Minorias sociais no curso de ciências contábeis: uma análise do perfil dos estudantes de graduação

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21680/2176-9036.2023v15n2ID30427

Palavras-chave:

Estereótipos, Gênero, Fenômeno Impostor, Minorias Sociais, Glass Ceiling

Resumo

Objetivo: O presente artigo tem como objetivo geral identificar e analisar a influência de sentimentos impostores e estereótipos em relação à gênero, raça e sexualidade nas experiências acadêmicas de estudantes de Ciências Contábeis que pertencem a grupos minoritários.

Metodologia: A pesquisa foi realizada com aplicação de questionários a estudantes dos cursos de graduação em Ciências Contábeis de Instituições de Ensino Superior do estado de Minas Gerais, sendo a amostra final composta por 113 estudantes. Para análise dos dados, foram realizadas análises descritivas e análises de correspondências múltiplas (ACM).

Resultados: A partir dos resultados, percebe-se que os sentimentos impostores estão fortemente presentes no imaginário contábil e perpassam a carreira dos grupos minoritários da área, sugerindo até mesmo uma ausência de reflexão da temática no contexto geral da profissão, por parte dos próprios grupos minoritários e demais sujeitos.

Contribuições do Estudo: A presente pesquisa fornece subsídios que indicam que estudantes pertencentes à minorias sociais podem, de alguma forma, se sentir segregados e oprimidos no ambiente contábil, devido aos moderados e frequentes níveis de sentimentos impostores resultantes da coleta de dados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andressa Oliveira Rodrigues, Universidade Federal de Uberlândia - UFU.

Graduanda em Ciências Contábeis na Universidade Federal de Uberlândia. Faculdade de Ciências Contábeis, FACIC/UFU.

Camilla Soueneta Nascimento Nganga, Universidade Federal de Uberlândia - UFU.

Doutora em Controladoria e Contabilidade pela Faculdade de Economia Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo, FEA/USP. Professora Adjunta II da Faculdade de Ciências Contábeis da Universidade Federal de Uberlândia, FACIC/UFU.

Jeíce Catrine Cordeiro Moreira, Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP

Doutora em Controladoria e Contabilidade pela Universidade de São Paulo, USP. Professora do departamento de Ciências Atuariais da Universidade Federal de São Paulo, UNIFESP

Referências

Alves, M. A., Ferreira, E. C., & Bonfim, M. P. A. (2019). Síndrome do Impostor e sua relação com a docência: um estudo com as professoras de ciências contábeis e administração. Cadernos de Gênero e Tecnologia, 12(40), 278-294.

Azevedo, R. F. L. (2010). A percepção pública sobre os contadores: "bem ou mal na foto"?. Dissertação de Mestrado em Ciências Contábeis, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil. Recuperado de: <https://teses.usp.br/teses/disponiveis/12/12136/tde-28102010-165136/publico/Dissertacao_RFLA_final.pdf>.

Bandura, A. (1994). Self-efficacy. In V. S. Ramachaudran (Ed.), Encyclopedia of human behavior, 4, 71-81. New York: Academic Press. (Reprinted in H. Friedman [Ed.], Encyclopedia of mental health.) San Diego: Academic Press.

Bandura, A. (2001). Social Cognitive Theory: An Agentic Perspective. Rev. Psychol. 52, 1-26, Stanford. https://doi.org/10.1111/1467-839X.00024

Beauvoir, S. (1980). O Segundo sexo – fatos e mitos. (4a ed.). São Paulo: Difusão Europeia do Livro.

Borman, G. D., & Overman, L. (2004). T. Academic resilience in mathematics among poor and minority students. The Elementary School Journal. 104(3), 177-195. https://psycnet.apa.org/doi/10.1086/499748

Chaves, L. G. M. (1971). Minorias e seu estudo no Brasil. Revista de Ciências Sociais. 2(1), 149-168.

Clance, P. R., & Imes, S. A. (1978). The Impostor Phenomenon in high achieving women: dynamics and therapeutic intervention. Psychotherapy: Theory, Research and Practice. 15(3), 241-247. https://doi.org/10.1037/h0086006

Cohen, J. R., Dalton, D. W., Holder-Webb, L. L., & McMillan, J. J. (2020). An analysis of glass ceiling perceptions in the accounting profession. Journal of Business Ethics, 164, 17-38. https://doi.org/10.1007/s10551-018-4054-4

Ferreira, E. C., & Alves, M. A. (2018). A síndrome do impostor e sua relação com a docência: um estudo com as professoras de ciências contábeis e administração. Trabalho de Conclusão de Curso de Graduação em Ciências Contábeis, Instituto de Ciências Humanas e Sociais, Universidade Federal Fluminense, Volta Redonda, RJ, Brasil.

Ferreira, R. C. (2007). O gay no ambiente de trabalho: análise dos efeitos de ser gay nas organizações contemporâneas. Dissertação de Mestrado em Administração de Empresas, Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Ciências da Informação e Documentação, Universidade de Brasília, Brasília, DF, Brasil.

Gil, A. C. (2008). Como Elaborar Projetos de Pesquisa. (4a ed.). São Paulo: Atlas.

Haynes, K. (2017). Accounting as gendering and gendered: a review of 25 years of critical accounting research on gender. Critical Perspectives on Accounting. 43, 110-124. https://doi.org/10.1016/j.cpa.2016.06.004

Hoang, Q. (2013). The Impostor Phenomenon: Overcoming Internalized Barriers and Recognizing Achievements. The Vermont Connection. 34(6), 41-51.

