As Secas e as Migrações entre o Ceará e o território Amazônico (1845-1877)

Autores

  • Antonio Alexandre Isidio Cardoso

Palavras-chave:

Seca, Migração, Migrantes, Agencia

Resumo

A história da seca de 1877-79 tem sido analisada sobremaneira através do estudo das políticas públicas/migrações percebidas como desdobramentos da estiagem. No presente artigo buscar-se-á problematizar tal perspectiva inserindo na discussão o papel dos migrantes como agentes na constituição das mesmas políticas e na eleição dos seus destinos. Para tanto, iremos analisar alguns editoriais dos jornais Cearense e Retirante, ambos de Fortaleza, que abriam largo espaço sobre a candente questão das secas e suas supostas consequenciais no período em tela. Por fim, colocar-se-á em debate algumas questões teóricas concernentes a agencia dos migrantes à época, dialogando com algumas categorias trabalhadas por E. P. Thompson e Raymond Williams.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Antonio Alexandre Isidio Cardoso

Doutorando em História Social pela Universidade de São Paulo e bolsista da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo – FAPESP.

Arquivos adicionais

Publicado

20-12-2014

Como Citar

CARDOSO, A. A. I. As Secas e as Migrações entre o Ceará e o território Amazônico (1845-1877). Revista Espacialidades, [S. l.], v. 7, n. 01, p. 34–46, 2014. Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/espacialidades/article/view/17621. Acesso em: 3 mar. 2024.