Análise de fatores contingenciais e sistemas de controles gerenciais associados às práticas de gestão sustentáveis

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21680/2176-9036.2023v15n1ID31157

Palavras-chave:

Controles gerenciais; Fatores contingenciais; Prática sustentável.

Resumo

Objetivo: O objetivo deste estudo foi analisar como os fatores contingenciais e o uso de sistemas de controle gerencial estão associados às práticas de gestão sustentáveis em organizações.

Metodologia: Foi realizado um estudo de campo (survey), por meio de questionários e entrevistas semiestruturadas com gestores ligados aos sistemas de controles gerenciais em duas empresas criativas do setor de telecomunicações. A amostra tem caráter não probabilístico e os dados foram tratados utilizando a técnica de análise de conteúdo de Bardin (2011).

Resultados: Os achados denotam que a tecnologia, cultura organizacional, fornecedores e clientes, são fatores contigenciais associados com a adoção de práticas de gestão sustentáveis pelas organizações do estudo.s resultados da pesquisa indicam que uso de sistema de controle gerencial interativo constitui uma ferramenta essencial para o estabelecimento de comunicação entre os gestores e funcionários em níveis operacionais das organizações, corroborando para implementação de iniciativas de gestão ambiental. O controle diagnóstico tem sido usado no acompanhamento de metas e implementação de práticas de gestão ambientais com impacto positivo no desempenho organizacional por meio de indicadores de redução de custos, rentabilidade, satisfação do cliente e aumento de vendas.

Contribuições do estudo: A pesquisa proporcionou disseminação na literatura de estudos sobre controles gerenciais sob a ótica da Teoria da Contingência, sobretudo, contribuindo para que as organizações criem consciência ambiental aliado a melhoria de seu desempenho com práticas de controle gerencial. Além disso, a pesquisa possui relevância para que as organizações desenvolvam ações no sentido de reorganizar seus processos e atendam às pressões da sociedade pela adoção de práticas sustentáveis, aumentando a competitividade e melhorando o desempenho organizacional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thayná de Oliveira Fernandes, Federal University of Paraíba (UFPB).

Master by the Postgraduate Program in Accounting Sciences at the Federal University of Paraíba (UFPB).

Renata Paes de Barros Câmara, Federal University of Paraíba (UFPB).

PhD in Mechanical Engineering. São Carlos School of Engineering - USP, EESC - USP, Brazil.

Gilson Rodrigues da Silva, Federal University of Paraíba (UFPB).

Master in Controlling. Federal Rural University of Pernambuco, UFRPE, Brazil.

Referências

Abernethy, M. A., Bouwens, J., & van Lent, L. (2010). Leadership and control system design. Management Accounting Research, 21(1), 2–16. https://doi.org/10.1016/j.mar.2009.10.002.

Abreu, M. C. S., Castro, F. C., & Lazaro, J. C. (2013). Avaliação da influência dos stakeholders na proatividade ambiental de empresas brasileiras Informações do Artigo. Revista de Contabilidade e Organizações, 17, 22–35.

Al-Mawali, H. (2015). Contingent factors of Strategic Management Accounting. Research Journal of Finance and Accounting Online), 6(11), 2222–2847.

Anthony, R. N. & Govindarajan, V. (2006). Sistemas de controle gerencial. São Paulo: Atlas. Bardin, Laurence. Análise de Conteúdo. 1ª edição – Revista e atualizada. São Paulo: Edições 70, 2011.

Bernardo, J. S. S., & Camarotto, J. A. (2011). Fatores motivadores da adoção de práticas ambientais em empresas paulistas processadoras de madeira. Production, 22(1), 173–184. https://doi.org/10.1590/s0103-65132011005000061.

Beuren, I. M., & Fiorentin, M. (2014). Influência de Fatores Contingenciais nos Atributos do Sistema de Contabilidade Gerencial: um estudo em empresas têxteis do Estado do Rio Grande do Sul. Revista de Ciências Da Administração, 195–212. https://doi.org/10.5007/2175- 8077.2014v16n38p195.

Beuren, I. M., Souza, G. E. de, & Portulhak, H. (2018). Análise Do Desenho E Uso Do Balanced Scorecard Em Um Centro De Serviços Compartilhados. Gestão & Regionalidade, 34(101). https://doi.org/10.13037/gr.vol34n101.4157.

Bisbe, J., Kruis, A. M., & Madini, P. (2019). Coercive, enabling, diagnostic, and interactive control: Untangling the threads of their connections. Journal of Accounting Literature, 43, 124– 144. https://doi.org/10.1016/j.acclit.2019.10.001.

Brandt, V. A. (2010). A contabilidade gerencial e sua relação com a teoria institucional e a teoria da contingência. Ciências Sociais Em Perspectiva, 9(16), 135–147.

