Estudos de Economia Industrial, do Trabalho e da Empresa (CETE).

Moura, G. D., Franz, L., & da Cunha, P. R. (2015). Qualidade da informação contábil em empresas familiares: influência dos níveis diferenciados de governança da BM&FBovespa, tamanho e independência do conselho de administração. Contaduría y Administración, 60(2), 423-446.

DOI: https://doi.org/10.1016/S0186-1042(15)30008-5.

Murcia, F. D. R., & Wuerges, A. (2011). Escolhas contábeis no mercado brasileiro: divulgação voluntária de informações versus gerenciamento de resultados. Revista Universo Contábil, 7(2), 28-44.

DOI: http:doi:10.4270/ruc.2011211

Nardi, P. C. C., &Nakao, S. H. (2009). Gerenciamento de resultados e a relação com o custo da dívida das empresas brasileiras abertas. Revista Contabilidade & Finanças, 20(51), 77-100.

DOI: https://doi.org/10.1590/S1519-70772009000300006

Oliveira, V. A., de Almeida, L. C. F., & Lemes, S. (2009). Gerenciamento de resultados contábeis por meio de ativos fiscais diferidos. Revista Contabilidade, Gestão e Governança, 11(1-2).

Raupp, F. M., &Beuren, I. M. (2006). Metodologia da Pesquisa Aplicável às Ciências. Como elaborar trabalhos monográficos em contabilidade: teoria e prática. São Paulo: Atlas, 76-97.

Rezende, G. P., &Nakao, S. H. (2012). Gerenciamento de resultados e a relação com o lucro tributável das empresas brasileiras de capital aberto. Revista Universo Contábil, 8(1), 06-21.

DOI: https://doi.org/10.4270/ruc.2012101

Santos, P. S. A. D., Verhagem, J. A., & Bezerra, F. A. (2011). Gerenciamento de resultados por meio de decisões operacionais e a governança corporativa: análise das indústrias Siderúrgicas e Metalúrgicas brasileiras. Revista de Contabilidade e Organizações, 5(13), 55-74.

Shan, Y. G. (2015). Value relevance, earnings management and corporate governance in China. Emerging Markets Review, 23, 186-207.

DOI: https://doi.org/10.1016/j.ememar.2015.04.009

Shleifer, A., &Vishny, R. W. (1997). A survey of corporate governance. The journal of finance, 52(2), 737-783.

Watts, R. L., & Zimmerman, J. L. (1990). Positive accounting theory: a ten year perspective. Accounting Review, 131-156.

Publicado

04-07-2022

Como Citar

TROCZ, P. J. de O. .; ZANCHET, A. .; ASTA, D. D. .; FIIRST, C. . Influência dos níveis operacionais de governança corporativa no gerenciamento de resultado em empresas listadas na B3. REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036, [S. l.], v. 14, n. 2, 2022. DOI: 10.21680/2176-9036.2022v14n2ID29384. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/29384. Acesso em: 9 dez. 2022.

Edição

Seção

Seção 7: Internacional (S7)