Musicografia Braille

informação e comunicação com a ferramenta digital Musibraille

Autores

Palavras-chave:

Infocomunicação, Musicografia Braille, Musibraille

Resumo

A musicografia Braille é um sistema de escrita tátil para representar as notas musicais, as durações, as dinâmicas e outros símbolos musicais, inventado por Louis Braille em 1829.  Este artigo apresenta uma breve revisão que discute a história da musicografia Braille, os esforços internacionais para sua consolidação, sua produção através da informática, o surgimento do OCR musical, entre outras técnicas.  Descreve também o Projeto Musibraille, destinado a revitalizar a escrita musical para cegos com uso de tecnologia computacional, mostrando seus principais detalhes operacionais, incluindo a possibilidade de reprodução sonora da partitura em braille e a transcrição automática entre música em tinta e braille, além de outros aspectos operacionais relevantes.  Destaca também os cursos responsáveis pela grande disseminação da musicografia Braille no Brasil. O artigo conclui mostrando o impacto causado por este projeto que tem o potencial de tornar o ensino e o desenvolvimento da música muito mais acessível para as pessoas cegas no nosso país.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Antonio Borges, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Doutor de mestre em Engenharia de Sistemas e Computação pela COPPE/UFRJ. Graduado em Matemática mod. Informática pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Graduado em Piano - Conservatório Brasileiro de Música (1977). Coordenador de Curso e professor da Pós-graduação em História da Ciências e das Técnicas e Epistemologia (HCTE/UFRJ). Analista de Tecnologia da Informação no Instituto Tércio Pacitti da UFRJ (NCE/UFRJ). Especialista em Tecnologia Assistiva, tendo desenvolvido grande quantidade de sistemas para acesso de pessoas com deficiência aos computadores.

Dolores Tomé, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Pós-Doutorado em Ciências da Comunicação pela Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias - ULHT e Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ. Doutorado em Informação e Comunicação em Plataforma Digital ICPD pela Universidade do Porto - Portugal e Universidade de Aveiro (2016), Mestrado em Ciências da Educação pela Universidade Internacional de Lisboa (2003.Especialização em Avaliação Institucional pela Universidade de Brasília (2000). Possui graduação em Licenciatura Plena Habilitação em Música pela Universidade de Brasília (1985).

Referências

BORGES, J. A. Do Braille ao Dosvox: diferenças nas vidas dos cegos brasileiros. 2009. 343 f. Tese (Doutorado) - Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Sistemas e

Computação, COPPE, Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2009. Disponível em: http://www.intervox.nce.ufrj.br/dosvox/textos/tese_antonio_borges.pdf. Acesso em: 2 dez. 2015.

BORGES, J.A, TOMÉ, D. O Projeto Musibraille: habilitar a inclusão de alunos cegos em cursos de Música. Lecture Nortes in Computer, v. 7382, p. 100-107, 2012. Apresentado na Conferência Internacional sobre Informática para Ajudar as Pessoas com Necessidades Especiais (ICCHP), Linz, Austria.

BORGES, J.A, TOMÉ, D. Teaching Music to Blind Children: news strategies for teaching through Interactive use of Musibraille Software. Procedia Computer Science, v. 27, p. 19-27, 2014. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1016/j.procs.2014.02.004. Acesso em: 26 jul. 2023.

BORGES, J.A, TOMÉ, D. ALMEIDA, M. SILVA., A. A technological proposal to support music education shared between blind and sighted students. In: UNIVERSAL LEARNING DESIGN, 63., 2016. Proceedings [...] Linz, Austria, 2016.

BRASIL. Lei nº 11.769, de 18 de agosto de 2008. Altera a Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, Lei de Diretrizes e Bases da Educação, para dispor sobre a obrigatoriedade do ensino da música na educação básica. Brasília, 2008. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2008/lei/l11769.htm. Acesso em: 26 jul. 2023.

BRASIL. Lei nº 13.146, de 6 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). Brasília, 2015. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13146.htmAcesso em: 26 jul. 2023.

CICCONE, L. Les musiciens aveugles dans l’histoire. Paris: L’Harmattan. 2001.

CODE. History of the Braille Music – CODE-XI-1979.

KROLICK, B. (comp.) Manual Internacional de Musicografia Braille. Brasília: [sn.], 1999.

MACHADO, A. da M. Educação dos Cegos no Brasil. Belo Horizonte: Imprensa Oficial de Minas Gerais: Os Amigos do Livro, 1931.

PINHEIRO, M. L. P. Edivox: Editor de Textos para Deficientes Visuais. 2004. 48 f. Monografia (Graduação em Informática) - Departamento de Ciência da Computação,

Instituto de Matemática, Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2004.

ONCE. Nuevo manual internacional de musicografia braille. Madri: Organização dos Cegos da Espanha, 1998.

TOMÉ, A. A Educação Especial e o Deficiente Visual: autonomia, inclusão e cidadania. 2003a. Dissertação (Ciências da Educação) - Universidade Internacional de Lisboa, Lisboa, 2003a.

TOMÉ, D. Introdução à Musicografia Braille. São Paulo: Global, 2003b.

TOMÉ, D. Musicografia Braille: instrumento de inserção e formação profissional. Revista Benjamim Constant, v. 36, abr. 2007. Disponíel em: http://revista.ibc.gov.br/index.php/BC/article/view/475. Acesso em: 26 jul. 2023.

TOMÉ, D.; ALMEIDA, M. Uma Ferramenta para a inteligência coletiva: musibraille na educação musical e formação na Cibercultura. In: CONGRESSO DA ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO, 9., 2015, Coimbra, Portugal. Anais [...] Coimbra, Portugal, 2015. Tema: Comunicações e Transformações Sociais.

Downloads

Publicado

15-08-2023

Como Citar

BORGES, J. A.; TOMÉ, D. Musicografia Braille: informação e comunicação com a ferramenta digital Musibraille. Diálogos Sonoros, [S. l.], v. 2, n. 1, p. 1–29, 2023. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/dialogossonoros/article/view/32191. Acesso em: 29 maio. 2024.

Edição

Seção

Dossiê: Música e Inclusão