Chenhall, R. H. (2006). Theorizing Contingencies in Management Control Systems Research. Handbooks of Management Accounting Research. https://doi.org/10.1016/S1751- 3243(06)01006-6.

Colognese, S. A., & Melo, J. L. B. (1998). A técnica de entrevista na pesquisa social. Cadernos de Sociologia, 9(4), 143-160.

Crespo, N. F., Rodrigues, R., Samagaio, A., & Silva, G. M. (2019). The use of management control systems by start-ups: Internal factors and context as determinants. Journal of Business Research, 101, 875–884. https://doi.org/10.1016/j.jbusres.2018.11.020.

Degenhart, L., & Beuren, I. M. (2019). Consolidação Do Modelo Das Alavancas De Controle De Simons: Análise Sob A Lente Da Teoria Ator-Rede. Advances in Scientific and Applied Accounting, 12(1), 004–023. https://doi.org/10.14392/asaa.2019120101.

Feichter, C., & Grabner, I. (2020). Empirische Forschung zu Management Control – Ein Überblick und neue Trends. Schmalenbachs Zeitschrift Für Betriebswirtschaftliche Forschung, 72(2), 149–181. https://doi.org/10.1007/s41471-020-00092-3.

Guerra, A. R. (2007). Arranjos entre fatores situacionais e sistema de contabilidade gerencial sob a ótica da teoria da contingência. Tese de doutorado, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.

Heinicke, A., Guenther, T. W., & Widener, S. K. (2016). An examination of the relationship between the extent of a flexible culture and the levers of control system: The key role of beliefs control. Management Accounting Research, 33, 25–41. https://doi.org/10.1016/j.mar.2016.03.005. .

Hutahayan, B. (2020). The mediating role of human capital and management accounting information system in the relationship between innovation strategy and internal process performance and the impact on corporate financial performance. Benchmarking, 27(4), 1289– 1318. https://doi.org/10.1108/BIJ-02-2018-0034.

Iredele, O. O., Tankiso, M., & Adelowotan, M. O. (2020). The influence of institutional isomorphism and organisational factors on environmental management accounting practices of listed Nigerian and South African firms. South African Journal of Accounting Research, 34(3), 183–204. https://doi.org/10.1080/10291954.2019.1675254.

Jhunior, R. D. O. S., & Vilela, N. G. S. (2018). Sustentabilidade ambiental, econômica e social: ações e práticas de pequenas e médias empresas brasileiras. Organizações e Sustentabilidade, 6(2), 59. https://doi.org/10.5433/2318-9223.2018v6n2p59.

Kulkarni, V. (2017). Contingency Theory. In The International Encyclopedia of Organizational Communication (eds C.R. Scott, J.R. Barker, T. Kuhn, J. Keyton, P.K. Turner and L.K. Lewis). https://doi.org/10.1002/9781118955567.wbieoc041.

Leitão & H. Alves (2016). Entrepreneurial and innovative practice in public institutions –Aquality of life approach (pp. 59–79). Alemanha: Springer.

Lucianetti, L., Chiappetta Jabbour, C. J., Gunasekaran, A., & Latan, H. (2018). Contingency factors and complementary effects of useing advanced manufacturing tools and managerial practices: Effects on organizational measurement systems and firms’ performance. International Journal of Production Economics, 200, 318–328. https://doi.org/10.1016/j.ijpe.2018.04.005.

Marques, K. C. M., Souza, R. P., & Silva, M. Z. (2015). Análise SWOT da abordagem da contingência nos estudos da contabilidade gerencial. Revista Contemporânea de Contabilidade, 12(25), 117. https://doi.org/10.5007/2175-8069.2015v12n25p117.

Martins, P. S., Escrivão Filho, E., & Nagano, M. S. (2016). Fatores Contingenciais Da Gestão Ambiental Em Pequenas E Médias Empresas. RAM. Revista de Administração Mackenzie, 17(2), 156–179. https://doi.org/10.1590/1678-69712016/administracao.v17n2p156-179.

Moreira, M. A., Borges, D. L. & Santiago, A. M. (2017). Relationship Between Strategy Shaping and Management Control Systems. Journal of Accounting, Management and Governance, 20(1),133-152. https://doi.org/10.21714/1984-3925_2017v20n1a8.

Oliveira, K. G., Rech, I. J., Cunha, M. F. & Pereira, C.C. (2016). Disclosure of contingent factors in the agribusiness sector companies, according to the precepts of the Contingency Theory. Custos e @gronegócio online, 12(1),49-72.

Oro, I. M., & Lavarda, C. E. F. (2019). Interface dos sistemas de controle gerencial com a estratégia e medidas de desempenho em empresa familiar. Revista Contabilidade & Finanças, 30(79), 14-27.

