O impacto da instabilidade econômica na concessão de crédito: o caso da pandemia da Covid-19

Autores

DOI:

https://doi.org/10.21680/2176-9036.2024v16n2ID33626

Palavras-chave:

Covid-19, Volume de Concessão de Crédito, Impactos Econômicos

Resumo

Objetivo: O quadro atípico resultado da pandemia da Covid-19 evidenciou os problemas gerados pela instabilidade econômica na vida da sociedade em geral. Foram eles: desemprego em massa, aumento de inflação e inadimplência, diminuição da atividade econômica causada pelas restrições de circulação por todo o mundo, aumento da demanda por crédito e investimentos, fechamento de empresas, entre outros. Diante desse cenário, esta pesquisa tem o objetivo de analisar os impactos da instabilidade econômica causada pela Covid-19 no volume da concessão de crédito no Brasil.

Metodologia: A metodologia utilizada na pesquisa foi realizada a partir de modelos de regressão de séries temporais no mercado brasileiro e com base nos valores históricos de variáveis macroeconômicas. O período estudado é de fevereiro de 2013 até abril de 2023, sendo divididos períodos pré-pandemia (02/2013-02/2020) e de pandemia (03/2020-04/2023).

Resultados: Foi verificado que o impacto da pandemia da Covid-19 foi pequeno no volume de concessão de crédito ao controlar-se por outras características macroeconômicas. Há indícios de que apenas o ano de 2020 tenha tido maiores variações, sendo a média do período de 2020 a 2023 pouco diferente do período anterior à pandemia.

Contribuições do Estudo: Esse estudo adiciona mais um aspecto ao impacto da covid-19 na economia brasileira e complementa estudos anteriores que verificaram impactos de outras crises no volume de concessão de crédito. A partir dos resultados apresentados, é possível verificar que outros fatores são mais relevantes para a definição de volume de concessão de crédito mesmo em momentos de crise financeira.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leandro Henrique Mendonça Gomes, Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Atuária da Universidade de São Paulo.

Bacharel em Ciências Contábeis pela Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Atuária da Universidade de São Paulo.

Samantha Valentim Telles, Universidade de São Paulo (USP)

Bacharel, Mestre e Doutora em Ciências Contábeis pela Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Atuária da Universidade de São Paulo.

Referências

Andrezo, A., & Lima, I. (2002). Mercado financeiro: aspectos históricos e conceituais. São Paulo: Pioneira.

Araújo, A., Lustosa, P., & Paulo, E. (2018). A ciclicidade da provisão para créditos de liquidação duvidosa sob três diferentes modelos contábeis: Reino Unido, Espanha e Brasil. Revista Contabilidade & Finanças, 29(76), pp. 97-113. doi:https://doi.org/10.1590/1808-057x201804490

Assaf Neto, A. (2001). Mercado Financeiro. São Paulo: Atlas.

Banco Central do Brasil - Bacen. (Junho de 2018). Indicador de Custo do Crédito: Nota Metodológica. Fonte: Nota Técnica do Banco Central do Brasil nº 45: https://www.bcb.gov.br/content/publicacoes/notastecnicas/2018nt45custocred.pdf

Barros, L. A., Silva, C. K., & Oliveira, R. (2021). Presença Estatal no Mercado de Crédito: o papel dos bancos públicos e do crédito direcionado na crise de 2008. Revista Contabilidade & Finanças, 32(87), pp. 461-475. doi:https://doi.org/10.1590/1808-057x202108930

Berger, A., & Demirgüç-Kun, A. (2021). Banking research in the time of COVID-19. Journal of Financial Stability, 57. doi:https://doi.org/10.1016/j.jfs.2021.100939

D'Aurizio, L., Oliviero, T., & Romano, L. (2015). Family firms, soft information and bank lending in a financial crisis. Journal of Corporate Finance, 33, pp. 279-292. doi:http://dx.doi.org/10.1016/j.jcorpfin.2015.01.002

De Haas, R., & Van Horen, N. (2013). Running for the Exit? International Bank Lending During a Financial Crisis. The Review of Financial Studies, 26(1), pp. 244-285. doi:10.1093/rfs/hhs113

Freitas, M. C. (2009). Os efeitos da crise global no Brasil: aversão ao risco e preferência pela liquidez no mercado de crédito. Estudos Avançados, 23(66), pp. 125-145. doi:https://doi.org/10.1590/S0103-40142009000200011

