Análise da relação entre o retorno de carteiras de mercado e o retorno das ações de empresas do setor de petróleo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21680/2176-9036.2024v16n1ID32104

Palavras-chave:

APT, Bolsa de Valores, CAPM, Covid-19, Petrobras

Resumo

Objetivo: Este artigo busca elucidar se a particularidade do alto nível de explicação da relação do retorno da carteira de mercado e o retorno das ações de empresas do setor de petróleo no Brasil ocorre de maneira semelhante em outros mercados.

Metodologia: A pesquisa considerou as principais petrolíferas elencadas pelas revistas Forbes, Fortune e Exame a partir de seu valor de mercado e de receita em dólar no ano de 2018, assim como a movimentação de suas ações e das respectivas carteiras de mercado no período de 02 de janeiro de 2015 e 31 de março de 2021. Inicialmente foi efetuada uma regressão simples considerando um fator sistêmico, através da métrica do CAPM. Posteriormente, foram acrescidos outros fatores (taxa do dólar e preço do barril de petróleo tipo Brent e WTI) com vistas a eventual melhoria do modelo, utilizando-se a métrica multifatorial – APT. Como forma de identificar os impactos da Covid-19, os períodos foram segregados em integral, ex-ante e ex-post. Neste formato, o período ex-post apresentou resultados “não esperados”, o que levou a pesquisa a segregá-lo em trimestres.

Resultados: Os resultados obtidos em todos as análises confirmaram, embora parcialmente, que o alto poder de explicação (superior a 50%) da variabilidade do retorno das ações ordinárias da Petrobras pela variabilidade do retorno da carteira de mercado do Ibovespa (B3), ocorre em outros mercados. A pesquisa observou que o Coeficiente de Explicação tende a captar de forma mais significativa os efeitos de crises que advêm de contextos econômicos locais e impactos para a economia mundial, a exemplo de eventual redução no nível do produto interno bruto de países como os Estados Unidos ou a China. Já para evento inesperado, a exemplo da Covid-19, o modelo, em princípio, não apresentou igual resultado, o que pôde ser observado nas análises trimestrais.

Contribuições do Estudo: A pesquisa contribui nas tarefas de gestores e investidores, ao demonstrar as similaridades que preveem eventos futuros relacionados à cotação do mercado acionário e que, por consequência, auxiliam em tomadas de decisões dos stakeholders.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcos Donizeti da Silva, PUC-SP (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo)

Mestre em Ciências Contábeis e Atuariais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

José Odálio dos Santos, PUC-SP (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo)

Professor do Mestrado Profissional em Ciências Contábeis, Controladoria e Finanças da PUC-SP. Possui Livre Docência em Administração/Finanças pela FEA-USP (2012), Pós-Doutorado em Administração/Finanças pela FEA-USP (2007) e Doutorado em Administração/Finanças pela FGV-SP (2000)

Fernando de Almeida Santos, PUC-SP - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

Doutor em Ciências Sociais (PUC-SP) e Mestre em Administração de Empresas (Universidade Presbiteriana Mackenzie). Coordenador do Mestrado Profissional em Ciências Contábeis, Controladoria e Finanças da PUC-SP. Professor da PUC-SP e Pesquisador do ENIAC. 

Cláudio José Carvajal Júnior, Faculdade de Informática e Administração Paulista

Doutor em Engenharia Biomédica pela Universidade de Mogi das Cruzes.  Coordenador Acadêmico da Faculdade de Informática e Administração Paulista

Referências

Berry, K.; Hasan, T., & O’Bryan, D. (1997). The value-relevance of reserve quantity disclosures conditioned on primary financial statement information. Journal of Energy Finance & Development, 2, 249-260.

Black, F.; Jensen, M., & Scholes, M. (1972) The capital asset pricing model: some empirical testes. In: Jensen, M. C. (Org.). Studies in the Theory of Capital Markets, New York: Praeger.

Bruni, A. L., & Fama, R. (1998). Eficiência, previsibilidade dos preços e anomalias em mercados de capitais: teoria e evidências. Caderno de Pesquisas em Administração, v. 1, n. 7, p. 71-85.

Carhart, M. M. (1997). On persistence in mutual fund performance. Journal of Finance, Chicago, American Finance Association, v. 52, n. 1, p.57-82.

Damodaran, A. (2004). Finanças corporativas: teoria e prática. 2a. ed. Porto Alegre: Bookman.

Domingues, J. C. A., Ribeiro, E. M. S. (2016). A relevância das informações contábeis e suplementares na avaliação de petrolíferas mundiais. Revista Base (Administração e Contabilidade) da UNISINOS, 13, 122-137.

Exame. (2018). As 15 maiores do setor de petróleo do mundo; Petrobras está na lista. Recuperado em https://exame.com/mercados/as-15-maiores-do-setor-de-petroleo-do-mundo-petrobras-esta-na-lista/.

Fama, E. F., & Malkiel, B. G. (1970). Efficient capital markets: A review of theory and empirical work. The journal of Finance, v. 25, n. 2, p. 383-417.

