RELAÇÃO ENTRE FOLGA ORGANIZACIONAL E P&D NAS COMPANHIAS DE ENERGIA ELÉTRICA NA BM&FBOVESPA

  • Evandro De Nez Furb - Fundação Universidade de Blumenau
  • Fabio Diel Universidade Comunitária da Região de Chapecó – Unochapecó
  • Carlos Eduardo Facin Lavarda Fundação Universidade de Blumenau - Furb

Resumo

O presente estudo analisa a relação entre folga organizacional e os gastos com Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) nas companhias de energia elétrica listadas na BM&FBovespa. O objetivo da pesquisa é verificar se existe relação entre a folga organizacional e o valor destinado a P&D nestas companhias. A pesquisa é um estudo documental, de caráter descritivo e abordagem quantitativa. Os dados foram coletados nas demonstrações contábeis das empresas, sendo realizada estatística descritiva e posterior análise dos dados em painel. A amostra da pesquisa consiste nas demonstrações financeiras de 22 empresas do setor de energia elétrica entre os anos de 2010 e 2012. Os resultados demonstraram que existe uma relação significativa positiva da variável folga potencial com a aplicação de recursos em P&D, porém, entre folga recuperável e folga disponível e a aplicação de recursos P&D não houve relação significativa. Conclui-se que, quanto mais recursos originados de capital próprio, maior tende a ser a aplicação em P&D nas empresas de energia elétrica.

Palavras-chave: Folga Organizacional, P&D, Energia Elétrica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Evandro De Nez, Furb - Fundação Universidade de Blumenau
Mestre em Ciências Contábeis pela Universidade Regional de Blumenau - Furb (2014). Coordenador e professor do Curso de Ciências Contábeis do Centro de Ensino Superior de Realeza - Cesreal. Professor de Pós-Graduação na Universidade do Contestado - UnC. Experiência na área da Educação Superior em Ciências Contábeis, atuando principalmente nos seguintes temas: auditoria, perícia contábil, contabilidade agrícola, contabilidade de custos e contabilidade tributária.
Fabio Diel, Universidade Comunitária da Região de Chapecó – Unochapecó

Mestre me Ciências Contábeis. Professor da Universidade Comunitária da Região de Chapecó – Unochapecó.

Carlos Eduardo Facin Lavarda, Fundação Universidade de Blumenau - Furb

Doutor em Contabilidade pela Universitat de Valencia, Espanha. Professor do Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis da Universidade Regional de Blumenau (FURB). Bolsista CNPq.

Referências

ALVES, A. P.; SILVA, T. G.; MACEDO, M. A. S.; MARQUES, J. A. V. C. A relevância dos gastos com P&D para o mercado brasileiro de capitais: um estudo com distribuidoras de energia elétrica no período de 2002 a 2009. Revista de Administração e Inovação. São Paulo. v. 8, n. 2, p. 216-239, abr./jun. 2011.

AZEVEDO, F. N.; GUTIERREZ, C. E. C. A relação dos gastos com P&D na taxa de crescimento de longo prazo das empresas listadas na NYSE. In: CONGRESSO ANPCONT, 3, 2009, São Paulo. Anais... São Paulo: ANPCONT, 2009.

AZIZI, A. R.; NEMATOLLAHI, S. The Impact of Organizational Slack Management on the Relationship Between Organizational Slack and Innovation Performance Through Information Sciences Technology in an Iranian University. World Applied Sciences Journal, v. 10, n. 12, p. 1457-1462, 2010

BEUREN, I. M.; PATON, C. Folga organizacional em unidades de negocios de empesa descentralizada na percepção dos controllers. Pretexto, v. 14, n. 1, p. 13-35, jan./mar. 2013

BEUREN, I. M.; WIENHAGE, P. Folga organizacional no processo de gestão do orçamento: um estudo no SENAC de Santa Catarina. READ – Revista Eletronica de Administração, v. 75, n. 2, p. 274-300, maio/ago. 2013

BOURGEOIS III, L. J. On the Measurement of Organizational Slack. Academy of Management Review. v. 6, n. 1, p. 29-39, 1981.

BRASIL. Lei nº 9.991, de 24 de julho de 2000. Dispõe sobre realização de investimentos em pesquisa e desenvolvimento e em eficiência energética por parte das empresas concessionárias, permissionárias e autorizadas do setor de energia elétrica, e dá outras providências. Brasília, 24 jul. 2000. Disponível em: <http://www.aneel.gov.br/arquivos/PDF/Manual%20PeD_2008.pdf>. Acesso em: 21 set. 2013.

CHEN, W. R., MILLER, K. D. Situational and institutional determinants of firms´ R&D search intensity. Strategic Management Journal. v. 28, n. 4, p. 369-381, 2007.

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS Pronunciamento Técnico CPC 04 – Ativo Intangível. Disponível em: <http://www.cpc.org.br/pdf/CPC_04n.pdf>. Acesso em: 21 set. 2013.

DALLABONA, L. F.; BEUREN, I. M. Relação da folga organizacional com medidas de desempenho de empresas brasileiras. In. CONGRESSO BRASILEIRO DE CUSTOS, 19., 2012. Bento Gonçalves. Anais... Rio Grande do Sul: Associação Brasileira de Custos, 2012.