Otley, D. (1994). Management control in contemporary organizations: Towards a wider framework. Management Accounting Research, 5(3–4), 289–299. https://doi.org/10.1006/mare.1994.1018.

Otley, D. (2016). The contingency theory of management accounting and control: 1980-2014. Management Accounting Research, 31, 45–62. https://doi.org/10.1016/j.mar.2016.02.001.

Otley, D. T. (1980). The contingency theory of management accounting: Achievement and prognosis. Accounting, Organizations and Society, 5(4), 413–428. https://doi.org/10.1016/0361-3682(80)90040-9.

Oyadomari, J. C. T., Frezatti, F., Aguiar, A. B. de, & Cardoso, R. L. (2009). Análise dos trabalhos que usaram o modelo Levers of Control de Simons na literatura internacional no período de 1995 a 2007. Revista de Contabilidade e Organizações, 3(7). https://doi.org/10.11606/rco.v3i7.34748.

Paiva M. S., Ribeiro P. A. (2005). A reciclagem na construção civil: como economia de custos. REA. Revista Eletrônica de Administração (Franca. Online), 4, 1–15. Retrieved from 16799127.

Pletsch, C. S., & Lavarda, C. E. F. (2016). Uso Das Alavancas De Controle De Simons (1995) Na Gestão De Uma Cooperativa Agroindustrial. Revista de Contabilidade e Organizações, 10(28), 18. https://doi.org/10.11606/rco.v10i28.117375.

Santos, E. C.S., Silva, J. K. L., & Caetano, R. M. (2020). As práticas de sustentabilidade e de responsabilidade social aplicadas nas micro e pequenas empresas e em microempreendedores individuais de Vilhena-Ro. Revista de Administração e Negócios Da Amazônia, 11(4), 1. https://doi.org/10.18361/2176-8366/rara.v11n4p1-20.

Schenini, P. C. (2000). Avaliação Dos Padrões De Competitividade À Luz Do Desenvolvimento Sustentável: O Caso Da Indústria Trombini De Papel E Embalagens S/A Em Santa Catarina. Revista de Ciência Da Administraçao, 2(4), 55–64.

Schlesinger, W., Taulet, A. C., Alves, H., & Burguete, J. L. V. (2016). An Approach to Measuring Perceived Quality of Life in the City Through a Formative Multidimensional Perspective (pp. 59–79). https://doi.org/10.1007/978-3-319-32091-5_4.

Sehnem, S., & Machado, H. P. V. (2018). Sustainable Environmental and Social Practices in Companies in the State of Santa Catarina, Brazil (pp. 215–235). https://doi.org/10.1007/978- 3-319-71014-3_11.

Simons, R. (1995). Levers of Control: How Managers Use Innovative Control Systems to Drive Strategic Renewal. Academy of Management Executive, 9(2), xi, 215 p. Retrieved from http://search.ebscohost.com/login.aspx?direct=true&db=buh&AN=19762457&site=ehost- live.

Simons, R. (2000). Performance measurement and control systems for implementing strategy. Accounting Education, 15(1), 163.

Singh, S. K. (2018). Managing organizational change in emerging markets. Journal of Organizational Change Management. Emerald Group Publishing Ltd. https://doi.org/10.1108/JOCM-12-2017-0468.

Sousa, R., & Voss, C. A. (2008). Contingency research in operations management practices. Journal of Operations Management, 26(6), 697–713. https://doi.org/10.1016/j.jom.2008.06.001.

Su, S., Baird, K., & Schoch, H. (2015). The moderating effect of organisational life cycle stages on the association between the interactive and diagnostic approaches to using controls with organisational performance. Management Accounting Research, 26, 40–53. https://doi.org/10.1016/j.mar.2014.09.001.

Viegas, P. B, Coradini Bianchi, R., & Medeiros, F S. B. (2015). Práticas sustentáveis ambientais utilizadas no setor de pós-vendas em concessionárias de veículos leves: um estudo de multicasos. Revista Gestão Da Produção, Operações e Sistemas, 10(1), 101–118. Retrieved from http://revista.feb.unesp.br/index.php/gepros/article/view/1206/622.

Publicado

02-01-2023

Como Citar

FERNANDES, T. de O. .; CÂMARA, R. P. de B. .; SILVA, G. R. da . Análise de fatores contingenciais e sistemas de controles gerenciais associados às práticas de gestão sustentáveis. REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036, [S. l.], v. 15, n. 1, 2023. DOI: 10.21680/2176-9036.2023v15n1ID31157. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/31157. Acesso em: 23 jul. 2024.

Edição

Seção

Seção 7: Internacional (S7)