Gerenciamento de resultados e recuperação judicial: evidências para empresas brasileiras

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21680/2176-9036.2024v16n2ID31240

Palavras-chave:

Gerenciamento de resultados, desempenho, recuperação judicial, empresas brasileiras

Resumo

Objetivo: Este estudo investigou a relação entre recuperação judicial e a insolvência com nível de Real Earnings Management (REM) de empresas brasileiras de capital aberto no período 2016-2020.

Metodologia: O modelo econométrico estimado foi a regressão de dados em painel. A variável dependente foi o nível de REM mensurado a partir de Roychowdhury (2006), que estima a manipulação de atividades reais por meio da análise das movimentações anormais de fluxo de caixa operacional, despesas discricionárias e custos de produção. A amostra coletada no período de 2016 a 2020 é composta por 723 empresas não financeiras.

Resultados: Como principais resultados, o estudo conseguiu evidenciar que existe uma relação inversa entre a recuperação judicial e a insolvência com o gerenciamento de resultados. Ou seja, companhias que estão em recuperação judicial ou insolventes tendem a ter um menor gerenciamento de resultados. Os achados desta pesquisa sugerem que os gestores de empresas em recuperação judicial têm menos incentivos para se envolverem em práticas discricionárias, pois, assim, conseguem evidenciar sua dificuldade financeira e obter os benefícios judiciais do processo.

Contribuições do Estudo: Embora muitos estudos avaliem os fatores que influenciam o gerenciamento de resultados, este trabalho busca contribuir com o estudo de gerenciamento de resultados contábeis e utiliza uma proxy operacional, associando-a com empresas em recuperação judicial. Além disso, com evidências de um menor gerenciamento de resultados por essas empresas, há uma possível melhora na perspectiva dos acionistas quanto ao futuro das finanças da empresa, e assim, também contribuindo para a tomada de decisão dos investidores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gustavo Sousa Ribeiro, Universidade Federal de Uberlândia (UFU)

Doutorando no Programa de Pós-Graduação em Administração (PPGA) pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), Brasil. Mestre em Gestão Organizacional (PPGGO) pela Universidade de Uberlândia (UFU). Brasil. 

Luciana Carvalho, Universidade Federal de Uberlândia (UFU)

Doutora em Economia pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU).

Arthur Antonio Silva Rosa, Universidade Federal de Uberlândia (UFU)

Doutor em Administração pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU).

Referências

Akoglu, H. (2018). User's guide to correlation coefficients. Turkish journal of emergency medicine, 18(3), 91-93. https://doi.org/10.1016/j.tjem.2018.08.001

Altman, E. I. (1993). Corporate Financial Distress and Bankruptcy (2nd ed.). John Wiley & Sons.

Ali, A., & Zhang, W. (2015). CEO tenure and earnings management. Journal of Accounting and Economics, 59(1), 60-79. https://doi.org/10.1016/j.jacceco.2014.11.004

Assenso-Okofo, O., Jahangir Ali, M., & Ahmed, K. (2021). The impact of corporate governance on the relationship between earnings management and CEO compensation. Journal of Applied Accounting Research, 22(3), 436-464. https://doi.org/10.1108/JAAR-11-2019-0158

Barros, C. M. E., Soares, R. O., & Lima, G. S. F. (2013). A relação entre governança corporativa e gerenciamento de resultados em empresas brasileiras. Revista de Contabilidade e Organizações, 7(19), 27-39.

Benedetti, K. B., & Hahn, R. C. (2023). Análise Do Comportamento Dos Índices Econômico-Financeiros De Empresas Que Utilizam De Recuperação Judicial. Revista Eletrônica de Ciências Contábeis, 12(2), 146-177.

Boa Vista Serviços. (2021). Pedidos de falência avançam 12,7% em 2020.

Borges, S. R. P., & Rech, I. J. (2021). Efetividade dos Parcelamentos Fiscais para a Solvência Corporativa no Brasil. Advances in Scientific and Applied Accounting, 14(1), 72-89. http://dx.doi.org/10.14392/asaa.2021140103

Brigham, E. F. et. al. (2001). Administração financeira. Teoria e prática. Atlas.

Coelho, E. G., Barros, C. M. E., Scherer, L. M., & Colauto, R. D. (2017). Gerenciamento de resultado em empresas insolventes: um estudo com os países do Brics. Enfoque: Reflexão Contábil, 36(2), 95-113. https://doi.org/10.4025/enfoque.v36i2.31765

Dal Magro, C. B., Dani, A. C., & Klann, R. C. (2019). Remuneração variável no tempo de mandato é a causa do oportunismo dos CEOs? Evidências do gerenciamento de resultados no Brasil. Enfoque: Reflexão Contábil, 38, 77-92. https://doi.org/10.4025/enfoque.v38i3.42193

Dancey, C. P., & Reidy, J. (2006). Estatística sem matemática para Psicologia usando o SPSS para Windows (3a ed.). Porto Alegre, RS: Artmed

Fields, T. D., Lys, T. Z., & Vincent, L. (2001). Empirical research on accounting choice. Journal of accounting and economics, 31(1-3), 255-307.