DALLABONA, L. F.; DIEL, F. J.; LAVARDA, C. E. F. Variabilidade de folga organizacional de empresas listadas nos níveis diferenciados de governança corporativa da BM&FBovespa. In. CONGRESSO SEMEAD, 16., 2013. São Paulo. Anais… São Paulo, SemeAd, 2013.

DONADA, C.; DOSTALER, I. Relational Antecedents of Organizational Slack: Na Empirical Study into Supplier-Customer Relationships. Management. v. 8, n. 2, p. 25-46, 2005.

FÁVERO, L. P.; BELFIORE, P.; SILVA, F. L.; CHAN, B. L. Análise de dados: Modelagem Multivariada para Tomada de Decisões. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009.

GILIO, L. Análise da capacidade explicativa de informações contábeis para o índice market-to-book de empresas listadas no IBOVESPA. Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010.

GOMES, A. C. S; ALBARCA, C. D.; FARIA, E. S. T.; FERNANDES, H. H. BNDES 50 Anos - Histórias Setoriais: O Setor Elétrico. Livro 2002/12. Disponível em: <http://www.bndes.gov.br/SiteBNDES/export/sites/default/bndes_pt/Galerias/Arquivos/conhecimento/livro_setorial/setorial14.pdf>. Acesso em: 18 set. 2013.

GREVE, H. R. A behavioral theory of R&D expenditures and innovations: evidence from shipbuilding. Academy of management journal. v. 46, n. 06, p. 685-702, 2003.

HEROLD, D. M.; JAYARAMAN, N., NARAYANASWAMY, C. R. What is the relationship between organizational slack and innovation? Journal of Managerial Issues. v. 18, n. 3, pag. 372-392. 2006.

HUNGARATO, A.; LOPES, A. B. Value-Relevance dos Gastos em P&D para o Preço das Ações das Empresas Brasileiras Negociadas na Bovespa. In: SIMPÓSIO DE GESTÃO DA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA, 25, 2008, Brasília. Anais.... Brasília: ANPAD, 2008.

KIM, H.; KIM, H, LEE, P. M. Ownership Structure and the Relationship Between Financial Slack and R&D Investments: Evidence from Korean Firms. Organization Science. v 19, n. 3, p. 404-418, 2008.

KRESPY, N. T.; BEUREN, I. M. Folga organizacional versus desempenho financeiro: um estudo nas empresas da BM&FBovespa. In. CONGRESSO BRASILEIRO DE CUSTOS, 19., 2012. Bento Gonçalves. Anais... Rio Grande do Sul, 2012.

KOLLER, T.; GOEDHART, M.; WESSELS, D. The Right Role for Multiples in Valuation. McKinsey of Finance. n. 15, p. 7-11, 2005.

LEE, J.; SHIM, E. Moderating effects of R&D on corporate growth in U.S. and Japanese hi-tech industries: An empirical study. The Journal of High Technology Management Research, v. 6, n. 2, p. 179-191, 1995.

MARTINS, G. A.; THEÓPHILO, C. R. Metodologia da investigação científica para ciências sociais aplicadas. São Paulo: Atlas. 2007.

NIYAMA, J. K . Contabilidade Internacional. 1ª ed. Sao Paulo: Editora Atlas, 2005. v. 01. 165p.

QUINTAS, T.; BEUREN, I. Abordagens sobre Folga Organizacional nas Pesquisas Publicadas em Periódicos Internacionais: Um Ensaio Teórico. Rev. Adm. UFSM, Santa Maria, v. 4, n.1, p. 53-72, jan./abr. 2011.

SCHOLZE, S. H. C. A retomada dos esforços em P&D nas telecomunicações brasileiras: uma perspectiva das teorias regulatórias. Revista de Direito, Estado e Telecomunicações. v. 5, n. 1, p. 107-134, 2013.

SENDER, G. O papel da folga organizacional nas empresas: um estudo em bancos brasileiros. 2004. 226 f. Dissertação (Mestrado em Administração) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2004.

SILVA, A. C. R. Metodologia da pesquisa aplicada à contabilidade: Orientações de estudos, projetos, artigos, relatórios, monografias, dissertações, teses. 3 ed. São Paulo: Atlas. 2010.

SHARFMAN, M. P.; WOLF, G.; CHASE, R. B.; TANSIK, D. A. Antecedents of Organizational Slack. Academy of Management Review. v. 13, n. 4, p. 601-614, 1988.

VAN DE VEN, A. H. Central problems in the management of innovation. Management Science. v. 32, n. 5, p. 591-607, mai. 1996.

VERGARA, Sylvia Constant. Projetos e relatórios de pesquisa em administração. 2. ed. São Paulo: Atlas, 1998.

Publicado
03-01-2016
Como Citar
NEZ, E. D.; DIEL, F.; LAVARDA, C. E. F. RELAÇÃO ENTRE FOLGA ORGANIZACIONAL E P&D NAS COMPANHIAS DE ENERGIA ELÉTRICA NA BM&FBOVESPA. REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL - Universidade Federal do Rio Grande do Norte - ISSN 2176-9036, v. 8, n. 1, p. 243-257, 3 jan. 2016.
Seção
ARTIGOS