Fucidji, J., & Prince, D. (2009). Determinantes do Crédito Bancário: uma Análise com Dados em Painel para as Maiores Instituições. Análise Econômica, 27(52), pp. 233-251. doi:https://doi.org/10.22456/2176-5456.6066

Ivashina, V., & Scharfstein, D. (2010). Bank lending during the financial crisis of 2008. Journal of Financial Economics, 97, pp. 319-338. doi:10.1016/j.jfineco.2009.12.001

Kapan, T., & Minoiu, C. (2018). Balance sheet strength and bank lending: Evidence from the global financial crisis financial crisis. Journal of Banking and Finance, 92, pp. 35-50. doi:https://doi.org/10.1016/j.jbankfin.2018.04.011

Khan, S. U. (2022). Financing constraints and firm-level responses to the COVID-19 pandemic: International evidence. Research in International Business and Finance, 59. doi:https://doi.org/10.1016/j.ribaf.2021.101545

Mendonça, M., Medrano, L., & Sachsida, A. (2010). Efeitos da política monetária na economia brasileira: resultados de um procedimento de identificação agnóstica. Pesquisa e Planejamento Econômico (PPE), 40(3), pp. 367-394. Fonte: https://repositorio.ipea.gov.br/bitstream/11058/5094/1/PPE_v40_n03_Efeitos.pdf

Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços. (2020). Comexstat. Fonte: ComexVis: http://comexstat.mdic.gov.br/pt/comex-vis

Mota, C. V. (12 de Março de 2020). Coronavírus: como a queda da bolsa afeta a 'economia real'? São Paulo, SP, Brasil. Fonte: https://www.bbc.com/portuguese/brasil-51859307#:~:text=Um%20dos%20principais%20impactos%20%C3%A9,e%20a%20renda%22%2C%20avalia.

Nelson, C., & Plosser, C. (1982). Trends and random walks in macroeconmic time series: Some evidence and implications. Journal of Monetary Economics, 10(2), pp. 139-162. doi:https://doi.org/10.1016/0304-3932(82)90012-5

Perron, P. (1989). The Great Crash, the Oil Price Shock, and the Unit Root Hypothesis. Econometrica, 57(6), pp. 1361-1401. doi:https://doi.org/10.2307/1913712

Reed, E., & Gill, E. (1994). Bancos Comerciais e Múltiplos. São Paulo: Makron.

Rogerio Silveira, M., & Teixeira, M. (2009). O papel da confiança na concessão de crédito para empresas em recuperação. Revista de Administração Mackenzie, 10(1), pp. 58-88. doi:https://doi.org/10.1590/S1678-69712009000100004

Sääskilahti, J. (2016). Local bank competition and small business lending after the onset of the financial crisis. Journal of Banking & Finance, 69, pp. 37-51. doi:http://dx.doi.org/10.1016/j.jbankfin.2016.04.004

Segura, L., Molini, L., & Ferreira, C. (2016). Análise de Crédito: um estudo exploratório sobre a sua aplicação nos setores industrial e financeiro. Redeca, Revista Eletrônica Do Departamento De Ciências Contábeis do Departamento De Atuária E Métodos Quantitativos, 3(2), pp. 58-76. doi:https://doi.org/10.23925/2446-9513.2016v3i2p58-76

Smith, R. P. (1999). Unit roots and all that: the impact of time-series methods on macroeconomics. Journal of Economic Methodology, 6(2), pp. 159-169. doi:https://doi.org/10.1080/13501789900000016

Ҫolak, G., & Öztekin, Ö. (2021). The impact of COVID-19 pandemic on bank lending around the world. Journal of Banking and Finance, 133. doi:https://doi.org/10.1016/j.jbankfin.2021.106207

Downloads

Publicado

01-07-2024

Como Citar

GOMES, L. H. M.; TELLES, S. V. O impacto da instabilidade econômica na concessão de crédito: o caso da pandemia da Covid-19. REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036, [S. l.], v. 16, n. 2, p. 140–155, 2024. DOI: 10.21680/2176-9036.2024v16n2ID33626. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/ambiente/article/view/33626. Acesso em: 16 jul. 2024.

Edição

Seção

Seção 1: Contabilidade Aplicada ao Setor Empresarial (S1)