Hull, R. P., & Umansky, P. H. (1997). An examination of gender stereotyping as an explanation for vertical job segregation in public accounting. Accounting, Organizations and Society. 22(6), 507-528. https://doi.org/10.1016/S0361-3682(96)00028-1

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. (n.d.). Desigualdades Sociais por Cor ou Raça no Brasil. Recuperado em 01, agosto, 2021, de https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv101681_informativo.pdf

Kim, S. N. (2002). Racialized gendering of the accountancy profession: toward an understanding of Chinese women’s experiences in accountancy in New Zealand. Critical Perspectives on Accounting, 15(3), 400-427. https://doi.org/10.1016/S1045-2354(02)00208-3

Leal, E. A., Miranda, G. J., Araújo, T. S., & Borges, L. F. M. (2014). Estereótipos na profissão contábil: a opinião de estudantes e do público externo no Triângulo Mineiro. Revista de Contabilidade, Gestão e Governança, 17(1), 134-153.

Lehman, C. R. (1992). “Herstory” in accounting: The first eighty years. Accounting, Organizations and Society, 17(3/4), 261-285. https://doi.org/10.1016/0361-3682(92)90024-M

Lehman, C. R. (2019). Reflecting on now more than ever: Feminism in accounting. Critical Perspectives on Accounting, 65. https://doi.org/10.1016/j.cpa.2019.04.001

Lima, J. P. R.; Bittar-Godinho, J.; & Bittar-Godinho, D. (2021). Pequeno Manual Anti-LGBTfóbico para Aprender e Ensinar Contabilidade na/para/com a Diversidade. Anais do Congresso ANPCONT 2021, Virtual, 15.

Lopes, I., & de Lima, J. P. R. (2022). Diversidade e Inclusão: Reflexões e Impactos da Natureza Política da Contabilidade. Revista Contabilidade & Inovação, 1(1). https://doi.org/10.56000/rci.v1i1.71482

Lucas, A., & Dias, D. (2020). Glass Ceiling in Accounting Profession: Myth or Reality?. In INTED2020 Proceedings (pp. 5499-5504). IATED.

Matos, P. A. V. C. De. (2014). Síndrome do Impostor e Auto-Eficácia de minorias sociais: Alunos de Contabilidade e Administração. Dissertação de Mestrado em Ciências, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.

Meurer, A. M., & Costa, F. (2020). Eis o Melhor e o Pior de Mim: Fenômeno Impostor e Comportamento Acadêmico na Área de Negócios. Revista Contabilidade & Finanças – USP, 31(83), 348-363. https://doi.org/10.1590/1808-057x201910370

Nganga, C. S. N. (2019). Abrindo caminhos: a construção das identidades docentes de mulheres pelas trilhas, muros e pontes da pós-graduação em Contabilidade. Tese de Doutorado em Controladoria e Contabilidade, Programa de Pós-Graduação em Controladoria e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.

Nganga, C. S. N., Casa Nova, S. P. C., & Ropers, R. (2020, outubro). "No woman no cry": Socialization experiences of women in the accounting doctorate program. ANPAD. Rio de Janeiro, RJ. Brasil. Recuperado em 06, março, 2022, de http://www.anpad.org.br/abrir_pdf.php?e=Mjc4Nzg=

Nganga, C. S. N., Casa Nova, S. P. de C., Silva, S. M. C. da, & Lima, J. P. R. de. (2022). There’s so Much Life Out There! Work-life Conflict, Women, and Accounting Graduate Programs. Journal of Contemporary Administration, 27(2), e210318. https://doi.org/10.1590/1982-7849rac2023210318.en

Pelzer, J. E., & Nkansa, P. (2022). Why aren’t more minority accounting students choosing auditing? An examination of career choice and perceptions. Accounting Education, 31(4), 347-369. https://doi.org/10.1080/09639284.2021.1991404

Rumens, N. (2015). Sexualities and accounting: A queer theory perspective. Elsevier Journal, Critical Perspectives on Accounting, Room W130, Middlesex Business School, The Burroughs, Middlesex University, London. https://doi.org/10.1016/j.cpa.2015.05.003

Santos, M. A., Melo, M. C. O. L., & Batinga, G. L. (2021). Representatividade da mulher contadora em escritórios de contabilidade e a desigualdade de gênero na prática contábil: Uma questão ainda em debate? Sociedade, Contabilidade e Gestão, 15(3). https://doi.org/10.21446/scg_ufrj.v0i0.30679

Silva, D. J. M., Silva, M. A. (2018) Mulheres na contabilidade: Os estereótipos socialmente construídos sobre a contadora. ASAA, 11(1), 71-91.

Silva, J. C. D., Magro, C. B. D., Gorla, M. C., & Silva, M. Z. D. (2018). Glass ceiling in the accounting profession: Evidence in Brazilian companies. Contaduría y administración, 63(2). https://doi.org/10.22201/fca.24488410e.2018.928

Silva, S. M. C. Da. (2016). Teto de vitrais: gênero e raça na contabilidade no Brasil. (Doutorado em Ciências com área de concentração em Educação e Pesquisa em Contabilidade) - Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.

Souza, F. M., Voese, S. B., & Abbas, K. (2015). Mulheres no topo: As contadoras paraenses estão rompendo o glass ceiling?. ASAA, 8(2),244-270.

Vergara, S. C. (2009). Projetos e relatórios de pesquisa em administração. (10 ed.). São Paulo: Atlas.

Downloads

Publicado

04-07-2023

Como Citar

RODRIGUES, A. O.; NGANGA, C. S. N.; MOREIRA, J. C. C. . Minorias sociais no curso de ciências contábeis: uma análise do perfil dos estudantes de graduação. REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036, [S. l.], v. 15, n. 2, p. 249–273, 2023. DOI: 10.21680/2176-9036.2023v15n2ID30427. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/30427. Acesso em: 16 jul. 2024.

Edição

Seção

Seção 3: Pesquisas de Campo sobre Contabilidade (Survey) (S3)