Fama, E. F., & Macbeth, J. D. (1973). Risk, return and equilibrium: empirical testes. Journal of Political Economy, Chicago, The University of Chicago Press, v. 81, n. 3, p. 607- 636.

Fama, E. F., & French, K. (1992). The cross-section of expected stock returns. Journal of Finance, Chicago, American Finance Association, v. 47, n. 2, p. 427-465.

Fama, E. F., & French, K. (1993). Common risk factors in the returns on stocks and bonds. Journal of Financial Economics, v. 33, n. 1, p. 3-56.

Fama, E. F., & French, K. (1996). Multifactor explanation of asset pricing anomalies. Journal of Finance, v. 56, n. 1, p. 55-84.

Fama, E. F., & French, K. (2004). The capital asset pricing model: theory and evidence. Journal of Economic Perspectives, v. 18, n. 3, p. 25-46.

Fama, E. F., & French, K. R. (2015). A five-factor asset pricing model. Journal of Financial Economics, v. 116, n. 1, p. 1-22.

Forbes (2019). Petrobras é a 10a maior petroleira do mundo em 2018. (2019). Recuperado em <https://forbes.com.br/negocios/2019/05/petrobras-e-a-10a-maior-petroleira-do-mundo-em-2018/>.

Fortune. (n.d). Pesquisa por setor. Recuperado em https://fortune.com/fortune500/2020/search/.

Gitman, L. (2010). Princípios de Administração Financeira. 10a. ed. São Paulo: Harbra.

Harris, T. S., Ohlson J. A. (1987). Accounting disclosures and the market’s valuation of oil and gas properties. The Accounting Review. n. 4, p. 651-670. oct.

Klare, M. T. (2008). Planeta sediento, recursos menguantes: La Nueva Geopolítica de la Energía. Ediciones Urano. Barcelona.

Lakonishok, J., & Shapiro, A. (1986). C. Systematic risk, total risk and size as determinants of stock market returns. Journal of Banking and Finance, v. 10, n. 1, p. 115-132.

Lintner, J. (1965). The valuation of risk assets and the selection of risky investments in stock portfolios and capital budgets. Review of Economics and Statistics, 47, 1, p. 13-37.

Markowitz, H. M. (1952). Portfolio Selection. The Journal of Finance, v. VII, n. 1, mar.

Mossin, J.(1966). Equilibrium in a capital asset market. Econometrica, 34, 4, p.768-783. 1966.

Organización Mundial del Comercio (OMC). Estadísticas: Estadísticas del Comercio Internacional, 2014. El comercio y las cadenas de valor mundiales. Recuperado em <https://www.wto.org/spanish/res_s/statis_s/its2014_s/its14_trade_value_s.htm>.

Reuters (31/12/2019). Como se desenrolou a pandemia global de coronavirus. Compilado por Tiffany Wu e Leela de Kretser; Edição de Daniel Wallis em set., 2020. Recuperado em <https://www.reuters.com/article/health-coronavirus-timeline-idINKBN26K09Z>.

Ross, S. A. (1976). The Arbitrage Theory of Capital Asset Pricing. Journal of Economic Theory n. 13, p. 341-360.

Ross, S. A., Westerfiled, R. W., Jaffe, J., & Lamb, R. (2015). Administração Financeira (Version Corporate Finance – 10th edition). MC.

Santos, J. O. (2019). Valuation – Um Guia Prático. 2a. ed. São Paulo: Ed. Saraiva.

Santos, M. I. C.; & Silva, M. S. (2009). Teoria de precificação por arbitragem: um estudo empírico no setor bancário brasileiro. Enfoque: Reflexão Contábil. v. 28, n. 1, p. 70-82.

Sharpe, W. F. (1964). Capital asset prices: a theory of market equilibrium under conditions of risk. Journal of Finance, Oxford, UK, v.19, n.3, p. 425-442, sept.

Silva, R. C., & Santos, O. M. (2019). Influência das oscilações do preço do barril de petróleo nas informações contábeis das empresas petrolíferas. Revista Contabilidade Vista & Revista, ISSN 0103-734X, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, v. 30, n. 3, p. 1-17, set./dez.

Tobin, J. (1958). Liquidity preference as behavior toward risk. The Review of Economic Studies, Stockholm. Oxford University Press. v. 25, n. 2, p. 65-86.

Downloads

Publicado

02-01-2024

Como Citar

SILVA, M. D. da; SANTOS, J. O. dos .; SANTOS, F. de A.; CARVAJAL JÚNIOR, C. J. Análise da relação entre o retorno de carteiras de mercado e o retorno das ações de empresas do setor de petróleo. REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036, [S. l.], v. 16, n. 1, p. 177–197, 2024. DOI: 10.21680/2176-9036.2024v16n1ID32104. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/32104. Acesso em: 24 jul. 2024.

Edição

Seção

Seção 1: Contabilidade Aplicada ao Setor Empresarial (S1)