Fiirst, C., Pamplona, E., Bambino, A. C., & Klann, R. C. (2020). Gerenciamento de Resultados em Empresas Brasileiras nos Anos Antecedentes ao Pedido de Recuperação Judicial ou Falência. Desafio Online, 8(1), 1-26.

Gil, A. C. Metodologia da pesquisa. Atlas, 2002.

Gonçalves, T., Barros, V., & Serra, G. (2022). Political elections uncertainty and earnings management: Does firm size really matter?. Economics Letters, p. 110438. https://doi.org/10.1016/j.econlet.2022.110438

Gu, Z., Lee, C. W. J., & Rosett, J. G. (2005). What determines the variability of accounting accruals?. Review of Quantitative Finance and Accounting, 24(3), 313-334. https://doi.org/10.1007/s11156-005-6869-1

Guimarães, A., & Moreira, T. B. S. (2008). Previsão de insolvência: um modelo baseado em índices contábeis com utilização da análise discriminante. Revista de Economia Contemporânea, 12, 151-178. https://doi.org/10.1590/S1415-98482008000100006

Gunny, K. (2005). What Are the Consequences of Real Earnings Management? [Doctoral dissertation, University of California]. ProQuest Dissertations and Theses Global.

Grossert, R. R., Silva, V. A. B., Netto, H. G., & Sampaio, J. (2022). Quais os principais mecanismos dereorganização adotados pelas empresas brasileiras em recuperação judicial?. Revista Brasileira de Finanças, 20(4), 0-0.

Guo, J., Huang, P., Zhang, Y., & Zhou, N. (2015). Foreign ownership and real earnings management: Evidence from Japan. Journal of International Accounting Research, 14(2), 185-213. https://doi.org/10.2308/jiar-51274

Han, J. C. Y., & Wang, S. (1998) Political Costs and Earnings Management of Oil Companies during the 1990 Persian Gulf Crisis. The Accounting Review. 73(1), 103-117. https://www.jstor.org/stable/248343.

Healy P. P. M., & Wahlen, J. M. (1999). A review of the earnings management literature and its implications for standard setting. Accounting Horizons, 13(4), 365-383. http://dx.doi.org/10.2308/acch.1999.13.4.365

Inekwe, J. N., Jin, Y., & Valenzuela, M. R. (2018). The effects of financial distress: Evidence from US GDP growth. Economic Modelling, 72, 8-21. https://doi.org/10.1016/j.econmod.2018.01.001

Jones, J. J. (1991) Earnings management during im-port relief investigations. Journal of accounting research, 29(2), 193-228. https://doi.org/10.2307/2491047

Kang, S., & Sivaramakrishnan, K. (1995) Issues in testing earnings management and an instru-mental variable approach. Journal of Accounting Research, 33(2), 353-367. https://doi.org/10.2307/2491492

Kayo, E. K., & Famá, R. (1996). Dificuldades financeiras, custos de agência e o instituto jurídico da concordata. Cadernos de Pesquisa em Administração, 1(3), 1-8.

Lakatos, E., & Marconi, M. A. (2003). Fundamentos de Metodologia Científica. 5.ed. Atlas.

Luo, B. (2019). Effects of auditor-provided tax services on book-tax differences and on investors' mispricing of book-tax differences. Advances in Accounting, 47(1), 1-15. https://doi.org/10.1016/j.adiac.2019.100434

Martinez, A. L. (2001). Gerenciamento dos resultados contábeis: estudo empírico das companhias abertas brasileiras. 2001. 153 f. Tese (Doutorado em Ciências Contábeis) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2001.

Martinez, A. L. (2008). Detectando earnings management no Brasil: estimando os accruals discricionários. Revista Contabilidade & Finanças, 19(46), 7-17. https://doi.org/10.1590/S1519-70772008000100002

Martinez, A. L. (2013). Earnings management in Brazil: a survey of the literature. Brazilian Business Review, 10(4), 1-29. https://doi.org/10.15728/bbr.2013.10.4.1

Mattos, E., & Martins Proença, J. (2021). No fim, quantas empresas entraram em recuperação judicial em 2020? Consultor Jurídico. https://www.conjur.com.br/2021-fev-01/mattos-proenca-empresas-recuperacao-judicial-2020

Nigam, N., & Boughanmi, A. (2017). Can innovative reforms and practices efficiently resolve financial distress?. Journal of Cleaner Production, 140(3), 1860- 1871. https://doi.org/10.1016/j.jclepro.2016.09.190

Oliveira, A. G. D., Müller, A.N., & Nakamura, W.T. (2000) A utilização das informações geradas pelo sistema de informação contábil como subsídio aos processos administrativos nas pequenas empresas. Revista FAE, 3(3), 1-12.

Oliveira, M. M. (2011) Manipulação dos Resultados por Empresas em Dificuldades Financeiras: Estudo para um Caso Português. Dissertação de Mestrado. Universidade do Porto, Portugal.

Opler, T., & Titman, S. (1994). Financial distress and corporate performance. Journal of Finance, 49(1), 1015–1040. https://doi.org/10.2307/2329214

Osma, B. G., Gomez-Conde, J., & Lopez-Valeiras, E. (2022). Management control systems and real earnings management: Effects on firm performance. Management Accounting Research, p. 100781. https://doi.org/10.1016/j.mar.2021.100781

Pêgas, P. H. (2017). Manual de contabilidade tributária. 9 ed. Atlas.

Platt, H. D., & Platt, M. (2006). Comparing financial distress and bankruptcy [Working Paper]. Review of Applied Economics, 2(2). https://ssrn.com/abstract=876470

Queiroz, A. D. S., Dias Filho, J. M., & Gonçalves, D. E. S. (2018). Estresse financeiro e gerenciamento de resultados: um estudo com companhias brasileiras listadas na B3. Revista de Gestão, Finanças e Contabilidade, 8(3), 58-76. https://doi.org/10.18028/rgfc.v8i3.7466

Richardson, V. J. (2000). Information asymmetry and earnings management: Some evidence. Review of quantitative finance and accounting, 15(4), 325-347.

Ross, S. A. et. al. (1995). Administração financeira. Atlas.

Roychowdhury, S. (2006). Earnings Management through Real Activities Manipulation. Journal of Accounting and Economics, 42(3), 335-370. https://doi.org/10.1016/j.jacceco.2006.01.002

Sayari, N., & Mugan, C. S. (2020). Industry specific financial distress modeling. BRQ Business Research Quarterly, 20(1). https://doi.org/10.1016/j.brq.2016.03.003

Schipper, K. (1989). Commentary on earnings management. Accounting Horizons, 3(1), 91-102.

Silva, V. A. B. (2020). Dificuldade Financeira e Recuperação de Empresas: Uma Pesquisa de Contribuições Teóricas e Empíricas. Revista Brasileira de Gestão de Negócios, 22(Special Issue), 401-420. https//doi.org/10.7819/rbgn.v22i0.4057

Souza, P. V. S. D., Gonçalves, R. D. S., & Silva, C. A. T. (2022). O Impacto da IFRS 15 na Qualidade dos Accruals e no Gerenciamento de Resultados das Empresas Brasileiras de Capital Aberto. Revista Brasileira de Gestão de Negócios, 24, 675-691. https://doi.org/10.7819/rbgn.v24i4.4197

Sousa, A. M., Bortoli, C., & Soares, R. O. (2023). Remuneração Variável dos Executivos e Gerenciamento de Resultados Em Países Emergentes: o Caso do Brasil. Contabilidade Vista & Revista, 34(3), 105-137.

Shleifer, A., & Vishny, R. W. (1997). A survey of corporate governance. The journal of finance, 52(2), 737-783.

Tron, A., Dallocchio, M., Ferri, S., & Colantoni, F. (2023). Corporate governance and financial distress: Lessons learned from an unconventional approach. Journal of Management and Governance, 27(2), 425-456.

Vorst, P. (2016). Real earnings management and long-term operating performance: The role of reversals in discretionary investment cuts. The Accounting Review, 91(4), 1219-1256. https://doi.org/10.2308/accr-51281

Watts, R. L., & Zimmerman, J. L. (1986). Positive accounting theory.

Xie, B., Davidson III, W. N., & Dadalt, P. J. (2003). Earnings management and corporate governance: the role of the board and the audit committee. Journal of corporate finance, 9(3), 295-316. https://doi.org/10.1016/S0929-1199(02)00006-8

Downloads

Publicado

01-07-2024

Como Citar

RIBEIRO, G. S. .; CARVALHO, L.; ROSA, A. A. S. . Gerenciamento de resultados e recuperação judicial: evidências para empresas brasileiras. REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036, [S. l.], v. 16, n. 2, p. 156–176, 2024. DOI: 10.21680/2176-9036.2024v16n2ID31240. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/31240. Acesso em: 16 jul. 2024.

Edição

Seção

Seção 1: Contabilidade Aplicada ao Setor Empresarial (S1)